Chamada para publicação - v. 3, n. 2 (2021)

Chamada para publicação - v. 3, n. 2 (2021)

FIGURAS E REPRESENTAÇÕES MONSTRUOSAS NA LITERATURA: O INUMANO, O MONSTRO OU O HUMANO

 

Organizadores

Prof. Dr. Andre Rezende Benatti – Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Profa. Dra. Raquel da Silva Ortega – Universidade Estadual de Santa Cruz

 

EMENTA: Os monstros se fazem se fazem presentes na literatura pelo menos desde que seu aporte era apenas a oralidade. Desenvolvidos com grande nos fins do século XIX, essas criaturas costumam apresentar traços recorrentes que permitem traçar uma espécie de morfologia da monstruosidade, descrições que embora permitem com que os reconheçamos logo que os conhecemos. Ainda que sejam construídos, na literatura e na cultura, sob as mais diversas perspectivas, o que os caracteriza como tal, ou seja, como monstros, são basicamente semelhantes. Para Bertin (2016, p. 38), são “[...] centrais para a investigação da monstruosidade elementos como: espaço geográfico, impureza, ameaça, ambivalência afetiva, prazer, poder e liberdade”. Contudo, Foucault, em Os Anormais, apresenta perspectivas distintas para os monstros, se antes estes possuíam características físicas que tornavam monstruosos, agora, são as características e peculiaridades morais que identificam tais seres. Tomando o pensamento de Foucault, a monstruosidade se encontra no comportamento do sujeito que, por mais “normal”, “comum”, “ordinária” que seja sua aparência, o físico aqui não possui tanta relevância, o monstro se verifica nos comportamentos perversos que possuem características que se aproximam da realidade empírica.  Assim, nos propomos a acolher para submissão trabalhos oriundos de pesquisas que se enfoquem nas representações de figuras monstruosas na Literatura.

 

As contribuições devem ser submetidas na página da REL:  https://periodicosonline.uems.br/index.php/estudosletras/index.

 

Data limite para submissão no sistema: 15/07/2021

 

SUGESTÃO DE REFERÊNCIAS:

BERND, Zilá (Org.). Dicionário de figuras e mitos literários das Américas. Porto Alegre: Tomo: Ed. da Universidade, 2007.

BERTIN, Juliana Ciambra Rhae. O monstro invisível: o abalo das fronteiras entre monstruosidade e humanidade. Revista Outra Travessia. n. 22 (2016) Dossiê: O monstro à mostra: mostruário. Semestre de 2016, p.37-54. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/Outra/article/view/2176-8552.2016n22p37

CORBIN, Alain (Org.); COURTINE, Jean-Jacques (Org.); VIGARELLO, Georges. (Org.). História do corpo: as mutações do olhar: o século XX. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

FOUCAULT, Michel. Os Anormais. São Paulo, Martins Fontes, 2002.

JEHA, Julio. Monstros e monstruosidades na literatura. Belo Horizonte: UFMG, 2007.

JEHA, Julio; NASCIMENTO, Lyslei (orgs.). Da fabricação de monstros. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

NAZÁRIO, Luiz. Da natureza dos monstros. São Paulo: Arte & Ciência, 1998.

SILVA, Tomás Tadeu da. Pedagogia dos monstros: os prazeres e perigos da confusão de fronteiras. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.