UTILIZAÇÃO DE MÉTODOS FÍSICOS E DE FITORREGULADORES PARA SUPERAÇÃO DE DORMÊNCIA EM SEMENTES DE PINHA

Authors

  • Luís Henrique Costa Vasconcelos Universidade Federal de Goiás - Anápolis/GO
  • Eduardo Pradi Vendruscolo Universidade Federal de Goiás - Jataí/GO
  • Rebeca Freitas Vasconcelos Universidade Federal de Goiás - Goiânia/GO
  • Marivone Moreira dos Santos Universidade Federal de Goiás - Jataí/GO
  • Alexsander Seleguini Universidade Federal de Goiás - Goiânia

DOI:

https://doi.org/10.32404/rean.v2i4.267

Abstract

A pinha é uma fruta muito apreciada devido ao sabor, e pode ser propagada por sementes ou de forma vegetativa por enxertia. No entanto, a produção de mudas por propagação seminal é dificultada pela dormência acentuada das sementes. Neste aspecto, objetivou-se determinar o melhor tratamento para a superação de dormência de sementes de pinha (Annona squamosa L.), submetendo-as à associação de tratamento pré-germinativo mecânico e não mecânico. Foi empregado o delineamento experimental inteiramente casualizado em esquema fatorial 4 × 2, com quatro repetições. Os tratamentos foram caracterizados por quatros tratamentos pré-germinativos não mecânicos em associação a tratamento pré-germinativo mecânico (presença ou ausência) com escarificação mecânica com lixa nº120. Os tratamentos avaliados foram: T1 – Controle sem escarificação; T2 – Escarificação mecânica; T3 - Ethrel (500 mg L-1); T4 - Ethrel (500 mg L-1) + escarificação mecânica; T5 - Água quente (60 ºC por 1 minuto); T6 -  Água quente (60 ºC por 1 minuto) + escarificação mecânica; T7 - Ácido giberélico, GA3 (1000 mg L-1); T8 - Ácido giberélico, GA 3 (1000 mg L-1) + escarificação mecânica. Avaliou-se a taxa de germinação, tempo, índice e velocidade de germinação, além do comprimento da raiz primária. Os tratamentos pré-germinativos das sementes de pinha com ácido giberélico em associação com escarificação mecânica tornaram-se os métodos mais indicados para a superação da dormência desta espécie.

Palavras-chave: Annona squamosa L., fitormônios, reguladores vegetais, escarificação, anonáceas

References

(1) BRASIL MAPA. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Regras para análise de sementes. Brasília – DF: Secretaria de Defesa Agropecuária e Coordenação Geral de Apoio Laboratorial, 2009. 395p.

(2) CAMPOS, L. F. C.; ABREU, C. M. D.; GUIMARÃES, R. N.; SELEGUINI, A. Scarification and gibberellic acid on emergence and seedling growth of Biriba. Ciência Rural, Santa Maria-RS v. 45, n. 10, p. 1748-1754, 2015.

(3) FERREIRA, M. G. R.; SANTOS, M. R. A.; SILVA, E. O.; GONÇALVES, E. P.; ALVES, E. U.; BRUNO, R. L. A. Superação de dormência em sementes de biribá (Rollinia mucosa (Jacq.) Baill). Revista Brasileira de Sementes, Londrina-PR, v. 31, n. 4, p. 95-99, 2009.

(4) GALINDO, E. A.; ALVES, E. U.; SILVA, K. B.; BARROZO, L. M.; MOURA, S. S. S. Germinação e vigor de sementes de Crataeva tapia L. em diferentes temperaturas e regimes de luz. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza-CE, v. 43, n. 1, p. 138-145, 2012.

(5) LABOURIAU, L. F. G. A Germinação de sementes. Washington: Organização dos Estados Americanos, 1983. 174p.

(6) LABOURIAU, L. F. G.; VALADARES, M.E.B. On the germination of seeds Calotropis procera (Ait.) Ait.f. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro-RJ. v.48, n.2, p.263-284, 1976.

(7) LIMA-BRITO, A.; CAMPOS, V. C. A.; SANTANA, J. R. F.; DORNELLES, A. L. C. Efeito do ácido giberélico (GA3) na emergência de plântulas de Annona crassiflora Mart., Annona squamosa L. e Annona muricata L. Magistra, Cruz das Almas-BA, v. 18, n. 1, p. 27-33, 2006.

(8) MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, Madison-WI, v. 2, n. 2, p.176-177, 1962.

(9) MELO, A. P. C.; SELEGUINI, A.; CASTRO, M. N.; ANDRADE MEIRA, F.; SILVA GONZAGA, J. M.; HAGA, K. I. Superação de dormência de sementes e crescimento inicial de plântulas de umbuzeiro. Semina: Ciências Agrárias, Londrina-PR v. 33, n. 4, p. 1343-1350, 2012.

(10) MENEGAZZO, M. L.; KULCZYNSK, S. M.; OLIVEIRA, A. C.; SILVA, E. A. Produção de mudas de pinha em diferentes recipientes utilizando métodos de superação de dormência em sementes. Revista Agrarian, Dourados-MS, v. 6, n. 20, p. 121-129, 2013.

(11) NETO, A. F.; DANTAS, B. F.; ALMEIDA, F. A. C.; LIMA, M. S.; SILVA, F. F. S. Influência da embalagem e do local de armazenamento na qualidade fisiológica de sementes de abóbora 'jacarezinho' (Curcubita moschata Duch). Revista Engenharia na Agricultura, Viçosa-MG, v. 22, n. 4, p. 294-305, 2014.

(12) OLIVEIRA, M. C.; FERREIRA, G.; GUIMARÃES, V. F.; DIAS, G. B. Germinação de sementes de atemoia (Annona cherimola Mill. x A. squamosa L.) cv 'Gefner' submetidas a tratamentos com ácido Giberélico (GA3) e ethephon. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal-SP, v.32, n.2, p. 544-554, 2010.

(13) SÃO JOSÉ, A. R.; PIRES, M. M.; FREITAS, A. L. G. E.; RIBEIRO, D. P.; PEREZ, L. A. A. Atualidades e perspectivas das Anonáceas no mundo. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal-SP, v. 36, n. especial, p. 86-93, 2014.

(14) SCALOPPI JUNIOR, E. J.; MARTINS, A. B. G. Estaquia em Anonas. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal-SP, v.36, n. especial, p. 147-156, 2014.

(15) SILVA, A V. C.; ANDRADE, D. G.; YAGUIU, P.; CARNELOSSI, M. A. G.; MUNIZ, E. N.; NARAIN, N. Uso de embalagens e refrigeração na conservação de atemóia. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas-SP, v. 29, n. 2, p. 300-304, 2009.

(16) SILVA, P. E. M.; SANTIAGO, E. F.; DALOSO, D. M.; SILVA, E. M.; SILVA, J. O. Quebra de dormência em sementes de Sesbania virgata (Cav.) Pers. Idesia, Arica-Chile, v. 29, n. 2, p. 39-45, 2011.

(17) BRAGA SOBRINHO, R. Produção integrada de Anonáceas no Brasil. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal-SP, v. 36 n. especial, p. 102-107, 2014.

(18) SOUSA, S. A.; DANTAS, A. C. V. L.; PELACANI, C. R.; VIEIRA, E. L.; LEDO, C. A. S. Superação da dormência em sementes de pinha. Caatinga, Mossoró-RN, v. 21, n. 4, p. 118-121, 2008.

(19) STENZEL, N. M. C.; MURATA, I. M.; NEVES, C. S. V. J. Superação da dormência em sementes de atemóia e fruta-do-conde. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal-SP, v. 25, n. 2, p. 305-308, 2003.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2013. 954p.

(20) WAGNER JÚNIOR, A.; PIMENTEL, L. D.; NEGREIROS, J. R. S.; ERES, C. R. L.; ALEXANDRE, R. S.; DINIZ, E. R.; BRUCKNER, C. H. Influência do tempo de embebição em água sobre a dormência de sementes de pinha (Annona squamosa L.). Ceres, Viçosa-MG, v. 53, n. 307, p. 317-332, 2006

Published

11/12/2015

How to Cite

Vasconcelos, L. H. C., Vendruscolo, E. P., Vasconcelos, R. F., Santos, M. M. dos, & Seleguini, A. (2015). UTILIZAÇÃO DE MÉTODOS FÍSICOS E DE FITORREGULADORES PARA SUPERAÇÃO DE DORMÊNCIA EM SEMENTES DE PINHA. REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL, 2(4), 20–24. https://doi.org/10.32404/rean.v2i4.267

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>