ENRAIZAMENTO DE ESTACAS CAULINARES DE Piper crassinervium Kunth SOB DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE ÁCIDO INDOLBUTÍRICO

Erik Nunes Gomes, Diones Krinski

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito de diferentes concentrações do regulador vegetal ácido indolbutírico (AIB) no enraizamento e brotações de estacas caulinares de Piper crassinervium. Estacas caulinares de 12±1 cm, contendo uma folha reduzida a um terço de seu tamanho, tiveram suas bases imersas por 15 segundos em soluções hidroalcoólicas (50%) com concentrações de zero, 500, 1000, 2000 e 4000 mg L-1 de AIB. Após 45 dias da instalação do experimento, foram avaliadas as porcentagens de sobrevivência, enraizamento, estacas que mantiveram as folhas na região apical (retenção de folhas) e estacas com emissão de novas brotações, número, comprimento médio e massa seca de raízes e massa seca de brotações. Foram observadas altas porcentagens de enraizamento (média 75,83%) e sobrevivência (média de 79,58%), ambas não influenciadas pelas concentrações de AIB. As variáveis de porcentagens de estacas com novas brotações, massa seca de raiz e de brotações foram as únicas que apresentaram resposta significativa à aplicação do regulador, demonstrando inibição à medida que se aumentaram as concentrações. É viável a propagação de P. crassinervium via estaquia caulinar. A espécie apresenta altos índices de enraizamento e sobrevivência, não sendo necessária a aplicação do regulador vegetal AIB.


Texto completo:

PDF

Referências


(I) Albiero, A.L.M., Paoli, A.A.S., Souza, L.A.D., Mourão, K.S. M., 2005. Morphology and anatomy of vegetative organs of Piper crassinervium HB & K. (Piperaceae). Acta Botanica Brasilica, 19, 305-312.

(II) Bardelli, K.C., Kirizawa, M., Sousa, A.V.G.D., 2008. O gênero Piper L. (Piperaceae) da Mata Atlântica da Microbacia do Sítio Cabuçu-Proguaru, Guarulhos, SP, Brasil. Hoehnea, 35, 553-561.

(III) Bischoff, A., Vendramim, D., Nunes Gomes, E., Zuffellato-Ribas, K., Engel, M., Maggioni, R., 2017. Enraizamento de estacas de erva-baleeira em função de diferentes concentrações de ácido indol butírico e número de folhas. Revista de Ciências Agroveterinárias, 16, 41-47.

(IV) Bona, C.M., Biasi, L.A., 2010. Influence of leaf retention on cutting propagation of Lavandula dentata L. Revista Ceres, 57, 526-529.

(V) Botelho, R.V., Maia, A.J., Pires, E.J.P., Terra, M.M., Schuck, E., 2005. Efeitos de reguladores vegetais na propagação vegetativa do porta-enxerto de videira ‘43-43’ (Vitis vinifera x V. rotundifolia). Revista Brasileira de Fruticultura, 27, 6-8.

(VI) Cunha, A.C.M.D., Paiva, H.N.D., Leite, H.G., Barros, N.F. D., Leite, F.P., 2009. Relações entre variáveis climáticas com produção e enraizamento de miniestacas de eucalipto. Revista Árvore, 33, 195-203.

(VII) Danelutte, A.P., Lago, J.H.G., Young, M.C.M., Kato, M.J., 2003. Antifungal flavanones and prenylated hydroquinones from Piper crassinervium Kunth. Phytochemistry, 64, 555-559.

(VIII) Dias, J.P.T., Ono, E.O., Rodrigues, J.D., 2011. IBA e carboidratos no enraizamento de brotações procedentes de estacas radiciais de Rubus spp. Revista Brasileira de Fruticultura, 33, 666-671.

(IX) Guerrini, A., Sacchetti, G., Rossi, D., Paganetto, G., Muzzoli, M., Andreotti, E., Bruni, R., 2009. Bioactivities of Piper aduncum L. and Piper obliquum Ruiz & Pavon (Piperaceae) essential oils from eastern Ecuador. Environmental toxicology and pharmacology, 27, 39-48.

(X) Luz, A.I.R., Zoghbi, M.D.G.B., Maia, J.G.S., 2003. The essential oils of Piper reticulatum L. and P. crassinervium HB K. Acta Amazonica, 33, 341-344.

(XI) Magevski, G.C., Czepak, M.P., Schmildt, E.R., Alexandre, R.S., Fernandes, A.A., 2011. Propagação vegetativa de espécies silvestres do gênero Piper, com potencial para uso como porta enxertos em pimenta-do-reino (Piper nigrun). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 13, n. spe, 559-563.

(XII) Mattana, R.S., Franco, V.F., Yamaki, H.O., Almeida, M.E., Ming, L.C., 2009. Propagação vegetativa de plantas de pariparoba [Pothomorphe umbellata (L.) Miq.] em diferentes substratos e número de nós das estacas. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 11, 325-329.

(XIII) Mgbeahuruike, E.E., Yrjönen, T., Vuorela, H., Holm, Y., 2017. Bioactive compounds from medicinal plants: Focus on Piper species. South African Journal of Botany, 112, 54-69.

(XIV) Nunes Gomes, E., Krinski, D., 2016. Propagação vegetativa de Piper amalago (Piperaceae) em função de tipos de estaca e substratos. Cultura Agronômica, 25, 199-210.

(XV) Perigo, C.V., Torres, R.B., Bernacci, L.C., Guimarães, E.F., Haber, L.L., Facanali, R., Marques, M.O.M., 02016. The chemical composition and antibacterial activity of eleven Piper species from distinct rainforest areas in Southeastern Brazil. Industrial Crops and Products, 94, 528-539.

(XVI) Pizzatto, M., Wagner-Júnior, A., Luckmann, D., Pirola, K., Cassol, D.A., Mazaro, S.M., 2011. Influência do uso de AIB, época de coleta e tamanho de estaca na propagação vegetativa de hibisco por estaquia. Revista Ceres, 58, 487-492.

(XVII) Reis, M.S., Mariot, A., Steenbock, W., 2007. Diversidade e domesticação de plantas medicinais, in: Simões, C. M. O., Schenkel, E.P., Gosmann, G., Mello, J.C.P, Mentz, L.A., Petrovick, P.R. (Eds.), Farmacognosia da planta ao medicamento. 6. ed. UFRGS/EDUFSC., Porto Alegre-RS, pp.45-69.

(XVIII) Sacchetti, G., Maietti, S., Muzzoli, M., Scaglianti, M., Manfredini, S., Radice, M., Bruni, R., 2005. Comparative evaluation of 11 essential oils of different origin as functional antioxidants, antiradicals and antimicrobials in foods. Food chemistry, 91, 621-632.

(XIX) Silva, F.A.S., Azevedo, C.A.V., 2016. Comparison of means of agricultural experimentation data through different tests using the software Assistat. African Journal of Agricultural Research, 11, 3527-3531.

(XX) Srinivasan, K., 2007. Black Pepper and its pungent principle-piperine: A review of diverse physiological effects. Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 47, 735-748.

(XXI) Tadeu, H.M., Pio, R., Tiberti, S.A., Figueiredo, M., Souza, F. B.M., 2012. Enraizamento de estacas caulinares e radiculares de Rubus fruticosus tratadas com AIB. Revista Ceres, 59, 881-884.

(XXII) Taiz, L., Zeiger, E., 2013. Fisiologia vegetal, fifth ed. Artmed, Porto Alegre-RS.

(XXIII) Tognolini, M, Barocelli, E., Ballabeni, V., Bruni, R., Bianchi, A., Chiavarini, M, Impicciatore, M., 2006. Comparative screening of plant essential oils: phenylpropanoid moiety as basic core for antiplatelet activity. Life sciences, 78, 1419-1432.

(XXIV) Yamaguchi, L.F., Lago, J.H.G., Tanizaki, T.M., Mascio, P.D., Kato, M.J., 2006. Antioxidant activity of prenylated hydroquinone and benzoic acid derivatives from Piper crassinervium Kunth. Phytochemistry, 67, 1838-1843.

(XXV) Zuffellato-Ribas, K.C., Rodrigues, J.D., 2001. Estaquia: uma abordagem dos principais aspectos fisiologicos. UFPR, Curitiba-PR.




DOI: https://doi.org/10.32404/rean.v6i1.1926

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 JOURNAL OF NEOTROPICAL AGRICULTURE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.