Práticas educativas em saúde como ferramenta para a disciplina de saúde coletiva: relato de experiência

Autores

Resumo

Práticas educativas em saúde são ações envolvendo a participação de diferentes atores. O objetivo desta publicação foi relatar a experiência de ações de promoção de saúde como atividade da disciplina de Saúde Coletiva de um curso de Farmácia do interior do Mato Grosso do Sul. A estratégia foi aplicada no segundo semestre do curso, contemplando um momento prático extencionista, a fim de permitir ao aluno utilizar e exercitar estratégias de educação em saúde. Ao terem que empregar estratégias alternativas para alcançar o objetivo proposto, os acadêmicos passam a perceber a importância de uma abordagem adequada para envolver o paciente como agente transformador da sua saúde.  As ações de extensão podem ser utilizadas para o exercício prático dos conceitos trabalhados dentro da disciplina de Saúde Coletiva, de forma que o futuro profissional de saúde aproprie-se das ferramentas de educação em saúde.

Biografia do Autor

Adriana Mary Mestriner Felipe de Melo, CENTRO UNIVERSITÁRIO DA GRANDE DOURADOS (UNIGRAN)

Doutora em Ciências da Saúde (UnB), Mestre em Microbiologia (UEl) e docente do Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN).

Referências

BAGNATO, M. H. S. et al. Práticas educativas em saúde: da fundamentação à construção de uma disciplina curricular. Escola Anna Nery – Revista de Enfermagem, v. 13, n. 3, p. 651-656, 2009.

BATISTA, K. B.C.; GONÇALVES, O. S. J. Formação dos profissionais de saúde para o SUS: significado e cuidado. Saúde e Sociedade, v. 20, p. 884-899, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? 1. ed. rev. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2018. 73 p.

CALDARELLI, P. G. A importância da utilização de práticas de metodologias ativas de aprendizagem na formação superior de profissionais da saúde. Revista Sustinere, v. 5, n. 1, p. 175-178, 2017.

CORREIA, R. L.; COSTA, S. L. da; AKERMAN, M. Procesos de enseñanza y aprendizaje en desarrollo local participativo. Interações, Campo Grande, v. 18, n. 3, p. 23-29, 2017.

FALKENBERG, M. B. et al. Health education and education in the health system: concepts and implications for public health. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 3, p. 847-852, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

MACHADO, A. G. M. ; WANDERLEY, L. C. S. Educação em saúde. São Paulo: Unifesp, 2011. Disponível em: http://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/171. Acesso em: 11 jan. 2021.

MENDONÇA, E. T. de et al. Paradigmas e tendências do ensino universitário: a metodologia da pesquisa-ação como estratégia de formação docente. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 19, p. 373-386, 2015.

OLIVEIRA, L. M. P.; LEITE, M. T. M. Concepções pedagógicas. Módulo Pedagógico. Especialização em Saúde da Família – Modalidade a Distância. UNA-SUS UNIFESP, 2011.

Downloads

Publicado

10/05/2021

Como Citar

Melo, A. M. M. F. de. (2021). Práticas educativas em saúde como ferramenta para a disciplina de saúde coletiva: relato de experiência. BARBAQUÁ, 3(5), 69–77. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/barbaqua/article/view/4054

Edição

Seção

Relato de experiência

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)