ENRAIZAMENTO DE ESTACAS CAULINARES DE Piper crassinervium Kunth SOB DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE ÁCIDO INDOLBUTÍRICO

Visualizações: 944

Authors

  • Erik Nunes Gomes Rutgers, The State University of New Jersey, School of Environmental and Biological Sciences, New Brunswick, New Jersey, Estados Unidos. http://orcid.org/0000-0002-7999-070X
  • Diones Krinski Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus Universitário Professor Eugênio Carlos Stieler, Tangará da Serra, Mato Grosso, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.32404/rean.v6i1.1926

Abstract

O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito de diferentes concentrações do regulador vegetal ácido indolbutírico (AIB) no enraizamento e brotações de estacas caulinares de Piper crassinervium. Estacas caulinares de 12±1 cm, contendo uma folha reduzida a um terço de seu tamanho, tiveram suas bases imersas por 15 segundos em soluções hidroalcoólicas (50%) com concentrações de zero, 500, 1000, 2000 e 4000 mg L-1 de AIB. Após 45 dias da instalação do experimento, foram avaliadas as porcentagens de sobrevivência, enraizamento, estacas que mantiveram as folhas na região apical (retenção de folhas) e estacas com emissão de novas brotações, número, comprimento médio e massa seca de raízes e massa seca de brotações. Foram observadas altas porcentagens de enraizamento (média 75,83%) e sobrevivência (média de 79,58%), ambas não influenciadas pelas concentrações de AIB. As variáveis de porcentagens de estacas com novas brotações, massa seca de raiz e de brotações foram as únicas que apresentaram resposta significativa à aplicação do regulador, demonstrando inibição à medida que se aumentaram as concentrações. É viável a propagação de P. crassinervium via estaquia caulinar. A espécie apresenta altos índices de enraizamento e sobrevivência, não sendo necessária a aplicação do regulador vegetal AIB.

Author Biographies

Erik Nunes Gomes, Rutgers, The State University of New Jersey, School of Environmental and Biological Sciences, New Brunswick, New Jersey, Estados Unidos.


Licenciado em Ciências Agrícolas (Insituto Federal Catarinense), Mestre em Agronomia/Produção Vegetal (Universidade Federal do Paraná), Doutorando em Plant Biology, New Use Agriculture and Natural Plant Products Program (NUANPP), Rutgers University, Department of Plant Biology-Foran Hall
59 Dudley Road, New Brunswick, New Jersey, USA.

Diones Krinski, Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus Universitário Professor Eugênio Carlos Stieler, Tangará da Serra, Mato Grosso, Brasil

Prof. do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade do Estado de Mato Grosso, campus Tangará da Serra.

References

(I) Albiero, A.L.M., Paoli, A.A.S., Souza, L.A.D., Mourão, K.S. M., 2005. Morphology and anatomy of vegetative organs of Piper crassinervium HB & K. (Piperaceae). Acta Botanica Brasilica, 19, 305-312.

(II) Bardelli, K.C., Kirizawa, M., Sousa, A.V.G.D., 2008. O gênero Piper L. (Piperaceae) da Mata Atlântica da Microbacia do Sítio Cabuçu-Proguaru, Guarulhos, SP, Brasil. Hoehnea, 35, 553-561.

(III) Bischoff, A., Vendramim, D., Nunes Gomes, E., Zuffellato-Ribas, K., Engel, M., Maggioni, R., 2017. Enraizamento de estacas de erva-baleeira em função de diferentes concentrações de ácido indol butírico e número de folhas. Revista de Ciências Agroveterinárias, 16, 41-47.

(IV) Bona, C.M., Biasi, L.A., 2010. Influence of leaf retention on cutting propagation of Lavandula dentata L. Revista Ceres, 57, 526-529.

(V) Botelho, R.V., Maia, A.J., Pires, E.J.P., Terra, M.M., Schuck, E., 2005. Efeitos de reguladores vegetais na propagação vegetativa do porta-enxerto de videira ‘43-43’ (Vitis vinifera x V. rotundifolia). Revista Brasileira de Fruticultura, 27, 6-8.

(VI) Cunha, A.C.M.D., Paiva, H.N.D., Leite, H.G., Barros, N.F. D., Leite, F.P., 2009. Relações entre variáveis climáticas com produção e enraizamento de miniestacas de eucalipto. Revista Árvore, 33, 195-203.

(VII) Danelutte, A.P., Lago, J.H.G., Young, M.C.M., Kato, M.J., 2003. Antifungal flavanones and prenylated hydroquinones from Piper crassinervium Kunth. Phytochemistry, 64, 555-559.

(VIII) Dias, J.P.T., Ono, E.O., Rodrigues, J.D., 2011. IBA e carboidratos no enraizamento de brotações procedentes de estacas radiciais de Rubus spp. Revista Brasileira de Fruticultura, 33, 666-671.

(IX) Guerrini, A., Sacchetti, G., Rossi, D., Paganetto, G., Muzzoli, M., Andreotti, E., Bruni, R., 2009. Bioactivities of Piper aduncum L. and Piper obliquum Ruiz & Pavon (Piperaceae) essential oils from eastern Ecuador. Environmental toxicology and pharmacology, 27, 39-48.

(X) Luz, A.I.R., Zoghbi, M.D.G.B., Maia, J.G.S., 2003. The essential oils of Piper reticulatum L. and P. crassinervium HB K. Acta Amazonica, 33, 341-344.

(XI) Magevski, G.C., Czepak, M.P., Schmildt, E.R., Alexandre, R.S., Fernandes, A.A., 2011. Propagação vegetativa de espécies silvestres do gênero Piper, com potencial para uso como porta enxertos em pimenta-do-reino (Piper nigrun). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 13, n. spe, 559-563.

(XII) Mattana, R.S., Franco, V.F., Yamaki, H.O., Almeida, M.E., Ming, L.C., 2009. Propagação vegetativa de plantas de pariparoba [Pothomorphe umbellata (L.) Miq.] em diferentes substratos e número de nós das estacas. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 11, 325-329.

(XIII) Mgbeahuruike, E.E., Yrjönen, T., Vuorela, H., Holm, Y., 2017. Bioactive compounds from medicinal plants: Focus on Piper species. South African Journal of Botany, 112, 54-69.

(XIV) Nunes Gomes, E., Krinski, D., 2016. Propagação vegetativa de Piper amalago (Piperaceae) em função de tipos de estaca e substratos. Cultura Agronômica, 25, 199-210.

(XV) Perigo, C.V., Torres, R.B., Bernacci, L.C., Guimarães, E.F., Haber, L.L., Facanali, R., Marques, M.O.M., 02016. The chemical composition and antibacterial activity of eleven Piper species from distinct rainforest areas in Southeastern Brazil. Industrial Crops and Products, 94, 528-539.

(XVI) Pizzatto, M., Wagner-Júnior, A., Luckmann, D., Pirola, K., Cassol, D.A., Mazaro, S.M., 2011. Influência do uso de AIB, época de coleta e tamanho de estaca na propagação vegetativa de hibisco por estaquia. Revista Ceres, 58, 487-492.

(XVII) Reis, M.S., Mariot, A., Steenbock, W., 2007. Diversidade e domesticação de plantas medicinais, in: Simões, C. M. O., Schenkel, E.P., Gosmann, G., Mello, J.C.P, Mentz, L.A., Petrovick, P.R. (Eds.), Farmacognosia da planta ao medicamento. 6. ed. UFRGS/EDUFSC., Porto Alegre-RS, pp.45-69.

(XVIII) Sacchetti, G., Maietti, S., Muzzoli, M., Scaglianti, M., Manfredini, S., Radice, M., Bruni, R., 2005. Comparative evaluation of 11 essential oils of different origin as functional antioxidants, antiradicals and antimicrobials in foods. Food chemistry, 91, 621-632.

(XIX) Silva, F.A.S., Azevedo, C.A.V., 2016. Comparison of means of agricultural experimentation data through different tests using the software Assistat. African Journal of Agricultural Research, 11, 3527-3531.

(XX) Srinivasan, K., 2007. Black Pepper and its pungent principle-piperine: A review of diverse physiological effects. Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 47, 735-748.

(XXI) Tadeu, H.M., Pio, R., Tiberti, S.A., Figueiredo, M., Souza, F. B.M., 2012. Enraizamento de estacas caulinares e radiculares de Rubus fruticosus tratadas com AIB. Revista Ceres, 59, 881-884.

(XXII) Taiz, L., Zeiger, E., 2013. Fisiologia vegetal, fifth ed. Artmed, Porto Alegre-RS.

(XXIII) Tognolini, M, Barocelli, E., Ballabeni, V., Bruni, R., Bianchi, A., Chiavarini, M, Impicciatore, M., 2006. Comparative screening of plant essential oils: phenylpropanoid moiety as basic core for antiplatelet activity. Life sciences, 78, 1419-1432.

(XXIV) Yamaguchi, L.F., Lago, J.H.G., Tanizaki, T.M., Mascio, P.D., Kato, M.J., 2006. Antioxidant activity of prenylated hydroquinone and benzoic acid derivatives from Piper crassinervium Kunth. Phytochemistry, 67, 1838-1843.

(XXV) Zuffellato-Ribas, K.C., Rodrigues, J.D., 2001. Estaquia: uma abordagem dos principais aspectos fisiologicos. UFPR, Curitiba-PR.

Published

2019-03-08

How to Cite

Nunes Gomes, E., & Krinski, D. (2019). ENRAIZAMENTO DE ESTACAS CAULINARES DE Piper crassinervium Kunth SOB DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE ÁCIDO INDOLBUTÍRICO. REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL, 6(1), 92–97. https://doi.org/10.32404/rean.v6i1.1926