Extensão em instituição de longa permanência para idosos

vivências de acadêmicos em enfermagem

Visualizações: 289

Autores

  • Caroline Gonçalves Fernandes Siqueira Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul
  • Andressa Ferreira Lavratti Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul
  • Raiane Trindade De Oliveira Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul
  • Elaine Aparecida Mye Takamatu Watanabe Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul https://orcid.org/0000-0003-2864-0539
  • Márcia Regina Martins Alvarenga Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul https://orcid.org/0000-0003-1367-6475

DOI:

https://doi.org/10.61389/bbq.v5i9.5822

Palavras-chave:

práticas em saúde, idosos, instituições de longa permanência para idosos

Resumo

As Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) são estabelecimentos para o acolhimento de pessoas com idade a partir dos 60 anos. Os residentes das ILPIs, geralmente apresentam patologias características da idade e precisam de assistência especializada. Desse modo, o objetivo do estudo foi relatar a experiência vivenciada por acadêmicos de enfermagem, em uma ILPI do município de Dourados/MS. A realização deste estudo descritivo, do tipo relato de experiência, descreveu sobre as vivências acadêmicas em atividades desenvolvidas a partir de um projeto de extensão envolvendo docentes e discentes do curso de enfermagem, no Asilo da Velhice Desamparada. Foram desenvolvidas atividades voltadas para o público de idosos residentes na instituição e para a coordenação local. Realizadas práticas educativas que proporcionaram estimular a saúde mental, física e espiritual, de forma lúdica como atividades de pinturas, passeios, música, jogos, verificação do Índice de Massa Corporal (IMC), aquisição e preenchimento Caderneta da Pessoa Idosa, cuidados e orientação acerca de medicamentos. Observou-se que essa forma de abordagem proporcionou aos residentes momentos de lazer, autonomia e altivez. 

PALAVRAS-CHAVE: Práticas em Saúde; Idosos; Instituições de longa permanência para Idosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Gonçalves Fernandes Siqueira, Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul

Estudante do curso de Enfermagem da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Andressa Ferreira Lavratti, Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul

Estudante do curso de Enfermagem da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Raiane Trindade De Oliveira, Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul

Estudante do curso de Enfermagem da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Elaine Aparecida Mye Takamatu Watanabe, Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul

Enfermeira, Mestre pela Universidade de Brasilia- UnB e doutora pela Universidade Estadual de Campinas - Unicamp. Lotada no curso de Enfermagem UEMS e na discpina de Enfermagem saude do adulto e idoso.

Márcia Regina Martins Alvarenga, Universidade Estadual de Mato Grosso Do Sul

Pós-Doutorado em Ciências da Saúde (Enfermagem) pela Escola de Enfermagem da USP. Doutorado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Professora Associada do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS. Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES) - Linha de pesquisa: Práticas Educativas em Saúde.

Referências

ACCORDI, I. A.; ACCORDI, A. A. Indicadores do desempenho cognitivo e da independência para atividades diárias de idosos institucionalizados: caso do vale do contestado, Santa Catarina, Brasil. Revista Brasileira de Revisão de Saúde, [s. l.], v. 3, n. 4, p. 10095-10110, 2020. Disponível em https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/14752. Acesso em: 25 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-236

ALVES, G. G.; AERTS, D. As práticas educativas em saúde e a Estratégia Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, [s. l.], v. 16, p. 319-325, 2011. Disponível em: https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1413-81232011000100034&script=sci_arttext&tlng=en. Acesso em: 12 ago. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000100034

BARROS, T. V. P.; SANTOS, A. D. B.; GONZAGA, J. M.; LISBOA, M. G. C.; BRAND, C. Capacidade funcional de idosos institucionalizados: revisão integrativa. ABCS health sci, [s. l.], p. 176-180, 2016. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-827417. Acesso em: 25 nov. 2020.

BORBA, A. K. O. T.; MARQUES, A. P. O.; LEAL, M. C. C.; RAMOS, R. S. P. S. Práticas educativas em diabetes mellitus: revisão integrativa da literatura. Revista Gaúcha de Enfermagem, [s. l.], v. 33, n. 1, p. 169-176, 2012. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/17948. Acesso em: 13 ago. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/S1983-14472012000100022

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n° 810, de 22 de setembro de 1989. Institui as normas para funcionamento de casas de repouso, clínicas geriátricas e outras instituições destinadas ao atendimento ao idoso. Brasília, DF: Senado Federal, 1989. Disponível: em: http://www.senado.gov.br/senado/conleg/idoso/DOCS/Federal/Portaria810.doc. Acesso em: 25 nov. 2020.

BRASIL. Resolução CFM n° 1.638, de 9 de agosto de 2002. Define prontuário medico e torna obrigatória a criação da comissão de revisão de prontuário nas instituições de saúde. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 2002, p. 184-185, 9 ago. 2002. Disponível em: https://sistemas.cfm.org.br/normas/visualizar/resolucoes/BR/2002/1638. Acesso em: 05 nov. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde departamental de ações programáticas estratégicas. Caderneta de saúde da pessoa idosa. 5. ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/27/CADERNETA-PESSOA-IDOSA-2017-Capa-miolo.pdf. Acesso em: 12 ago. 2019.

BRITO, M. E. S.; SILVA, J. N. B.; SILVA, A. S; JUNIOR, D. A. S. Ações do projeto de extensão Musicoterapia na Longevidade Saudável em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos na cidade de Picos-PI. In: CONGRESSO DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA DO UNIFACIG, 2020, Picos. Anais [...]. Picos, PI: UNIFACIG, 2020. Disponível em: http://www.pensaracademico.facig.edu.br/index.php/congressogeriatria/article/view/2338. Acesso em: 29 nov. 2020.

COSTA, I. P.; COSTA, S. P.; PIMENTA, C. J. L.; LIMA, R. F. L.; BRITO, M. J. M. A importância das atividades lúdicas para a saúde mental do idoso institucionalizado: um relato de experiência. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE, 2., 2017. Anais [...]. [S. l.]: Realize, 2017. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/editora/anais/conbracis/2017/TRABALHO_EV071_MD1_SA4_ID775_15052017221506.pdf. Acesso em: 25 nov. 2020.

CYRINO, R. S.; SILVA, L. E. D.; SOUZA, M. R.; BORGES, C. J. Atividades lúdicas como estratégia de educação em saúde com idosos. Revista Ciência em Extensão, [s. l.], v. 12, n. 3, p. 154-163, 2016. Disponível em: https://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/article/view/1324. Acesso em: 08 ago. 2019.

FERRAZ, A. P. C. M.; BELHOT, R.V. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gestão & Produção, São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-530X2010000200015

FLEURÍ, A. C. P.; ALMEIDA, A. C. S.; DINIZ, A. J.; MAGALHÃES, L. A. D.; FERREIRA, L. H. C.; PRATA, M. T. M.; HORTA. C. N. Atividades lúdicas com idosos institucionalizados. Enfermagem Revista, [s. l.], v. 16, n. 1, p. 50-57, 2013. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/enfermagemrevista/article/view/13018. Acesso em: 09 ago. 2019.

FLORES, T. R. et al. Aconselhamento por profissionais de saúde e comportamentos saudáveis entre idosos: estudo de base populacional em Pelotas, sul do Brasil. Epidemiologia Serviços de Saúde, [s. l.], v. 27, n. 1, e201720112, 2018. Disponível: https://www.scielosp.org/pdf/ress/2018.v27n1/e201720112/pt. Acesso em: 29 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742018000100012

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Diretoria de Pesquisas. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Estudos e Pesquisas. Informação Demográfica e Socioeconômica. Síntese de Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/. Acesso em: 09 ago. 2019.

LEITE, M. T.; PAI. S. D.; QUINTANA, J. M.; COSTA, M. C. Doenças crônicas não transmissíveis em idosos: saberes e ações de agentes comunitários de saúde. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, [s. l.], v. 7, n. 2, p. 2263-2276, 2015. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/5057/505750946007.pdf. Acesso em: 12 ago. 2019.

LIMA, A. V.; KONRAD, J. A. Transição demográfica no Brasil e o impacto na previdência social. Boletim Economia Empírica, [s. l.], v. 1, n. 2, 2020. Disponível em: https://portal.idp.emnuvens.com.br/bee/article/view/4112. Acesso em: 25 nov. 2020.

LUNA, W. F.; MELO, J. A. B.; VAZ, C. H. M. Entre chegadas e partidas: conversas intergeracionais no projeto de extensão saúde do idoso. Saúde em Redes, [s. l.], v. 5, n. 3, p. 177-191, 2019. Disponível em: http://revista.redeunida.org.br/ojs/index.php/rede-unida/article/view/2429. Acesso em: 26 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2019v5n3p177-191

MALLMANN, D. G.; NETO, N. M. G.; SOUSA, S. C.; VASCONCELOS, E. M. R. Educação em saúde como principal alternativa para promover a saúde do idoso. Ciência & Saúde Coletiva, [s. l.], v. 20, p. 1763-1772, 2015. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csc/2015.v20n6/1763-1772/pt/. Acesso em: 17 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015206.02382014

MELO, L. A.; FERREIRA L. M. B. M.; SANTOS, M. M.; LIMA, K. C. Fatores socioeconômicos, demográficos e regionais associados ao envelhecimento populacional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, [s. l.], v. 20, n. 4, p. 494-502, 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/4038/403852563005.pdf. Acesso em: 25 out. 2020.

MENDES, J. F. R.; SORIANO, S. S. Arteterapia com idosos institucionalizados: uma experiencia de estágio. Anais da Jornada Científica dos Campos Gerais, [s. l.], v. 15, 2017. Disponível: https://iessa.edu.br/revista/index.php/jornada/article/view/213. Acesso em: 19 nov. 2020.

MOURA, G. A.; SOUZA, L. K. Práticas de lazer de idosos institucionalizados. Movimento (ESEFID/UFRGS), [s. l.], v. 19, n. 4, p. 69-93, 2013. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/36131. Acesso em: 29 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.36131

OLIVEIRA, A. K. A.; PEREIRA, M. H. Q. Investigação da relação entre insegurança alimentar e hipertensão arterial sistêmica em idosos residentes no município de Barreiras/Ba. Pesquisare-A Revista Eletrônica da Universidade Federal do Oeste da Bahia, [s. l.], v. 3, n. 1, p. 53-53, 2018. Disponível em: https://revistas.ufob.edu.br/index.php/pesquisare/article/view/539. Acesso em: 25 out. 2020.

PORTELLA, M. R. Pesquisa PROCAD-padrões de envelhecimento e longevidade: aspectos biológicos, educacionais e psicossociais de idosos institucionalizados. Revista Kairós: Gerontologia, [s. l.], v. 23, p. 97-104, 2020. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/50795/33230. Acesso em: 25 nov. 2020.

RODRIGUES, A. L. L.; COSTA, C. L. N. A.; PRATA, M. S.; BATALHA, T. B. S.; NETO, I. F. P. Contribuições da extensão universitária na sociedade. Caderno de Graduação-Ciências Humanas e Sociais-UNIT-SERGIPE, Sergipe, v. 1, n. 2, p. 141-148, 2013. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/cadernohumanas/article/view/494. Acesso em: 26 nov. 2020.

RODRIGUES, M. C.; RIBEIRO, D. S. D.; OVIEDO, G. K. Instituições de Longa Permanência para Idosos, formas alternativas à institucionalização e o papel do Ministério Público Estadual. Revista Jurídica do Ministério Público do Estado do Paraná, [s. l.], n. 9, p. 16-37, 2018. Disponível em: http://www.ampid.org.br/v1/wp-content/uploads/2019/02/Institui%C3%A7%C3%B5es-de-Longa-Perman%C3%AAncia-para-Idosos-formas-alternativas-%C3%A0-institucionaliza%C3%A7%C3%A3o-e-o-papel-do-Minist%C3%A9rio-P%C3%BAblico.pdf. Acesso em: 29 nov. 2020.

SALCHER, E. B. G.; PORTELLA, M. R.; SCORTEGAGNA, H. M. Cenários de instituições de longa permanência para idosos: retratos da realidade vivenciada por equipe multiprofissional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, [s. l.], v. 18, n. 2, p. 259-272, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v18n2/1809-9823-rbgg-18-02-00259.pdf. Acesso em: 05 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14073

SANTOS, A. C. W.; HAMMERSC, K. S. A.; GIRONDI, J. B. R.; SCHIER, J.; FERREIRA, J. M.; DACOREGIO, B. M. Percepção da equipe multiprofissional sobre o registro no prontuário do residente da instituição de longa permanência para idosos. Ciencia y enfermería, [s. l.], p. 10, 2018. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-984172. Acesso em: 29 nov. 2020.

SANTOS, M.; ARAÚJO, P.; SILVA, M.; RIBEIRO, A. A importância dos cinco sentidos para a memória dos idosos: um relato de experiência. Memorialidades, [s. l.], v. 13, p. 7-10, 2016. Disponível em: http://periodicos.uesc.br/index.php/memorialidades/article/view/1421. Acesso em: 25 nov. 2020.

SCHMIDT, A.; TIER, X. G.; VASQUEZ, E. D.; SILVA, V. A. M.; BIETTENCOURT, C.; MACIEL, B. M. C. Preenchimento da caderneta de saúde da pessoa idosa: relato de experiência. SANARE-Revista de Políticas Públicas, [s. l.], v. 18, n. 1, 2019. Disponível em: file:///C:/Users/Matheus/Downloads/1310-3492-1-SM.pdf. Acesso em: 05 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.36925/sanare.v18i1.1310

SCHMIDT, L.; SODER, T. F.; VOLKWEIS, D. S. H; BENETTI, F. Avaliação nutricional de idosos institucionalizados de uma ILPI do interior do estado do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, [s. l.], v. 14, n. 1, 2017. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/6581. Acesso em: 18 jan. 2021.

SILVA, G. C.; MESQUITA, B. R. M.; BENFICA, M. E.; FRANÇA, V. F.; CARDOSO, L. G. V. Desnutrição e intervenção nutricional em idosos de uma instituição de longa permanência. Acta Elit Salutis, [s. l.], v. 3, n. 13, 2020. Disponível em: http://saber.unioeste.br/index.php/salutis/article/view/26323. Acesso em: 18 jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.48075/aes.v3i1.26323

SILVA, V. Ensino, pesquisa e extensão: uma análise das atividades desenvolvidas no GPAM e suas contribuições para a formação acadêmica. Extelar: Grupo de Pesquisa em Extensão Popular. Vitória, nov. 2011. Disponível em: http://www.prac.ufpb.br/copac/extelar/atividades/dis-

cussao/artigos/conceitos_de_extensao_universitaria.pdf. Acesso em: 27 out. 2020.

SOUZA, A. A. F.; VITORINO, S. S.; NINOMYA, S. A. C. Atenção ao idoso em uma instituição de longa permanência. Diálogos Interdisciplinares, [s. l.], v. 4, n. 2, p. 1-13, 2015. Disponível em: https://revistas.brazcubas.br/index.php/dialogos/article/view/110. Acesso em: 25 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2023-05-29

Como Citar

Fernandes Siqueira, C. G., Lavratti, A. F., De Oliveira, R. T., Mye Takamatu Watanabe, E. A., & Martins Alvarenga, M. R. (2023). Extensão em instituição de longa permanência para idosos: vivências de acadêmicos em enfermagem. BARBAQUÁ, 5(9), 23–37. https://doi.org/10.61389/bbq.v5i9.5822

Edição

Seção

Relato de experiência