A dinâmica da convivência em uma instituição de acolhimento

Visualizações: 140

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/bbq.v5i9.6451

Resumo

O projeto de extensão na instituição de acolhimento de meninos adolescentes foi desenvolvido pela Liga Acadêmica de Psicologia Jurídica e Serviço Social (LAPJUS), a fim de compreender a rede de apoio e as relações sociais que o adolescente encontrará e como serão refletidos na elaboração de seus sentimentos, principalmente com a chegada e a partida de pessoas da instituição. A institucionalização é uma das medidas tomadas pelo Estado quando o núcleo familiar negligencia a assistência básica e a garantia de direitos ao indivíduo. O estudo é um relato de experiência da vivência que foi realizada em uma casa de acolhimento no interior de Minas Gerais e apresenta relatos de quatro graduandos em Psicologia e integrantes da LAPJUS. Os extensionistas desenvolveram oficinas e buscaram observar o que a mudança de configuração dos residentes causaria naqueles que permanecem na casa. Foi identificado que os adolescentes vivenciavam um misto de emoções e demonstravam sentir as rupturas dos vínculos que se desfaziam abruptamente, visto que encontravam nos cuidadores e outros residentes o apoio buscado na família. Concluiu-se que a extensão com apoio das oficinas teve respostas positivas, uma vez que conseguiu abordar os sentimentos vivenciados com a entrada e a saída repentina de residentes da instituição, acolhendo-os e oferecendo suporte frente ao rompimento dos vínculos. Assim, a liga buscará desenvolver novas atividades de extensão que consigam entrar em contato com a vulnerabilidade social para que, dessa forma, ofereça escuta e valide as expressões dos sujeitos que participam e experienciam essa dinâmica.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia Lima Gallo, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Discente no curso de psicologia (departamento IELACHS), foi coordenadora da Liga Acadêmica de Psicologia Júridica e Serviço Social

Mariana da Silva de Paula, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Discente no curso de psicologia (departamento IELACHS), foi coordenadora da Liga Acadêmica de Psicologia Júridica e Serviço Social

Matheus Diogo Barbosa, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Discente no curso de psicologia (departamento IELACHS), foi coordenador da Liga Acadêmica de Psicologia Júridica e Serviço Social

Vinicius Nogueira Máximo, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Discente no curso de psicologia (departamento IELACHS), foi coordenador da Liga Acadêmica de Psicologia Júridica e Serviço Social

Helga Yuri Silva Okano Andrade, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Atualmente é psicologa do Tribunal de Justiça de Minas Gerais , comarca de Uberaba-MG , e docente da Universidade Federal do Triângulo Mineiro atuando principalmente nos seguintes temas: intervenção familiar e violência infanto-juvenil, possui graduação em PSICOLOGIA pela Universidade de Uberaba (1993) e mestrado em Saúde Mental MA IN MENTAL HEALTH STUDIES - PORTSMOUTH UNIVERSITY (1997) Inglaterra.

Referências

ARPINI, D. M. Repensando a perspectiva institucional e a intervenção em abrigos para crianças e adolescentes. Psicologia: Ciência e Profissão, [s. l.], v. 23, n. 1, p. 70-75. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-98932003000100010. Acesso em: 6 jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932003000100010

BRONFENBRENNER, U. A ecologia do desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artes Médicas, 1979.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

GOFFMAN, E. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 1974.

LEMOS, S. C. A.; GECHELE, H. H. L.; ANDRADE, J. V. Os vínculos afetivos no contexto de acolhimento institucional: um estudo de campo. Psicologia: Teoria e Prática, [s. l.], v. 33, n. 1, p. 1-10, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/0102.3772e3334

LUVIZARO, N. A.; GALHEIGO, S. M. Considerações sobre o cotidiano e o habitar de crianças e adolescentes em situações de acolhimento institucional em abrigo. Revista Terapia Ocupacional, [s. l.], v. 2, n. 22, p. 191-199, 2011. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v22i2p191-199

MARTINS, E.; SZYMANSKI, H. Brincando de casinha: significado de família para crianças institucionalizadas. Estudos de Psicologia, [s. l.], v. 9, p. 177-187, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-294X2004000100019

NUNES, M. A. C. Auto-conceito e suporte social em adolescentes em acolhimento institucional. 2010. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica Dinâmica) – Faculdade de Psiclogia, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2010.

OLIVEIRA, L. de M. M.; RESENDE, A. C. Estudo de sintomas depressivos em crianças sob situação de acolhimento institucional. Psicologia em Pesquisa, Juiz de Fora, v. 10, n. 1, p. 55-63, jun. 2016. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1982-12472016000100008&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 29 ago. 2021. DOI: https://doi.org/10.24879/201600100010047

PESSALACIA, J. D. R.; MENEZES, E. S.; MASSUIA, D. Bioethikos, São Paulo, v. 4, n. 4, p. 423-430, 2010.

RAYANE, D. B.; SOUSA, D. H. A. V. de. Privação afetiva e suas consequências na primeira infância: um estudo de caso. Revista InterScientia, [s. l.], v. 6, n. 2, p. 90-111, dez. 2018. Disponível em: https://periodicos.unipe.br/index.php/interscientia/article/view/721/601. Acesso em: 29 ago. 2021 DOI: https://doi.org/10.26843/interscientia.v6i2.721

ROSA, E. M.; NASCIMENTO, C. R. R.; MATOS, J. R.; SANTOS, J. R. O processo de desligamento de adolescentes em acolhimento institucional. Estudos de Psicologia, Natal, v. 17, n. 3, p. 361-368, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-294X2012000300003. Acesso em: 8 jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-294X2012000300003

SIQUEIRA, A. C. Instituições de abrigo, família e redes de apoio social e afetivo em transições ecológicas na adolescência. 2006. Dissertação (Mestrado em Psicologia do Desenvolvimento) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

Downloads

Publicado

2023-05-29

Como Citar

Gallo, L. L., de Paula, M. da S., Barbosa, M. D., Máximo, V. N., & Andrade, H. Y. S. O. (2023). A dinâmica da convivência em uma instituição de acolhimento. BARBAQUÁ, 5(9), 38–52. https://doi.org/10.61389/bbq.v5i9.6451

Edição

Seção

Relato de experiência