SUBSTRATOS ORGÂNICOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE CAFEEIRO EM TUBETES

Authors

  • Igor Souza Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro - Campus Uberlândia, Minas Gerais, Departamento de Engenharia Agronômica. http://orcid.org/0000-0003-1158-119X
  • Karen Cristina Corrêa de Lima Graduada em Eng. Agronômica pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro - Campus Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Departamento de Engenharia Agronômica.
  • Heliomar Baleeiro de Melo Junior Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro - Campus Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Departamento de Engenharia Agronômica.

DOI:

https://doi.org/10.32404/rean.v4i2.1254

Abstract

Considerando-se a importância das mudas na formação de lavoura cafeeira (Coffea arabica L.), objetivou-se avaliar características agronômicas e índices de qualidade de mudas do cafeeiro cv. Topázio MG 1190, produzidos em tubetes com a utilização de diferentes proporções de materiais orgânicos no substrato comercial. O experimento foi em delineamento experimental em blocos casualizados, dispostos em esquema fatorial 4 x 4, sendo quatro fontes de esterco: bovino, cama de frango, coelho e suíno em quatro proporções (0, 20, 40 e 60%) no substrato comercial Bioplant® com quatro repetições. As parcelas foram formadas por sete plantas dispostas em tubetes com volume de 180 mL.  Foram avaliadas as características agronômicas: altura da planta, número de par de folhas, área foliar, diâmetro de caule, massa seca da parte aérea, massa seca da raiz, relação altura da planta e diâmetro de caule, relação massa seca de parte aérea e massa seca da raiz e índice de qualidade de Dickson (IQD). Os resultados obtidos permitem concluir que o esterco de coelho até a dose de 32,7% no substrato proporcionou maior desenvolvimento das mudas de café representado pelo IQD calculado em 1,31. A adição de cama de frango, esterco suíno e esterco bovino podem ser utilizados até as doses máximas de 25%, 5,2% e 17,4% respectivamente. A partir dessas doses pode ocorrer uma rápida diminuição no IQD. Na dose de 60% de esterco suíno e esterco bovino foi observado morte de mudas.

Author Biographies

Igor Souza Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro - Campus Uberlândia, Minas Gerais, Departamento de Engenharia Agronômica.

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal do Triângulo Mineiro, Campus Uberlândia, Uberlândia (MG) - Brasil, Doutor em Fitopatologia pela Universidade Federal de Lavras, Lavras (MG), igor@iftm.edu.br.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0610814748801550

Endereço:

Fazenda Sobradinho s/nº - Cx. Postal: 1020 - Bairro: Zona Rural - CEP: 38400-970 - Uberlândia/MG

Tel.:(034)3233-8878

 

Karen Cristina Corrêa de Lima, Graduada em Eng. Agronômica pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro - Campus Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Departamento de Engenharia Agronômica.

Engenheira Agrônoma, Mestranda em Produção Vegetal pelo Instituto Federal De Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro, Campus Uberaba, Uberaba (MG) – Brasil.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/2994850251594216

Endereço:

Fazenda Sobradinho s/nº - Cx. Postal: 1020 - Bairro: Zona Rural - CEP: 38400-970 - Uberlândia/MG

 


Heliomar Baleeiro de Melo Junior, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro - Campus Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Departamento de Engenharia Agronômica.

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro, Campus Uberlândia, Uberlândia (MG) - Brasil, Doutor em Agronomia pela Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, email: heliomarmelo@iftm.edu.br

Lattes: http://lattes.cnpq.br/2283079465883577

Endereço:

Fazenda Sobradinho s/nº - Cx. Postal: 1020 - Bairro: Zona Rural - CEP: 38400-970 - Uberlândia/MG

Tel.:(034)3233-8878


References

(1) ALMEIDA, S. L. S.; COGO, F.D.; GONÇALVES, B. O.; RIBEIRO, B. T.; CAMPOS, K. A.; MORAIS, A. R. Adição de resíduos orgânicos ao substrato para produção de mudas de café em tubete. Revista Agroambiental, Pouso Alegre-MG, v. 3, n. 2, p. 9-13, 2011.

(2) ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; GONÇALVES, J. L. M.; SPAROVEK, G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, Stuttgart-BW, v.22, n 6, p 711- 728, 2013.

(3) BALIZA, D. P.; OLIVEIRA, A. L.; DIAS, R. A. A.; GUIMARÃES, R. J.; BARBOSA, C. R. Antecipação da produção e desenvolvimento da lavoura cafeeira implantada com diferentes tipos de mudas. Coffee Science, Lavras-MG, v. 8, n. 1, p. 61-68, 2013. Disponível em: < http://www.coffeescience.ufla.br/index.php/Coffeescience/article/view/348/pdf>. Acesso em: 12 ago. 2016.

(4) COGO, F. D.; ALMEIDA, S. L. S.; VIEIRA, R. J.; LOPES, F. A. B.; CAMPOS, K. A.; RAMALHO, A. Crescimento de mudas de diferentes cultivares de cafeeiro em função da fertilização orgânica do substrato. Enciclopédia Biosfera, Goiânia-GO, v. 7, n. 12; p. 1-9. 2011. Disponível em: < http://www.conhecer.org.br/enciclop/2011a/agrarias/Crescimento%20de%20mudas.pdf>. Acesso em 15 set. 2016.

(5) COGO, F. D.; SILVA, E. A.; CAMPOS, K. A. Formação de mudas de cafeeiro sob doses crescentes de fósforo. Enciclopédia Biosfera, Goiânia-GO, v. 8, n. 14; p. 598-605. 2012. Disponível em: < http://www.conhecer.org.br/enciclop/2012a/ agrarias/formacao.pdf>. Acesso em 15 set. 2016.

(6) CONAB. COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. 1° Levantamento CONAB da safra de café. 2017. Disponível em: < http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/17_01_17_14_51_54_boletim_cafe_-_janeiro_de_2017.pdf>. Acesso em: 25 mar. 2017.

(7) DARDENGO, M. C. J. D.; SOUSA, E. F.; REIS, E. F.; GRAVINA, G. A. Crescimento e qualidade de mudas de café conilon produzidas em diferentes recipientes e níveis de sombreamento. Coffee Science, Lavras-MG, v. 8, n. 4, p. 500-509, 2013. Disponível em: < http://coffeescience.ufla.br/index.php/Coffeescience/article/view/512/pdf_68>. Acesso em 10 abril. 2017.

(8) DELARMELINA, W. M.; CALDEIRA, M. V. W.; FARIA, J. C. T.; GONÇALVES, E. O. Uso de lodo de esgoto e resíduos orgânicos no crescimento de mudas de Sesbania virgata (Cav.) Pers. Revista Agroambiente On-line, Boa Vista-RR, v. 7, n. 2, p. 184-192, 2013.

(9) DIAS, R.; MELO, B. D.; RUFINO, M. A.; SILVEIRA, D, L.; MORAIS, T. P.; SANTANA, D. G. Fontes e proporções de material orgânico para a produção de mudas de cafeeiro em tubetes. Ciência e Agrotecnologia, Lavras-MG, v. 33, n. 3, p. 758-764, 2009.

(10) DIAS, R.; MELO, B. Proporção de material orgânico no substrato artificial para a produção de mudas de cafeeiro em tubetes. Ciência e Agrotecnologia, Lavras-MG, v. 33, n. 1, p. 144-152, 2009.

(11) DICKSON, A.; LEAF, A. L.; HOSNER, J. F. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, Mattawa-ON, Canadá v. 36, n.1; p. 10-13, 1960. Disponível em:<http://pubs.cif-ifc.org/doi/pdf/10.5558/tfc36010-1>. Acesso em: 10 abril. 2017.

(12) FERNANDES, A. L. T.; SANTINATO, F.; FERREIRA, R. T.; SANTINATO, R. Adubação orgânica do cafeeiro, com uso do esterco de galinha, em substituição à adubação mineral. Coffee Science, Lavras-MG, v. 8, n. 4, p. 486-499, 2013a. Disponível em: < http://www.coffeescience.ufla.br/index.php/Coffeescience/article/view/505/pdf_67>. Acesso em 11 set. 2016.

(13) FERNANDES, A. L. T.; SANTINATO, F.; FERREIRA, R. T.; SANTINATO, R. Redução da adubação mineral do cafeeiro arábica. Coffee Science, Lavras-MG, v. 8, n. 3, p. 324-336, 2013b. Disponível em: < http://www.coffeescience.ufla.br/index.php/ Coffeescience/article/viewFile/454/pdf_44>. Acesso em 11 set. 2016.

(14) FERREIRA, D. F. SISVAR – Sistema de Análise de Variância. Versão 5. 3. Lavras-MG: UFLA, 2010.

(15) HUNT, G. A. Effect of styroblock design and cooper treatment on morphology of conifer seedlings. In: ROSE, R.; CAMPBELL, S. J.; LANDIS, T. D. Target seedling symposium: Proceedings, combined meeting of the Western Forest Nursery Associations. Fort Collins-CO: Department of Agriculture, Forest Service, Rocky Mountain Forest and Range Experiment Station, 1990. 286 p.

(16) KONZEN, E.A.; ALVARENGA, R.C. Manejo e utilização de dejetos animais: aspectos agronômicos e ambientais. Sete Lagoas-MG:

(17) EMBRAPA MILHO E SORGO, 2005, 16p. (Embrapa Milho e Sorgo, Circular técnica 63.) Disponível em: < https://goo.gl/0nhR7e>. Acesso em 12 abril 2017.

(18) MARANA, J. P.; MIGLIORANZA, E.; FONSECA, É. P.; KAINUMA, R. H. Índices de qualidade e crescimento de mudas de café produzidas em tubetes. Ciência Rural, Santa Maria-RS, v. 38, n. 1, p. 39-45, 2008.

(19) MARUR, C. J.; FARIA; R. T. Photosynthesis of individual leaves in a coffee plant. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá-PR, v. 28, n. 3, p. 331-335, 2006. Disponível em: < http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciAgron/article/viewFile/941/470>. Acesso em: 10 janeiro 2017.

(20) MATIELLO, J. B.; SANTINATO, R.; GARCIA, A. W. R.; ALMEIDA, S. R.; FERNANDES, D. R. Cultura do café no Brasil: manual de recomendações. Varginha-MG: SARC/PROCAFÉ, 2010. 548p.

(21) OLIVEIRA, C. L. L. G.; MIGLIORANZA, E. Quality levels of organic coffee seedlings in black and white nonwoven fabric (NWF) containers of various sizes. African Journal of Agricultural Research, Nairóbi - Quênia, v. 10, n. 9, p. 886-894, 2015. Disponível em: < http://academicjournals.org/journal/AJAR/article-abstract/7EDED5550996>. Acesso em: 10 abril 2017

Published

24/05/2017

How to Cite

Pereira, I. S., Lima, K. C. C. de, & Melo Junior, H. B. de. (2017). SUBSTRATOS ORGÂNICOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE CAFEEIRO EM TUBETES. REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL, 4(2), 17–26. https://doi.org/10.32404/rean.v4i2.1254