DESENVOLVIMENTO INICIAL E QUANTIFICAÇÃO DE PROTEÍNAS DO MILHO APÓS INOCULAÇÃO COM NOVAS ESTIRPES DE Azospirillum brasilense

Rodrigo Mattos Silva Galeano, Analice Paula de Souza Campelo, Aline Mackert, Marivaine da Silva Brasil

Resumo


O uso indiscriminado de fertilizantes nitrogenados na cultura do milho ocasiona poluição ambiental. A fixação biológica do nitrogênio (FBN) é uma alternativa para a redução desses químicos em campo. Bactérias do gênero Azospirillum estão entre as mais importantes envolvidas na FBN em gramíneas. Portanto, o objetivo do trabalho foi analisar a germinação e o desenvolvimento inicial, bem como quantificar as proteínas totais do milho após a inoculação com diferentes estirpes de Azospirillum brasilense isoladas de gramíneas do Pantanal Sul-Mato-Grossense. O experimento foi inteiramente casualizado com três repetições de 50 sementes para os seguintes tratamentos: testemunha sem inoculação; inoculação com estirpes MAY1, MAY12 e BR-11001; e inoculante comercial contendo as estirpes AbV5 e AbV6. Os parâmetros avaliados foram germinação de sementes, primeira contagem de germinação, massa seca da parte aérea e das raízes de plântulas e proteínas totais das folhas. A inoculação não influenciou significativamente na germinação. A massa seca da parte aérea e de raízes foi maior com inoculação de MAY12 e inoculante comercial. Resultados na quantificação de proteína mostraram que sementes inoculadas com MAY12 (3628 µg mL-1) possuem maiores concentrações de proteínas totais. Portanto, a inoculação com MAY12 proporcionou efeitos positivos de incremento de massa seca e proteínas totais.


Texto completo:

PDF

Referências


(I) Aguiar, R.S., Vasquez, H.M., Silva, J.F.C., 2000. Produção e composição química-bromatológica do capim-furacão (Panicum repens L.) sob adubação e diferentes idades de corte. Revista Brasileira de Zootecnia, 9, 325-333.

(II) Andrade, A.C., Fonseca, D.M., Queiroz, D.S., Salgado, L.T., Cecon, P.R., 2003. Adubação nitrogenada e potássica em capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum. cv. Napier). Ciência e Agrotecnologia, Edição especial, 1643-1651.

(III) Araújo, E.O., Vitorino, A.C.T., Mercante, F.M., Nunes, D.P., Scalon, S.P.Q., 2014. Qualidade de sementes de milho em resposta à adubação nitrogenada e à inoculação com bactérias diazotróficas. Agrária – Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 9(2), 159-165.

(IV) Araújo, S.C., 2008. Realidade e perspectivas para o uso de Azospirillum na cultura do milho. Revista Informações Agronômicas, 122, 4-6.

(V) Bashan, Y., 1999. Interactions of Azospirillum spp. in soils: a review. Biology and Fertility of Soils, 29, 246-256.

(VI) Bashan, Y., Bashan, L.E., 2005. Plant growth-promoting, in: Hillel, D. Encyclopedia of soil in the environment, v.1, p. 103-115.

(VII) Bradford, M.M., 1976. A rapid and sensitive for the quantization of microgram quantities of protein utilizing the principle of protein-dye binding. Analytical Biochemistry, 72, 248-254.

(VIII) Brandão, A.R., Barbosa, H.S, Arruda, M.A.Z., 2010. Image analysis of two-dimensional get electrophoresis for comparative proteomics of transgenic and non-transgenic soybean seeds. Journal of Proteomics, 73(8), 1433-1440.

(IX) Brasil, 2009. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília, Mapa/ACS, 399 p.

(X) Cassán, F., Perrig, D., Sgroy, V., Masciarelli, O., Penna, C., Luna, V., 2009. Azospirillum brasilense Az39 and Bradyrhizobium japonicum E109, inoculated singlyor in combination, promote seed germination and early seed ling growth in corn (Zea mays L.) and soybean (Glycine max L.). European Journal Soil and Biology, 45(1), 28-35.

(XI) Didonet, A.D., Rodrigues, O., Kenner, M.H., 1996. Acúmulo de nitrogênio e de massa seca em plantas de trigo inoculadas com Azospirillum brasiliense. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 31(9), 645-651.

(XII) Döbereiner, J., Baldani, V.L.D., Baldani, J.I., 1995. Como isolar e identificar bactérias diazotróficas de plantas não leguminosas. Brasília: Embrapa-SPI. Itaguaí, RJ, Embrapa-CNPAb, 60 p.

(XIII) Dotto, A.P., Lana, M.C., Steiner, F., Frandoloso, J.F., 2010. Produtividade do milho em resposta à inoculação com Herbaspirillum seropedicae sob diferentes níveis de nitrogênio. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 5(3), 376-382.

(XIV) Drechsel, M.M., Baldani, V.L.D., 2006. Métodos de desinfestação para obtenção de sementes de milho livre de microrganismos. Seropédica, Embrapa Agrobiologia, 16 p.

(XV) Ferreira, D.F., 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, 35(6), 1039-1042.

(XVI) Hungria, M., 2011. Inoculação com Azospirillum brasilense: inovação em rendimento a baixo custo. Documentos 325, Londrina, Embrapa Soja.

(XVII) Hungria, M., Campo, R.J., Mendes, I.C., 2001. Fixação biológica do nitrogênio na cultura da soja. Circular técnica, Londrina, Embrapa Soja.

(XVIII) Moreira, F.M.S, Silva, K., Nobrega, R.S.A., Carvalho, F., 2010. Bactérias diazotróficas associativas: diversidade, ecologia e potencial de aplicações. Comunicata Scientiae, 1(2), 74-99.

(XIX) Reis, V.M., Teixeira, K.R.S., 2005. Fixação biológica do nitrogênio – estado de arte, in: Aquino, A.M., Assis, R.L. Processos biológicos no sistema solo-planta: ferramentas para uma agricultura sustentável. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, p. 151-180.

(XX) Reis Junior, F.B., Machado, C.T.T., Machado, A.T., Sodek, L., 2008. Inoculação de Azospirillum amazonense em dois genótipos de milho sob diferentes regimes de nitrogênio. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 32, 1139-1146.

(XXI) Sangoi, L., Berns, A.C., Almeida, M.L., Zanin, C.G., Schweitzer, C., 2007. Características agronômicas de cultivares de trigo em resposta à época da adubação nitrogenada de cobertura. Ciência Rural, 37(6), 1564-1570.

(XXII) Silva, R.S., Souza, C.R.B., 2009. Extração e análise eletroforética em gel de poliacrilamida (SDS-PAGE) de proteínas totais de folhas e raízes de Piper tuberculatum. Acta Amazônica, 39(2), 255-260.

(XXIII) Taiz, L., Zeiger, E., 2003. Plant Physiology. Panima publishing corporation, New Delhi, third ed.

(XXIV) Tarrand, J.J., Krieg, N.R., Döbereiner, J., 1978. A taxonomic study of the Spirillum lipoferum group, with descriptions of a new genus, Azospirillum gen. nov. and two species, Azospirillum lipoferum (Beijerinck) comb. nov. and Azospirillum brasilense sp. nov. Canadian Journal of Microbiology, 24, 967-980.

(XXV) Torres, M.S.T., Baura, V.A., Santos, S.A., Fernandes-Júnior, P.I., Reis Junior, F.B., Marques, M.R., Paggi, G.M., Brasil, M.S., 2017. Azospirillum spp. from native forage grasses in Brazilian Pantanal floodplain: biodiversity and plant growth promotion potential. World Journal of Microbiology & Biotechnology, 33, 81.




DOI: https://doi.org/10.32404/rean.v6i2.2613

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 JOURNAL OF NEOTROPICAL AGRICULTURE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.