OCORRÊNCIA DE NEMATÓIDES FITOPARASITOS EM SOLO CULTIVADO COM ALGODÃO E SOJA

Authors

  • Amanda Casagrande Pereira Mestranda, Programa de Pós-graduação em Agronomia, Unidade Universitária de Cassilândia (UUC), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), CEP: 79540-000, Cassilândia, MS.
  • Luciana Claudia Toscano Doutora, Unidade Universitária de Cassilândia (UUC), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), CEP: 79540-000, Cassilândia, MS.
  • Alexandra Botelho Abreu Pesquisadora, Fundação Chapadão do Sul-MS
  • Noemi Souza Vieira Mestre, Programa de Pós-graduação em Agronomia, Unidade Universitária de Cassilândia (UUC), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), CEP: 79540-000, Cassilândia, MS.
  • Pamella Mingotti Dias Mestre, Programa de Pós-graduação em Agronomia, Unidade Universitária de Cassilândia (UUC), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), CEP: 79540-000, Cassilândia, MS.

DOI:

https://doi.org/10.32404/rean.v2i4.276

Abstract

O objetivo da pesquisa foi identificar a dinâmica populacional das espécies de nematóides nas culturas de algodão e soja em Cassilândia-MS. O experimento foi instalado na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), em duas áreas com 500 m² para cada cultura. As coletas de solo e raiz foram realizadas a cada 15 dias desde o início até o término das culturas, totalizando oito coletas. As amostras coletadas foram encaminhadas para o laboratório da Fundação Chapadão, em Chapadão do Sul-MS. Os nematóides identificados nas culturas foram dos gêneros Pratylenchus, Meloidogyne, Heterodera, Helicotylenchus, Mesocriconema, sendo a maior população encontrada para o gênero Pratylenchus, variando de 10 a 100 indivíduos/100 cm3 de solo para nos cultivos de soja e algodão. Quanto à ocorrência nas raízes houve variação de 560 a 5100 indivíduos/10 g para a soja, e de 70 a 2400/10 g para algodão. Os nematóides encontrados nas culturas de algodão e soja foram: Pratylenchus sp., P. zeae, P. brachyurus e Heterodera sp. O gênero Helicotylenchus sp. infectou somente o algodão e Meloidogyne sp. e Mesocriconema sp. exclusivamente a cultura da soja.

Palavras-chave: Fitonematóides, Helicotylenchus, Pratylenchus, Heterodera, Meloidogy

References

(1) AGUIAR, P. FMT-701 um sucesso absoluto! Rondonopolis-MT: Fundação MT, 2007. 5p. (Boletim informativo bimestral- n° 19).

(2) ASMUS, G. L. Ocorrência de Nematóides Fitoparasitos em Algodoeiro no Estado de Mato Grosso do Sul. Nematologia Brasileira, Piracicaba-SP, v. 28, n. 1, p. 77-86, 2004.

(3) BRASMAX GENÉTICA LTDA. Região Cerrado: BRASMAX POTENCIA RR. Disponível em: http://brasmaxgenetica.com.br/cultivar/regiao-cerrado/produto/30. Acesso: 19/julho/2015.

(4) CAMPOS, H. D.; CAMPOS, V. P.; POZZA, E. A. Efeito do tempo, substrato e temperatura na penetração de juvenis do segundo estádio de Meloidogyne javanica e Heterodera glycines em soja. Summa Phytopathologica, Botucatu-SP, v. 32, n. 2, p. 156-160, 2006

(5) CONAB. COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da safra Brasileira grãos, Safra 2014/15 – Décimo Levantamento. Brasília-DF: 2015. Disponível em: http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/15_07_09_08_59_32_boletim_graos_julho_2015.pdf. Acesso em: 15 de junho de 2015.

(6) COOLEN, W. A; D’HERDE, C. J. A method for the quantitative extraction of nematodes form plant tissue. Ghent: State agriculture Research Center, 1972. p.77.

(7) CUNHA, R. P.; MAIA, G. L.; RODACKI, M. E. P.; SILVA, G. S.; MEYER, M. C. Ciclo de vida de Heterodera glycines raça 9 em soja no Estado do Maranhão. Summa Phytopathologica, Botucatu-SP, v. 34, n. 3, p. 262-264, 2008.

(8) CURTIS, R. H. C.; ROBINSON, A. F.; PERRY, R. N. Hatch and host location. In: PERRY, R. N.; MOENS, M.; STARR, J. (eds). Root-knot nematodes. Wallingford, UK, CABI Plublishing, 2009. p. 139-162.

(9) DAVIDE, R. G. Nematode survey and collection of samples. In: DELA CRUZ JUNIOR, F .S.; VAN DEN BERGH, R. I. D.; WAELE, D.M. (Eds.) Towards management of Musa nematodes in Asia and the Pacific. Technical... Los Baños: Inibap, p. 3-6. 2003.

(10) EMBRAPA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema brasileiro de classificação de solos. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Brasília-DF, 1999. 412 p.

(11) EMBRAPA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Tecnologias de produção de soja- Região Central do Brasil 2012 e 2013. Centro Nacional de Pesquisa de Soja. Londrina-PR: Embrapa Soja, 2011, 261 p. (Sistemas de Produção, 15).

(12) FERRAZ, L. C. C. B. As meloidoginoses da soja: passado, presente e futuro. In: SILVA, J. F. V. (Org.). Relações parasito-hospedeiro nas meloidoginoses da soja. Londrina-SP: EMBRAPA Soja; Sociedade Brasileira de Nematologia, 2001. p. 15-38.

(13) FERRAZ, S. Summary report on the current status, progress and needs for Meloidogyne research in Brazil (Region III). In: SASSER, J. N.; CARTER, C.C. (Ed.). An advanced treatise on Meloidogyne. Volume I: Biology and control. Raleigh: North Caroline State University Graphics, 1985. p. 351-352.

(14) FIGUEIRA, A. F.; BERBARA, R. L. L.; PIMENTEL, J. P. Estrutura da população de nematóides do solo em uma unidade de produção agroecológica no Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá- PR, v. 33, n. 2, p. 223-229, 2011.

(15) GOULART, A. M. C.; FERRAZ, L. C. C. B. Comunidade de nematóides em Cerrado com vegetação original preservada ou substituída por culturas. Nematologia Brasileira, Piracicaba-SP, v. 27, n. 2 p. 129-137, 2003.

(16) GOULART, A. M. C. Aspectos gerais sobre Nematóides-das-lesões radiculares (gênero Pratylenchus). Planaltina-DF: Embrapa Cerrados, 2008. 27p. (Documentos 219).

(17) INOMOTO, M. M. Principais nematóides na cultura da soja e seu manejo. Monsanto em Campo, Piracicaba-SP, v. 7, n. 1, s/p, 2006.

(18) JENKINS, W. R. A rapid centrifugal- flotation technique for separating nematodes from soil. The Plant Disease Reporter, Washington-USA, v. 48, n. 6, p. 692, 1964.

(19) MATTOS, J. K. A.; HUANG, S. P.; PIMENTEL, C. M. M. Grupos tróficos da comunidade de nematóides do solo em oito sistemas de uso da terra nos cerrados do Brasil Central. Nematologia Brasileira, Piracicaba-SP v. 30, n. 3, p. 267-273, 2006.

(20) GALBIERI, R.; FUZATTO, M. G.; CIA, E.; LÜDERS, R. R.; MACHADO, A. C. Z.; BOLDT, A. F. Reação de cultivares de algodoeiro a Meloidogyne incógnita em condições de campo e casa de vegetação no estado de Mato Grosso. Tropical Plant Pathology, Brasília-DF, v. 34, n.1, p. 18- 23, 2009.

(21) SILVA, R. A.; SERRANO, M. A. S.; INOMOTO, M.M.; ASMUS, G. L. Distribuição populacional e danos provocados por Meloidogyne incógnita, Rotylenchulus reniformis e Pratylenchulus brachyurus na cultura do algodoeiro no estado de Mato Grosso. Várzea Grande-MT, 2004. Disponível em: http://antigo.facual.org.br/pesquisa/arquivos/Relatorio_Nematoide.pdf. Acessado em: 03/julho/2015.

(22) TARTÉ, R.; CERRUD, D.; RODRIGUEZ, I.; OSORIO, J. M. Presencia y parasitismo de Pratylenchus zeae em cana de azucar em Panamá com indicaciones sobre La susceptibilidad relativa de algunos cultivares. Turrialba, San Jose, v. 27, p. 259-266, 1997

Published

04/12/2015

How to Cite

Pereira, A. C., Toscano, L. C., Abreu, A. B., Vieira, N. S., & Dias, P. M. (2015). OCORRÊNCIA DE NEMATÓIDES FITOPARASITOS EM SOLO CULTIVADO COM ALGODÃO E SOJA. REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL, 2(4), 14–19. https://doi.org/10.32404/rean.v2i4.276

Most read articles by the same author(s)