CULTIVO DE SOJA SOB DIFERENTES DENSIDADES DE SEMEADURA E ARRANJOS ESPACIAIS

Visualizações: 2569

Authors

  • Simério Carlos Silva Cruz Professor da Universidade Federal de Goiás – Campus Jataí (UFG-CAJ) Unidade Jatobá – Rodovia BR 364, KM 192, Jataí
  • Darly Geraldo Sena Junior Professor da Universidade Federal de Goiás – Campus Jataí (UFG-CAJ) Unidade Jatobá – Rodovia BR 364, KM 192, Jataí
  • Danilo Marcelo Aires dos Santos PNPD- Universidade Federal de Goiás – Campus Jataí (UFG-CAJ) Unidade Jatobá – Rodovia BR 364, KM 192, Jataí
  • Leandro Oliveira Lunezzo Aluno de Graduação do curso de Agronomia da Universidade Federal de Goiás – Campus Jataí.
  • Carla Gomes Machado Professora da Universidade Federal de Goiás – Campus Jataí (UFG-CAJ) Unidade Jatobá – Rodovia BR 364, KM 192, Jataí

DOI:

https://doi.org/10.32404/rean.v3i1.431

Abstract

A produtividade é definida pela interação entre a planta, ambiente e manejo. Dentre as práticas de manejo destacam-se a densidade de semeadura e o espaçamento entrelinhas. Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito de densidades e arranjos de plantas no desenvolvimento vegetativo e produtividade de grãos de soja. O delineamento experimental foi de blocos casualizados com quatro repetições em esquema de parcelas subdivididas. Nas parcelas foram alocados dois arranjos espaciais: convencional (45 cm entre fileiras) e fileira duplas (65 cm entre uma fileira dupla e outra e 25 cm entre as linhas dentro da fileira dupla). Nas subparcelas foram alocadas cinco densidades de semeadura (7, 10, 15, 19 e 22 sementes m-1). Cada subparcela foi composta por oito linhas com 5,0 m de comprimento. A cultivar utilizada foi a ANTA 82, com ciclo de aproximadamente 115 dias e hábito de crescimento semi-determinado. O arranjo espacial em fileiras duplas proporciona redução na altura das plantas, porém não interfere na produtividade de grãos de soja.  O aumento da densidade de semeadura resulta em aumento da produtividade de grãos da soja independente do arranjo espacial entre plantas utilizado.

References

(1) ARGENTA, G.; SILVA, P.R.F.; SANGOI, L. Arranjo de plantas em milho: análise do estado-da-arte. Ciência Rural, Santa Maria-RS, v.31, n.6, p.1075-1084, 2001.

(2) BRACHTVOGEL, E.L.; PEREIRA, F.R.S. da; CRUZ, S.C.S.; BICUDO, S.J. Densidades populacionais de milho em arranjos espaciais convencional e equidistante entre plantas. Ciência Rural, Santa Maria-RS, v. 39, n.8, p. 2334-2339, 2009.

(3) BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DA REFORMA AGRÁRIA. Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária. Departamento de Defesa Vegetal. Coordenação de Laboratório Vegetal. Regras para análise de sementes. Brasília, DF, 2009. 395p.

(4) BRUNS, H.A. Comparisons of Single-Row and Twin-Row Soybean Production in the Mid-South. Agronomy Journal Madison – WI, v.103, n. 3, p. 702-708, 2011.

(5) EMBRAPA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2.ed. Rio de Janeiro-RJ: Embrapa - SPI, 2006. 286 p.

(6) EMBRAPA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. 2.ed. Brasília-DF: Informação Tecnológica, 2009. 628p.

(7) KOMORI, E.; HAMAWAKI, O. T.; SOUZA, M. P.; SHIGIHARA, D.; BATISTA, A. M. Influência da época de semeadura e população de plantas sobre características agronômicas na cultura da soja. Bioscience Journal, Uberlândia-MG, v. 20, n. 3 p. 13-19, 2004.

(8) MARTINS, M. C.; CÂMARA, G. M. S.; PEIXOTO, C. P.; MARCHIORI, L. F. S.; LEONARDO, V.; MATTIAZZI, O. Épocas de semeadura, densidades de plantas e desempenho vegetativo de cultivares de soja. Scientia Agrícola, Piracicaba-SP, v. 56, n. 4, p. 851-858, 1999.

(9) MAUAD, M.; SILVA, T. L. B.; ALMEIDA NETO, A. I.; ABREU, V. G. Influência da densidade de semeadura sobre características agronômicas na cultura da soja. Revista Agrarian, Dourados-MS, v. 3, n. 9, p. 175-181, 2010.

(10) PIRES, J. L. F.; COSTA, J. A.; THOMAS, A. L. Rendimento de grãos de soja influenciado pelo arranjo de plantas e níveis de adubação. Pesquisa Agropecuária Gaúcha, Porto Alegre-RS, v.4, n. 2, p.183–188, 1998.

(11) PIRES, J. L. F.; COSTA, J. A.; THOMAS, A. L.; MAEHLER, A. R. Efeito de populações e espaçamentos sobre o potencial de rendimento da soja durante a ontogenia. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília-DF, v. 35, n. 8, p. 1541– 1547, 2000.

(12) SEDIYAMA, T.; TEIXEIRA, R.C.; REIS, M.S. Melhoramento da soja. In: BORÉM, A. (ed). Melhoramento de espécies cultivadas. Viçosa-MG: UFV, 1999. p.478-533.

(13) TOURINO, M.C.C.; REZENDE, P.M. de; SALVADOR, N. Espaçamento, densidade e uniformidade de semeadura na produtividade e características agronômicas da soja. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília-DF, v. 37, n. 8, p. 1071- 1077, 2002.

Published

2016-02-15

How to Cite

Cruz, S. C. S., Sena Junior, D. G., Aires dos Santos, D. M., Lunezzo, L. O., & Machado, C. G. (2016). CULTIVO DE SOJA SOB DIFERENTES DENSIDADES DE SEMEADURA E ARRANJOS ESPACIAIS. REVISTA DE AGRICULTURA NEOTROPICAL, 3(1), 1–6. https://doi.org/10.32404/rean.v3i1.431