DESENVOLVIMENTO INICIAL DO AMENDOINZEIRO SOB DIFERENTES DENSIDADES DE MATOCOMPETIÇÃO COM Urochloa

Lucas Aparecido Manzani Lisboa, Ronaldo da Silva Viana, Filipe Virgílio Ribeiro, Paulo Alexandre Monteiro de Figueiredo, Sérgio Bispo Ramos

Resumo


Gramíneas e leguminosas competem nos sistemas produtivos, sendo que esta competição depende de suas habilidades específicas para a sua sobrevivência. O objetivo desse trabalho foi avaliar o desenvolvimento inicial de amendoinzeiro sob diferentes densidades de matocompetição com Urochloa. Foi realizado um experimento com delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4 x 5. O primeiro fator foi composto por quatro tipos de gramíneas, ou seja, Urochloa brizantha cv. Paiaguás, Marandu, Piatã e Urochloa ruziziensis; o segundo, por cinco densidades de matocompetição e cinco repetições, totalizando 100 parcelas ou vasos. Após 30 dias da semeadura, foram determinados os seguintes parâmetros: ISPADA – índice spad do amendoim; CEA – condutância estomática do amendoim; DCA – diâmetro de caule do amendoim; APA e APG – altura de planta do amendoim e gramínea; MSPAA e MSPAG – massa seca da parte aérea do amendoim e gramínea; e MSRA e MSRG – massa seca de raiz do amendoim e gramínea. O amendoinzeiro responde de maneira negativa quando submetido a altas densidades de matocompetição com gramíneas do gênero Urochloa. A Urochloa ruziziensis apresentou uma maior matocompetição no desenvolvimento inicial do amendoinzeiro.

Texto completo:

PDF

Referências


(I) Barbieri, J.D., Dallacort, R., Faria Júnior, C.A., Freitas, P.S. L., Fenner, W., 2016. Ensaio de épocas e densidade de plantas de duas cultivares de amendoim. Nucleus, 13(1), 111-121.

(II) Bellettini, N.M.T., Endo, R.M., 2001. Comportamento do amendoim “das águas”, Arachis hypogaea L., sob diferentes espaçamentos e densidades de semeadura. Acta Scientiarum, 23(5), 1249-1256.

(III) Bleasdale, J.K.A., 1960. Studies on plant competition, in: Harper, J.L., (Ed.), The biology of weeds. Oxford, Blackweel Scientific, pp. 133-42.

(IV) Castro, E.M., Pereira, F.J., Paiva, R., 2009. Histologia vegetal: estrutura e função de órgãos vegetativos. Lavras-MG, Universidade Federal de Lavras.

(V) Freitas, R.J., Nascente, A.S., Santos, F.L.S., 2013. População de plantas de milho consorciado com Urochloa ruziziensis. Pesquisa Agropecuária Tropical, 43(1), 79-87.

(VI) Graciano, E.S., Nogueira, R.J.M.C., Lima, D.R.M., Pacheco, C.M., Santos, R.C., 2011. Crescimento e capacidade fotossintética da cultivar de amendoim BR 1 sob condições de salinidade. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 15(8), 794–800.

(VII) Heemst, H.D.G., 1986. The influence of weed competition on crop yield. Agricultural Systems, 18(2), 81-83.

(VIII) Miranda, J.H., Bérgamo, L.R., Reis, J.B.RS., Cruciani, D.E., Duarte, S.N., 2010. Distribuição da concentração de potássio no solo em lisímetros cultivados com amendoim. Engenharia Agrícola, 30(2), 253-263.

(IX) Parreira, M.C., Alves, P.L.C.A., Peñaherrera-Colina, L.A., 2011. Influencia de las malezas sobre El cultivo de frijol en función de espaciamiento y de la densidad de plantas. Planta Daninha, 29(4), 761-769.

(X) Pitelli, R.A., 1985. Interferência das plantas daninhas nas culturas agrícolas. Informativo Agropecuário, 11(29), 16-27.

(XI) Raij, B., Cantarela, H., Quaggio, J.A., Furlani, A.M.C., 1996. Recomendações de adubação e calagem para o Estado de São Paulo, segunda ed. Campinas-SP, IAC (Boletim Técnico, 100).

(XII) Ratnakumar, P., Vadez, V., 2011. Groundnut (Arachis hypogaea) genotypes tolerant to intermittent drought maintain a high harvest index and have small leaf canopy under stress. Functional Plant Biology, 38(12), 1016-1023.

(XIII) Sant’Ana, E.V.P., Santos, A.B., Silveira, P.M., 2010. Adubação nitrogenada na produtividade, leitura spad e teor de nitrogênio em folhas de feijoeiro. Pesquisa Agropecuária Tropical, 40(4), 491-496.

(XIV) Santos, J.B., Silveira, T.P., Coelho, P.S., Costa, O.G., Matta, P.M., Silva, M.B., Drumond Neto, A. P., 2010. Interferência de plantas daninhas na cultura do quiabo. Planta Daninha, 28(2), 255-262.

(XV) Santos, R.C., Freire, R.M.M., Lima, L.M., Zagonel, G.F., Costa, B.J., 2012. Produtividade de grãos e óleo de genótipos de amendoim para o mercado oleoquímico. Revista Ciência Agronômica, 43(1), 72-77.

(XVI) Sharwood, R.E., Crous, K.Y., Whitney, S.M., Ellsworth, D.D., Ghannoum, O., 2016. Linking photosynthesis and leaf N allocation under future elevated CO2 and climate warming in Eucalyptus globulus. Journal of Experimental Botany, 68(5), 1-11.

(XVII) Silva, F.A.S., Azevedo, C.A.V., 2002. Versão do programa computacional Assistat para o sistema operacional Windows. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, 4(1), 71-78.

(XVIII) Silva, W.B., Petter, F.A., Lima, L.B., Andrade, F.R., 2013. Desenvolvimento inicial de Urochloa ruziziensis e desempenho agronômico da soja em diferentes arranjos espaciais no cerrado Mato-Grossense. Bragantia, 72(2), 146-153.

(XIX) Tellah, S., Badiani, M., Trifilo, P., Lo Gullo, M.A., Ounane, G., Ounane, S.M., Sorgona, A., 2014. Morpho-physiological traits contributing to water stress tolerance in a peanut (Arachis hypogaea L.) landraces collection from the Algerian Maghreb. Agrochimica, 58(2), 126-147.

(XX) Vidal, R.A., Merotto Junior, A., 2001. Herbicidologia. Porto Alegre-RS, Evangraf.




DOI: https://doi.org/10.32404/rean.v6i2.1670

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.