SUBSTRATO À BASE DE PEQUI (Caryocar coriaceum) NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATE E PIMENTÃO

Authors

  • Tamires Coelho Matias Maciel Universidade Federal do Cariri (UFCA), Centro de Ciências Agrárias e da Biodiversidade (CCAB). Campus Crato. Endereço: Rua Ícaro de Sousa Moreira, s/n, Bairro Barro Branco, Crato, Ceará, Brasil. CEP: 63.130-025
  • Toshik Iarley da Silva Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Centro de Ciências Agrárias (CCA). Campus II. Endereço: Rodovia PB-079, Areia, Paraíba, Brasil. CEP: 58397-000
  • Francisca Dayanne de Oliveira Alcantara Universidade Federal do Cariri (UFCA), Centro de Ciências Agrárias e da Biodiversidade (CCAB). Campus Crato. Endereço: Rua Ícaro de Sousa Moreira, s/n, Bairro Barro Branco, Crato, Ceará, Brasil. CEP: 63.130-025
  • Cláudia Araújo Marco Universidade Federal do Cariri (UFCA), Centro de Ciências Agrárias e da Biodiversidade (CCAB). Campus Crato. Endereço: Rua Ícaro de Sousa Moreira, s/n, Bairro Barro Branco, Crato, Ceará, Brasil. CEP: 63.130-025
  • Ricardo Luiz Lange Ness Universidade Federal do Cariri (UFCA), Centro de Ciências Agrárias e da Biodiversidade (CCAB). Campus Crato. Endereço: Rua Ícaro de Sousa Moreira, s/n, Bairro Barro Branco, Crato, Ceará, Brasil. CEP: 63.130-025

DOI:

https://doi.org/10.32404/rean.v4i2.1551

Abstract

Em meio à riqueza vegetal da Chapada do Araripe ocorre o extrativismo do pequi (Caryocar coriaceum) como importante atividade econômica e social das principais cidades do Cariri Cearense. Assim, o presente trabalho teve como objetivo a utilização dos resíduos dessa atividade como substrato na produção de mudas de tomate (Solanum licopersicum) e pimentão (Capsicum annuum). O experimento foi conduzido na área experimental do Centro de Ciências Agrárias e Biodiversidade da Universidade Federal do Cariri. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com cinco tratamentos e seis repetições, com dezesseis células (plantas) para cada repetição. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Nas mudas foram avaliadas a porcentagem de emergência, o índice de velocidade de emergência, o tempo médio de emergência, a facilidade de retirada da plântula da célula, a agregação do substrato às raízes, a necrose da radícula, o comprimento da raiz e a biomassa seca foliar e radicular. O uso dos resíduos para produção de composto obteve resultados satisfatório quando utilizado com solo em proporções iguais, produzindo mudas de pimentão e tomate de qualidade nas condições da região do Cariri cearense

References

(1) ARAÚJO NETO, S. E. DE; AZEVEDO, J. M. A. DE; GALVÃO, R. O.; OLIVEIRA, E. B. L.; FERREIRA, R. L. F. Produção de muda orgânica de pimentão com diferentes substratos. Ciência Rural, Santa Maria-RS, v. 39, n. 5, p. 1408-1413, 2009.

(2) ARAÚJO, A. S. F.; MONTEIRO, R. T. R.; CARVALHO, E. M. S. Effect of composted textile sludge on growth, nodulation and nitrogen fixation of soybean and cowpea. Bioresource Technology, New York-US, v. 97, n. 1, p. 1028-1032, 2007.

(3) BORCHARTT, L.; SILVA, I. F.; SANTANA, E. O.; SOUZA, C.; FERREIRA, L. E. Adubação orgânica da batata com esterco bovino no município de Esperança – PB. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza-CE, v. 42, n. 2, p. 482-487, 2011.

(4) CAMPANHARO, M.; RODRIGUES, J. J. V.; JUNIOR, M. A. L.; ESPINDULA, M. C.; COSTA, J. V. T. Características físicas de diferentes substratos para produção de mudas de tomateiro. Revista Caatinga, Mossoró-RN, v. 19, n. 2, p. 40-145, 2006.

(5) CARVALHO, J. L.; PAGLIUCA, L. G. Tomate: Um mercado que não para de crescer globalmente. Revista Hortifruti Brasil, Piracicaba-SP, v. 58, n. 1, p. 6-14, 2007.

(6) CORREIA, D.; ROSA, M. F.; NOROES, E. R. V. Uso do pó da casca de coco na formulação de substratos para formação de mudas enxertadas de cajueiro anão precoce. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal-SP, v. 25, n. 3, p.5 57-558, 2003.

(7) COSTA, C. A.; RAMOS, S. J.; SAMPAIO, R. A.; GUILHERME, D. O.; FERNANDES, L. A. Fibra de coco e resíduo de algodão para substrato de mudas de tomateiro. Horticultura Brasileira, Brasília-DF, v. 25, n. 3, p. 387-391, 2007.

(8) COSTA, E.; DURANTE, L. G. Y.; NAGEL, P. L.; FERREIRA, C. R.; SANTOS, A. Qualidade de mudas de berinjela submetida a diferentes métodos de produção. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza-CE, v. 42, n. 4, p. 1017-1025, 2011.

(9) COSTA, E.; JORGE, M. H. A.; SCHWERZ, F.; CORTELASSI, J. A. S. Emergência e fitomassa de mudas de pimentão em diferentes substratos. Revista Agrária, Recife-PE, v. 8, p. 396-401, 2013.

(10) COSTA, L. A. M.; COSTA, M. S. S. M.; PEREIRA, D. C.; BERNARDI, F. H.; MACCARI, S. Avaliação de substratos para a produção de mudas de tomate e pepino. Revista Ceres, Viçosa-MG, v. 60, n. 5, p. 675-682, 2013.

(11) CURI, N.; KÄMPF, N.; MARQUES, J. J. Mineralogia e formas de potássio em solos do Brasil. In: YAMADA, T.; ROBERTS, T. L., eds. Potássio na agricultura brasileira. Piracicaba-SP: Associação Brasileira para a Pesquisa da Potassa e do Fosfato, 2005. p.71-92.

(12) DINIZ, K. A.; GUIMARÃES, S. T. M. R.; LUZ, J. M. Q. Húmus como substrato para a produção de mudas de tomate, pimentão e alface. Bioscience Journal, Uberlândia-MG, v. 22, n. 3, p. 63-70, 2006.

(13) DOMÍNGUEZ, J.; LAZCANO, C.; GÓMEZ-BRANDÓN, M. Influencia del vermicompost en el crecimiento de las plantas. Aportes para la elaboración de um concepto objetivo. Acta Zoológica Mexicana, Cidade do México, v. 2, edição especial, p. 359-371, 2010.

(14) FERREIRA, D. F. SISVAR: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras-MG, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011.

(15) FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3. ed. Viçosa-MG: Editora UFV, 2008. 412 p.

(16) HENZ, G. P.; COSTA, C. S. R.; CARVALHO, S.; BANCI, C. A. Como cultivar pimentão: alta produtividade. Cultivar hortaliças e frutas, Pelotas-RS, v. 7, n. 1, p. 1-6, 2007.

(17) IPECE. INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ. Ceará em mapas. 2007. Disponível em:< http://www2.ipece.ce.gov.br/atlas/capitulo1/12/124x.htm>. Acesso em: 25 out. 2014.

(18) LOPES, A. S.; GUILHERME, L. R. G. Interpretação de análise de solo: conceitos e aplicações. 3. ed. São Paulo-SP: Associação Nacional Para a Difusão de Adubos (ANDA), 1992. 64 p. (Boletim Técnico, 2).

(19) MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, Madison-US, v. 2, n. 1, p.1 76-177, 1962.

(20) MARFÁ, O.; GURI, S. Física de substratos y oxigenación del medio radicular. In: FERNANDÉZ, M. F.; GÓMEZ, I. M. C. ed. Cultivos sin suelo II. Almeria: DGIFA/FIAPA/Caja Rural de Almeria, 1999, p. 93-106.

(21) OLIVEIRA, M. E. B.; GUERRA, N. B.; MAIA, A. H. N.; ALVES, R. E.; XAVIER, D. S.; MATOS, N. M. S. Caracterização física de frutos do pequizeiro nativos da chapada do Araripe-CE. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal-SP, v. 31, n. 4, p. 1196-1201, 2009.

(22) PEREIRA, W. E.; SOUSA, G. G.; ALENCAR, M. L.; MENDONÇA, R. M. N.; SILVA, G. L. Crescimento de mudas de mamoeiro em substratos contendo caulim. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Mossoró-RN, v.3, n.1, p 27-35, 2008.

(23) RIBEIRO, A. C.; GUIMARAES, P. T. G.; ALVAREZ, V. V. H. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais. 5ª Aproximação. Viçosa-MG: Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, 1999. 359p.

(24) RODRIGUES, E. T.; LEAL, P. A. M.; COSTA, E.; PAULA, T. S.; GOMES, V. A. Produção de mudas de tomateiro em diferentes substratos e recipientes em ambiente protegido. Horticultura Brasileira, Brasília-DF, v. 28, n. 4, p. 483-488, 2010.

(25) SANTANA, C. T. C.; SANTI, A.; DALLACORT, R.; SANTOS, M. L.; MENEZES, C. B. Desempenho de cultivares de alface americana em resposta a diferentes doses de torta de filtro. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza-CE, v. 43, n. 1, p. 22-29, 2012.

(26) SANTOS, D. C.; FERREIRA, R. L. F.; ARAÚJO NETO, S. E.; QUEIROZ, E. F.; MEDEIROS, R. S. Produção de mudas de tomateiro em substratos alternativos. Enciclopédia Biosfera, Goiânia-GO, v. 11, n. 21, p. 1530-1541, 2015.

(27) SANTOS, M. R.; SEDIYAMA, M. A. N.; SALGADO, L. T.; VIDIGAL, S. M.; REIGADO, F. R. Produção de mudas de pimentão em substratos à base de vermicomposto. Bioscience Journal, Uberlândia-MG, v. 26, n. 4, p. 572-578, 2010.

(28) SCHERER, E. E. Níveis críticos de potássio para soja em Latossolo húmico de Santa Catarina. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa-MG, v. 22, n. 1, p. 57-62, 1998.

(29) SILVA, J. B. C.; NAKAGAWA, J. Estudos de fórmulas para cálculo da velocidade de germinação. Informativo ABRATES, Londrina-PR, v. 5, n. 1, p. 62-73, 1995.

(30) SILVA, J. D. C.; LEAL, T. T. B.; ARAÚJO, R. M.; GOMES, R. L. F.; ARAÚJO, A. S. F.; MELO, W.J. Emergência e crescimento inicial de plântulas de pimenta ornamental e celosia em substrato à base de composto de lodo de curtume. Revista Ciência Rural, Santa Maria-RS, v. 41, n. 3, p. 412-417, 2011.

(31) SOUSA, D. M. G.; LOBATO, E. (Ed.). Cerrado: correção do solo e adubação. 2. ed. Brasília-DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2004. 416 p.

(32) TEDESCO, M. J.; GIANELLO, C.; ANGHINONI, I.; BISSANI, C. A.; CAMARGO, F. A. O.; WIETHÖLTER, S. (Ed.). Manual de adubação e calagem para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. 10. ed. Porto Alegre-RS: SBCS-NRS, 2004. 400p.

Published

24/05/2017

How to Cite

Maciel, T. C. M., da Silva, T. I., Alcantara, F. D. de O., Marco, C. A., & Ness, R. L. L. (2017). SUBSTRATO À BASE DE PEQUI (Caryocar coriaceum) NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATE E PIMENTÃO. REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL, 4(2), 9–16. https://doi.org/10.32404/rean.v4i2.1551

Most read articles by the same author(s)