OCORRÊNCIA DE PUCCINIA DICHONDRAE - AGENTE CAUSAL DA FERRUGEM - EM ORELHA-DE-RATO (DICHONDRA REPENS)

Authors

  • Rayane Louise Candida Diniz Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí
  • Milton Luiz da Paz Lima Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí
  • Alicionon de Oliveira Caetano Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí
  • Jennifer Decloquement Institut Universitaire de Technologie de Béthune, CEP 62-400, Béthune, France.
  • Jakelinny Martins Silva Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí

DOI:

https://doi.org/10.32404/rean.v3i4.1164

Abstract

Orelha-de-rato (Dichondra repens – Convolvulaceae) é uma planta perene de baixo crescimento, considerada como forrageira. O trabalho teve como objetivo a identificação da ferrugem da orelha-de-rato causada por Puccinia sp. Amostras de folhas de orelha-de-rato foram coletadas no município de Bento Gonçalves, RS, exsicatadas e depositadas na coleção micológica de referência do IF Goiano Câmpus Urutaí e, posteriormente, analisadas em microscópio estereoscópico. Lâminas semi-permanentes e cortes histológicos foram realizados. Para registro dos sintomas e sinais do patógeno fez-se macro e microfotografias. A morfometria das estruturas reprodutivas foi realizada utilizando microscópio óptico. O fitopatógeno apresentou télia de coloração marrom avermelhado, hipófila e subepidérmica encontrada na face abaxial da folha, com dimensões 180-260 x 210-340 µm. Teliósporos lisos, bicelulares, com dimensões de 32,1 - (27,1) - 22,2 x 19,4 - (14,8) - 11,3 µm de coloração pardo a marrom avermelhado com papila de comprimento 7,5 - (5,0) - 2,6 µm, hialina e pedicelos filiformes e hialinos, com comprimento de 24,7 - (12,6) - 6,7 µm. Inicialmente os teliósporos jovens apresentaram-se hialinos e quando maduros se tornaram melanizados. Com base nas características descritivas da fase telial o isolado oriundo de Bento Gonçalves, RS, (2011) foi identificado como Puccinia dichondrae.

Author Biographies

Rayane Louise Candida Diniz, Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí

Nasceu no Distrito Federal , onde cursou todo o Ensino Infantil (1996-1998), depois mudou-se para Luziânia onde cursou todo o Ensino Fundamental (1999-2006) e Ensino Médio (2007-2009). Após a conclusão do Ensino Médio foi aprovada para o curso de Agronomia na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM - MG), Medicina Veterinária no Centro Universitário de Desenvolvimento do Centro Oeste (UNIDESC), Biologia na Universidade Paulista (UNIP), onde foi contemplada com uma bolsa parcial pelo Programa Universidade para Todos (Prouni), Tecnologia em Gestão Ambiental e Agronomia no Instituto Federal Goiano (IFGoiano) - Campus Urutaí. Atualmente se encontra no IFGoiano cursando Agronomia com experiencia em microbiologia e agroecologia

Milton Luiz da Paz Lima, Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Paraná (1999) e mestrado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília (2002), concluiu o doutorado em 2006 no programa de pós-graduação em Fitopatologia também pela Universidade de Brasília, no primeiro semestre de 2009 finalizou o pós-doutorado na área de fitopatologia Molecular, 2011 Cursou na Holanda o curso Fungal Biodiversity, e atualmente é professor dedicação exclusiva do Instituto Federal Goiano. Possui experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitopatologia, atuando principalmente nos seguintes temas: micologia, ocorrência, identificação, etiologia, diagnose, epidemiologia, resistência de plantas a doenças, controle de doenças e caracterização de fitopatógenos.

Jakelinny Martins Silva, Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí

Engenheira agrônoma pelo Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí, com defesa de trabalho de conclusão de curso envolvendo agentes de controle biológico e promoção de crescimento em feijoeiro, Participou de inúmeras atividades representadas por cursos, simpósios, monitorias, palestras ligadas a área de fitossanidade, atualmente é participa do Programa de Mestrado Profissional em Proteção de Plantas, com projeto submetido a combinação de controle químico e biológico do mofo branco na cultura do feijoeiro irrigado.

References

(1) BEDENDO, I. P. Ferrugens. In BERGAMIM FILHO A.; KIMATI, H.; AMORIM, L. (Eds.) Manual de Fitopatologia. São Paulo-SP: Editora Agronômica Ceres, 2011, p. 231-287.

(2) CARDIN, L.; DELECOLLE, B. ; MOURI, B. Occurrence of Alternaria dichondrae, Cercospora sp., and Puccinia sp. on Dichondra repens in France and Italy. Plant Disease, St. Paul-USA, v. 89, n. 9, p. 1012, 2005.

(3) CUMMINS, G.E.; HIRATSUKA, Y. Illustrated Genera Rust Fungi. Revision Edition. St. Paul, Minnesota, USA: Minnesota Edition The American Phytopathology Society, 1983. p. 152.

(4) DOIDGE, E.M. South African rust fungi. Part V. South Africa: Bothalia, 1948, p. 895-918.

(5) EMMONS, R.; ROSSI, F. Turfgrass Science & Management. 5ª Ed. Stamford-USA: Cengage Learning, 2015, 57 pp.

(6) FARR, D. F.; ROSSMAN, A. Y. Fungal Databases, Systematic Botany and Mycology Laboratory. 2016. Disponível em: <http://nt.ars-grin.gov/fungaldatabases/>, Acesso em: 05 jan. 2016.

(7) GAY, C. Historia fisica y politica de Chile segun documentos adquiridos en esta republica durante doce anos de residencia en ella y publicada bajo los auspicios del supremo gobierno. Paris, France: BHL Collections, 1852. (Botanica I. Tomo 8.)

(8) HENNEN, J. F.; HENNEN, M. M.; FIGUEIREDO, M. B. Index of the rust fungi (Uredinales) of Brazil. Arch. Inst. Biol., supl. 1, v. 49, p. 1-201, 1982.

(9) LORENZI, H. Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. 3ª ed. Nova Odessa-SP: Instituto Plantarum, 2001, 1080 p.

(10) LORENZI, H. Plantas daninhas do Brasil: terrestres, aquáticas, parasitas e tóxicas. 4ª ed. Nova Odessa-SP: Instituto Plantarum, 2008, 640 p.

(11) MENDES, M. A. S.; URBEN, A. F.; Fungos relatados em plantas no Brasil. Laboratório de Quarentena Vegetal. Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. 2016. Disponível em: <http://pragawall.cenargen.embrapa.br/aiqweb/michtml/micbanco01a.asp>. Acesso em: 01 set. 2016.

(12) MUJICA, F.; VERGARA, C. Flora fungosa Chilena: Indice preliminar de los huespedes de los hongos chilenos y sus referencias bibliograficas. Imprenta Stanley, 1945, 199 p.

(13) SACCARDO, P. A. Puccinia dichondrae. Sylloge Fungorum. v. VII, p. 717. 1888.

(14) SARROCCO, S.; VERGARA, M.; VANNACCI, G. First confirmed report of the leaf rust Puccinia dichondrae on Dichondra repens in Italy. Plant Pathology, London-UK, v. 59, n. 4, p. 802, 2009.

Published

2016-11-09

How to Cite

Diniz, R. L. C., Lima, M. L. da P., Caetano, A. de O., Decloquement, J., & Silva, J. M. (2016). OCORRÊNCIA DE PUCCINIA DICHONDRAE - AGENTE CAUSAL DA FERRUGEM - EM ORELHA-DE-RATO (DICHONDRA REPENS). REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL, 3(4), 55–59. https://doi.org/10.32404/rean.v3i4.1164

Most read articles by the same author(s)