Aprender a ver: exílio e escritura na primeira correspondência de Julio Cortázar

Iuri Almeida Müller

Resumo


Este texto busca, a partir das primeiras cartas enviadas pelo escritor argentino Julio Cortázar desde o seu desembarque na França, em 1951, perceber como as marcas do exílio e do sentir-se ou não estrangeiro podem ser encontradas na produção ficcional do autor no mesmo período, em contos como os de Final del juego. Para tanto, textos de Edward Said e de Julia Kristeva sobre a questão do exílio na literatura, bem como ensaios do próprio Cortázar relativos ao desterro e aos escritores expulsos do país natal, ganham importância na leitura desta primeira correspondência.

 

Palavras-chave: Julio Cortázar; correspondência; exílio e literatura.


Texto completo:

PDF


ISSN: 2237-8332