A EXIGÊNCIA DO ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA COMO FERRAMENTA DE DEMOCRACIA E FUNÇÃO SOCIAL DA PROPRIEDADE

Felipe Pereira Matoso, Gabriel Luis Bonora Vidrih Ferreira

Resumo


O adensamento populacional com o crescimento das cidades traz progressivos conflitos de ordem urbano-ambiental nos centros urbanos e com isso novos desafios aos ramos do Direito Urbanístico e Ambiental. O presente artigo propõe evidenciar a importância do Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV), previsto na Lei Federal n. 10.257/2001, denominada Estatuto da Cidade, em vista dos Princípios da Gestão Democrática das Cidades, da Justiça Social e da Função Social da Propriedade. Além disso, busca-se investigar a possibilidade de se exigir o referido Estudo mesmo quando da omissão legislativa municipal em regulamentar os critérios do EIV. A importância da temática advém do caráter difuso do direito à cidade sustentável, de modo a buscar meios de efetivar os direitos fundamentais expressos na Constituição Federal de 1988, como o direito ao meio ambiente natural e urbano e os outros correspondentes à dignidade da pessoa humana, às presentes e futuras gerações.

PALAVRAS-CHAVE: Direito Urbanístico; Estudo de Impacto de Vizinhança; Exigibilidade.

ABSTRACT: The population densification with the growth of cities brings progressive conflicts of urban-environmental order in the urban centers and with this new challenges to the areas of Urban and Environmental Law. The present article proposes to highlight the importance of the Neighborhood Impact Study (EIV), foreseen in Federal Law n. 10.257/2001, called the City Statute, in view of the Principles of Democratic Management of Cities, Social Justice and the Social Function of Property. In addition, it is sought to investigate the possibility of requiring the said Study even when the municipal legislative omission to regulate the EIV criteria. The importance of this theme stems from the diffuse character of the right to a sustainable city, in order to seek ways to realize the fundamental rights expressed in the Federal Constitution of 1988, such as the right to the natural and urban environment and the others corresponding to the dignity of the human person, to present and future generations.

KEYWORDS: Urbanistic Law; Neighborhood Impact Study; Requirement.


Texto completo:

PDF

Referências


ACSERALD. Henri. Sentidos da Sustentabilidade Urbana. In: ACSERALD, Henri. (Org) A duração da cidade: sustentabilidade e risco nas políticas urbanas. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 5 de outubro de 1988. . Acesso em 05/fev. 2018.

BRASIL. Lei Federal n. 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Brasília, DF, 10 jul. 2001 Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10257.htm>. Acesso em 05fev. 2018.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. AREsp 32299. Relator: TEORI ALBINO ZAVASCKI, Data de Julgamento: 03/05/2012, Tribunal Pleno, Data de Publicação: DJ 08/05/2012. Disponível em:< https://ww2.stj.jus.br/processo/revista/documento/mediado/?componente=ITA&sequencial=1143801&num_registro=201101629606&data=20120508&formato=PDF>. Acesso em 05fev. 2018.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Direito constitucional e teoria da Constituição. 6. ed. rev. Coimbra: Almedina,1993.

MENCIO, Mariana: Regime Jurídico da Audiência Pública na Gestão Democrática das Cidades. São Paulo. 2007, p. 8. Disponível em:. Acesso em 15 jan. 2018.

CRETELLA JUNIOR, José. Curso de Direito Romano. Rio de Janeiro: Forense, 1993.

CYMBALISTA, Renato. Estudo de Impacto de Vizinhança. Instituto Pólis, São Paulo, jul. 2001.

DALLARI. Adilson Abreu. Solo criado: constitucionalidade da outorga onerosa de potencial construtivo. In: DALLARI, Adilson Abreu; DI SARNO, Daniela Campos Libório (Coord.). Direito urbanístico e ambiental. Belo Horizonte: Fórum, 2007. p. 19-47.

DALLARI, Dalmo de Abreu. Elementos de Teoria Geral do Estado. São Paulo: Saraiva, 1991.

DENARI, Cristiane. A propriedade na Constituição de 1988 e o conteúdo da função social. Revista de Direito Ambiental, SãoPaulo, v. 7, n. 27, jul/set. 2002.

FERRARI, Celson. Curso de Planejamento Municipal Integrado - Urbanismo. São Paulo: Pioneira, 1977.

FERREIRA, Gabriel LuisBonoraVidrih; FERREIRA, Natália BonoraVidrih. Direito à cidade: o papel do planejamento urbano. Revista Argumenta – UENP. Jacarezinho, 2011, p. 35-50.

FIORILLO, Celso Antonio Pacheco. Estatuto da cidade comentado. 1ª. ed. Rio de Janeiro: Revista dos Tribunais, 2002.

FREITAS, Vladimir Passos de. Omissão Legislativa e o Controle Judicial do Estudo de Impacto de Vizinhança. Anais do Congresso "Direito Ambiental, Mudanças Climáticas e Desastres - Impactos nas Cidades e no Patrimônio Cultural" promovido pelo Instituto " O Direito por um Planeta Verde". P.303-313.

GAMA, Guilherme Calmon Nogueira; OLIVEIRA, Andrea Leite Ribeiro de Oliveira. Função social da propriedade e da posse. In GAMA, Guilherme Calmon Nogueira. Função Social no Direito Civil. 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GODARD, Olivier (1996), “Le Développement Durable et le Dévenir des Villes, Bonnes Intentions et FaussesBonnesIdées”, in Futuribles, mais 1996, pp.29-35.

MALUF, Adriana Caldas do Rego Freitas Dabus. Limitações Urbanas ao Direito de Propriedade. São Paulo, Atlas: 2010.

MENCIO, Mariana.A influência do estudo de impacto de vizinhança na expedição da licença urbanística para construção de empreendimentos ou atividades com efeitos potencialmente negativos sobre o meio ambiente urbano. In: PIRES, Luis Manuel Fonseca (et al) – Estudos de direito urbanístico I: licenças urbanísticas e questões polêmicas sobre as exigências da lei de parcelamento do solo. São Paulo: Letras Jurídicas, 2006.

MUKAI, Toshio. O Estatuto da Cidade: anotações à Lei n. 10. 257, de 10-7-2001. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2008

PIRES, Lilian Regina Gabriel Moreira. Função Social da Propriedade Urbana e o Plano Diretor. Belo Horizonte: Fórum, 2007

RECH, Adir Ubaldo; RECH, Adivandro. Direito urbanístico: fundamentos para construção de um Plano Diretor sustentável na área urbana e rural. Caxias do Sul: Educs, 2010. p. 199.

ROCCO, Rogério. Estudo de Impacto de Vizinhança: instrumentos de garantia do direito às cidades sustentáveis. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2009.

ROCCO, Rogério. Estudo de Impacto de Vizinhança: Instrumento de Garantia do Direito às Cidades Sustentáveis. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.

ROMERO, Marta Adriana Bustos. Frentes do Urbano para a Construção de Indicadores de Sustentabilidade Intra Urbana. In Paranoá: cadernos de arquitetura e urbanismo da FAU-UnB. Ano 6, n. 4 (novembro/2007). – Brasília: FAU UnB, 2007a.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitanismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003

SILVA. José Afonso da. Direito urbanístico brasileiro. 3. ed. São Paulo: Malheiros, 2000.

SILVA, José Afonso. Direito Urbanístico Brasileiro. São Paulo: Malheiros Editores LTDA. 2010, pág. 88.

LOLLO, José Augusto; RöHM, Sérgio Antonio. Aspectos negligenciados em Estudos de Impacto de Vizinhança. In: PAULA, Alexandre Sturion de (org.). Estatuto da Cidade e o Plano Diretor Municipal. São Paulo: Lemos e Cruz, 2007.

TOMANIK, Raquel. Estudo de impacto de vizinhança e licenciamento urbanístico-ambiental: desafios e inovações. São Carlos: UFSCar, 2009.

ZANETI, Graziela Argenta; ZANETI JÚNIOR, Hermes. O Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV): Alternativas Dogmáticas para sua Eficácia Imediata e Autoaplicabilidade. Revista Magister de Direito Ambiental e Urbanístico. Nº 49. ago-set. 2013. Disponível em : Acesso em 15 jan. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN - 2318-7034

Curso de Direito da UEMS - Unidade Universitária de Dourados

Núcleo de Estudos e Pesquisas em Direito, Estado, Constituição e Direitos Fundamentais e Humanos - UEMS