Citronela como repelente de Aedes aegypti

Visualizações: 120

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/bbq.v6.e8383

Palavras-chave:

dengue, Zika, Chikungunya, Cymbopogon nardus

Resumo

O Brasil e o município de Cassilândia encontram-se em situação de emergência com epidemia de casos de dengue. Desse modo, o combate e a prevenção do mosquito transmissor da doença, bem como do zika vírus, do chikungunya e fa febre amarela se fazem necessários. Os objetivos do projeto foram: divulgar a utilização de citronela como planta repelente do mosquito da dengue em residências e escolas do município, plantando e acompanhando o desenvolvimento das mudas; apresentar a mosquitoeira (ou mosquitérica), uma armadilha de captura e monitoramento do mosquito da dengue; e divulgar, em diferentes mídias, o projeto e suas ações. As mudas de citronela foram adquiridas de plantios em residências, chácaras e/ou sítios próximos à cidade de Cassilândia e transferidas para recipientes de suco, refrigerante ou outros que serviram como embalagem plástica preenchida com solo 3:1 esterco bovino, com irrigação diária até completo pegamento. Nos primeiros seis meses, as mudas de citronela, num total de 50 plantas por ano, foram conduzidas para posterior plantio em 30 residências e em duas escolas da cidade, em cada ano. Foi verificada a necessidade de replantio da muda. Alunos voluntários do curso de Agronomia visitaram as escolas para divulgar os benefícios da citronela e falaram para diversas turmas, repassando, também, informações sobre a confecção da mosquitoeira. Placas indicativas do nome científico da citronela (Cymbopogon nardus) foram colocadas nas mudas plantadas nas escolas. Assim, o material pode ser propagado para outros locais, além de estimular o aprendizado para disciplinas como a Biologia, estreitando, desse modo, a relação entre a extensão universitária e o conhecimento científico. A propagação das ações do projeto foi realizada em diversas mídias (Instagram, rádio e jornal). Conclui-se que, nos dois anos de projeto, os benefícios da citronela e a forma de uso como repelente do mosquito da dengue foram divulgados aos moradores de 60 casas e aos alunos de quatro escolas, duas a mais que o proposto no projeto inicial. Também, com a divulgação da confecção da armadilha mosquitoeira, as pessoas podem monitorar o aparecimento de larvas na armadilha, indicando possíveis criadouros do mosquito na residência e/ou nas escolas. A propagação das ações do projeto em diversas mídias auxiliou a ampliar o alcance das informações, ressaltando a importância da UEMS na extensão universitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wilson Itamar Maruyama, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS

Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Agronomia, área de concentração: Sustentabilidade na Agricultura, em Cassilândia, MS. Possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1994), mestrado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1998) e doutorado em Agronomia (Entomologia Agrícola) [Jaboticabal] pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2002). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Tem experiência nas áreas de Entomologia Agrícola, Produção Vegetal e Estatística Experimental, atuando principalmente nos temas ligados à Fruticultura.

Gabriela Silva Martins, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS

Acadêmica de Agronomia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Gabriel Dias Medeiros, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS

Estudante de graduação no Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Luciana Claudia Toscano, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1995), mestrado em Agronomia (Entomologia Agrícola) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1998) e doutorado em Agronomia Entomologia Agrícola Jaboticabal pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001). Atualmente é adjunto da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Entomologia Agrícola, atuando principalmente nos seguintes temas: mosca-branca, controle biológico, insecta, agronomia e Zea mays.

Referências

BARRETO, E.; RESENDE, M. C.; EIRAS, A. E.; DEMARCO JÚNIOR, P. C. Avaliação da armadilha ovitrampa iscada com atraente natural para o monitoramento de Aedes spp. em Dili, capital do Timor-Leste. Ciência e saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, p. 665-672, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232020252.12512018

CABRAL, M; LIBERTO, M.I. Armadilha letal para mosquitos, temperada com atitude de civilidade. Sem data. Disponível em: www.faperj.br/downloads/mosquiterica.pdf. Acesso em: 28 abr. 2023.

CASTRO, L.O.; CHEMALE, V.M. Plantas Medicinais, condimentares e aromáticas: descrição e cultivo. Guaíba: Agropecuária, 1995. 195 p.

CAVALCANTE, L.P.G.; ESCÓSSIA, K.N.F.; SIMIÃO, A.R.; PÂMELA MARIA COSTA LINHARES, P.M.C.; ANTÔNIO AFONSO BEZERRA LIMA, A.A.B.; KILMA WANDERLEY LOPES, K.W.L.; BRAGA, D.N.M.; RAMALHO, I.L.C.; MELLO, L.M.S.; VALE, R.L.S.; BARRETO, F.K.A.; OLIVEIRA, R.MA.B.; LIMA NETO, A.S.; ARAÚJO, F.M.C. Experiência do Comitê de Investigação de Óbitos por Arboviroses no Ceará em 2017: avanços e desafios. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, V. 28, n. 3, p. 1-7, 2019. DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742019000300011

CHIANEZI, M. Cassilândia decreta situação de emergência após epidemia de Dengue. 16/01/2020. Disponível em: https://www.midiamax.com.br/cotidiano/2020/cassilandia-decreta-situacao-de-emergencia-apos-epidemia-de-dengue. Acesso em: 28 abr. 2023.

DAFLON, T. M.; HÜTHER, C. M.; SANTOS, C. M. P. P.; CARVALHO, L. F.; CORREA, N. P. C.; PEREIRA, C. R.; MACHADO, T. B. Incrementos na produção de biomassa total de citronela por estresse severo no sistema radicular. Revista Brasileira de Ciências Ambientais, Rio de Janeiro, n. 51, p. 95-111, 2019. DOI: https://doi.org/10.5327/Z2176-947820190438

FORPROEX - Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Política nacional de extensão universitária. 41p. 2012.

GIOPPO, C.; SILVA, R.V.; BARRA, V.M.M. A avaliação em ciências naturais no ensino fundamental. Curitiba: Ed. UFPR, 2006. 158 p.

HENRIQUES, A.C. Projeto Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável do Município de Itambacuri – MG. Revista da EMATER. Minas Gerais. 2003.

HINO, P; SANTOS, C.C.; SANTOS, M.0. CUNHA, T.M.; SANTOS, C.B. Evolução temporal da dengue no município de Ribeirão Preto, São Paulo, 1994 a 2003. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.15, n.1, p. 233-238, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000100028

HINRICHSEN, S. Como identificar e Tratar a Chikungunya. Sem data. Disponível em: https://www.tuasaude.com/febre-de-chikungunya/. Acesso em: 28 abr. 2023

MORAES, B. C.; SOUZA, E. B.; SODRÉ, G. R. C.; FERREIRA, D. B. S.; RIBEIRO, J. B. M. Sazonalidade nas notificações de dengue das capitais da Amazônia e os impactos do El Niño/La Niña. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, v. 35, n. 9, p. 1-7, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00123417

OLIVEIRA, P. S.; LAMY, Z. C.; GUIMARÃES, C. N. M.; RODRIGUES, C. B.; SILVA, A. A. M.; SIMÕES, V. M. F.; SOUSA, P. S. Experiências de pais de crianças nascidas com microcefalia, no contexto da epidemia de Zika, a partir da comunicação do diagnóstico. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, v. 35, n. 12, p. 1-11, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00226618

PEIXOTO, R. Casos de dengue e chikungunya disparam no Brasil, e Ministério da Saúde vê nova epidemia. 25/03/2023. Disponível em: https://g1.globo.com/saude/noticia/2023/03/25/casos-de-dengue-e-chikungunya-disparam-no-brasil-e-ministerio-da-saude-ve-nova-epidemia.ghtml. Acesso em: 28 abr. 2023.

PERES, P. Mato Grosso do Sul tem 17 mortos por dengue e média de 4,2 mil casos confirmados por mês. 25/04/2023. Disponível em: https://midiamax.uol.com.br/cotidiano/2023/mato-grosso-do-sul-tem-17-mortos-por-dengue-e-media-de-42-mil-casos-confirmados-por-mes/. Acesso em: 28 abr. 2023.

SOARES, J. L. Programas de Saúde. São Paulo: Scipione, p. 91, 1994.

Downloads

Publicado

2024-04-15

Como Citar

Maruyama, W. I., Martins, G. S., Medeiros, G. D., & Toscano, L. C. (2024). Citronela como repelente de Aedes aegypti . BARBAQUÁ, 6, e8383. https://doi.org/10.61389/bbq.v6.e8383