PERDAS OCORRIDAS NA COLHEITA DO MILHO EM FUNÇÃO DO TEOR DE ÁGUA DOS GRÃOS NA COLHEITA

Visualizações: 914

Authors

  • Fernando Shintate Galindo Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Ilha Solteira
  • João Zocoler Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Ilha Solteira
  • Marcelo Teixeira Filho Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Ilha Solteira
  • Salatier Buzetti Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Ilha Solteira
  • Cleiton Alves Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Ilha Solteira
  • José Santini Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Ilha Solteira

DOI:

https://doi.org/10.32404/rean.v6i1.2742

Abstract

A utilização de métodos de fácil aplicação e com resultados rápidos na determinação do teor de água nos grãos é importante para que os produtores de milho possam decidir o momento correto para realização da colheita, com redução das perdas na produtividade de grãos com a secagem natural a campo. Objetivou-se estudar o teor de água dos grãos na colheita da cultura do milho, para a melhor produtividade e os melhores componentes produtivos, bem como para as menores perdas com a secagem natural a campo. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso com quatro repetições, e os tratamentos consistiram na colheita nos seguintes teores de água em base úmida (b.u.) dos grãos: 28,9 (ponto de maturidade fisiológica plena); 23,5; 21,9; 18,9; 16,1; e 13,8%. Todas as variáveis avaliadas foram influenciadas pelo teor de água dos grãos na colheita, tendo apresentado regressão linear crescente para o número de espigas por hectare, população final de plantas por hectare e produtividade potencial de grãos. Para a produtividade observada, o melhor ajuste foi a regressão quadrática, com o ponto de máxima produtividade de grãos de 10.220 kg ha-1 alcançado no teor de água nos grãos de 23,3% na ocasião da colheita.

References

(I) Alencar, E. R., Faroni, L. R. D., Lacerda Filho, A. F., Peternelli, L. A., Costa, A. L. 2009. Qualidade dos grãos de soja armazenamentos em diferentes condições. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 13, 606-613.

(II) Alves, W. M., Faroni, L. R. A., Queiroz, D. M., Corrêa, P. C., Galvão, J. C. C. 2001. Qualidade dos grãos de milho em função da umidade de colheita e da temperatura de secagem. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 5, 469-474.

(III) Bruns, H. A., Abbas, H. K. 2004. Effects of harvest date on maize in the humid subtropical mid-south USA. Maydica, 49, 1-8.

(IV) Cantarella, H., Raij, B. Van, Camargo, C. E. O. Cereais. In: Raij, B. Van, Cantarella, H., Quaggio, J. A., Furlani, A. M. C. Recomendações de calagem e adubação para o Estado de São Paulo. Campinas-SP: Instituto Agronômico de Campinas, 1997. 285 p. (Boletim técnico, 100).

(V) Daynard, T.B., Duncan, W.G. 1969. The black layer and grain maturity in corn. Crop Science, 9, 473-476.

(VI) Di Domenico, A. S., Danner, M. A., Busso, C., Christ, D., Coelho, S. R. M. 2015. Análise de trilha da contaminação por aflatoxinas em grãos de milho armazenados. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 50, 441-449.

(VII) Embrapa. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3.ed. Brasília-DF: Embrapa Solos, 2013. 353 p.

(VIII) Fahl, J.I., Carelli, M.L.C., Moniz, E.A.L., Oliveira, A.L.F. 1994. Avaliação da maturação de grãos de milho através da linha do leite para aplicação de dessecantes químicos. Bragantia, 53, 209-218.

(IX) Galindo, F. S., Zocoler, J. L., Teixeira Filho, M. C. M., Santini, J. M. K., Ludkiewicz, M. G. Z., Buzetti, S. 2017. Teor de água nos grãos, em ocasião de colheita nas perdas ocorridas no milho. Cultura Agronômica, 26, 671-682.

(X) Gottardo, F. A., Cestari Júnior, H. 2008. Viabilidade econômico-financeira de implantação de um sistema de armazenagem de grãos: um estudo de caso em uma média propriedade rural em Campo Mourão-PR. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente, 1, 55-76.

(XI) Janas, S., Boutry, S., Malumba, P.; Vander Elst, L., Béra, F. 2010. Modelling dehydration and quality degradation of maize during fluidized-bed drying. Journal of Food Engineering, 100, 527–534.

(XII) Marques, O. J., Dalpasquale, V. A., Vidigal Filho, P. S., Scapim, C. A., Reche, D. L. 2011. Danos mecânicos em grãos de híbridos comerciais de milho em função da umidade de colheita. Semina: Ciências Agrárias, 32, 565-576.

(XIII) Marques, O. J., Vidigal Filho, P. S., Dalpasquale, V. A., Scapim, C. A., Pricinotto, R. F., Júnior, M. M. 2009. Incidência fúngica e contaminações por micotoxinas em grãos de híbridos comerciais de milho em função da umidade de colheita. Acta Scientiarum. Agronomy, 31, 667-675.

(XIV) Marques, O. J., Vidigal Filho, P. S., Scapim, C. A., Reche, D. L., Pricinotti, R. F., Okumura, R. S. 2012. Qualidade comercial de diferentes híbridos de milho em função do teor de água nos grãos durante a colheita. Semina: Ciências Agrárias, 33, 911-920.

(XV) Raij, B. Van, Andrade, J. C., Cantarella, H., Quaggio, J. A. Análise química para avaliação da fertilidade de solos tropicais. Campinas-SP: IAC, 2001. 285 p.

(XVI) Schuh, G., Gottardi, R., Ferrari Filho, E., Antunes, L. E. G., Dionello, R.G. 2011. Efeitos de dois métodos de secagem sobre a qualidade físico‑química de grãos de milho safrinha-RS, armazenados por 6 meses. Semina: Ciências Agrárias, 32, 235-244.

(XVII) Smaniotto, T. A., Resende, O., Marçal, K. A. F., Oliveira, D. E. C., Simon, G. A. 2014. Qualidade fisiológica das sementes de soja armazenadas em diferentes condições. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 18, 446-453.

(XVIII) Tabile, R. A., Toledo, A., Silva, R. P., Furlani, C. E. A., Grotta, D. C. C., Cortez, J. W. 2008. Perdas na colheita de milho em função da rotação do cilindro trilhador e umidade dos grãos. Scientia Agrária, 9, 505-510.

(XIX) Tefera, T., Kanampiu, F., De Groote, H., Hellin, J., Mugo, S., Kimenju, S., Beyene, Y., Boddupalli, P. M., Shiferaw, B., Banziger, M. 2011. The metal silo: An effective grain storage technology for reducing post-harvest insect and pathogen losses in maize while improving smallholder farmers’ food security in developing countries. Crop Protection, 30, 240-245.

(XX) Weinberg, Z. G., Yan, Y., Chen, Y., Finkelman, S., Ashbell, G., Navarro, S. 2008. The effect of moisture level on high-moisture maize (Zea mays L.) under hermetic storage conditions-in vitro studies. Journal of Stored Products Research, 44, 136-144.

Published

2019-03-08

How to Cite

Galindo, F. S., Zocoler, J., Teixeira Filho, M., Buzetti, S., Alves, C., & Santini, J. (2019). PERDAS OCORRIDAS NA COLHEITA DO MILHO EM FUNÇÃO DO TEOR DE ÁGUA DOS GRÃOS NA COLHEITA. REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL, 6(1), 60–65. https://doi.org/10.32404/rean.v6i1.2742

Most read articles by the same author(s)