O bibliotecário e o barbeiro: masculinidades em atrito nos contos de Luiz Vilela

Luiz Carlos Simon

Resumo


Um dos efeitos dos recentes arranjos de gêneros, estimulados pelas reivindicações de mulheres e gays, é a investigação das masculinidades. Se, nos campos dos debates teóricos e críticos, essa discussão ganha força apenas nas duas últimas décadas do século XX, nas produções literárias os autores captam rapidamente tais transformações, adotando-as na construção dos perfis de homens. A prosa de ficção traz um desses exemplos: Luiz Vilela, cuja estreia ocorre ainda nos anos 1960. O artigo aqui proposto é um exercício de análise de dois contos publicados pelo autor em seus livros iniciais: Tremor de terra e No bar. Ambos os contos possuem narrativas em primeira pessoa, em que o narrador, também uma personagem, trava contato com outras personagens apresentadas como homossexuais. O objetivo do artigo é examinar como as narrativas exibem esses relacionamentos entre homens com diferentes sexualidades, com base em paralelos com contribuições teóricas sobre masculinidades.

Texto completo:

PDF

Referências


ALÓS, A. P. Peres. A letra, o corpo e o desejo: masculinidades subversivas no romance latino-americano. Florianópolis: Mulheres, 2012.

CANASSA, L. Representações das masculinidades através das relações entre pais e filhos nos contos de Luiz Vilela. Dissertação de Mestrado. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2018.

CONNELL, R. W. Masculinities. 2. ed. Berkeley: University of California Press, 2005.

CONNELL, R. W. The men and the boys. Berkeley: University of California Press, 2000.

KIMMEL, M. S. A produção simultânea de masculinidades hegemônicas e subalternas. Horizontes antropológicos. 1998.

REESER, T. W. Masculinities in theory: an introduction. West Sussex; Oxford: WileyBlackwell, 2010.

SIMON, L. C. Primeiros t(r)emores de Luiz Vilela: masculinidades em contos de Tremor de terra e No bar. In: RODRIGUES, Rauer Ribeiro; SOUZA, Eunice Prudenciano de;

FRANJOTTI, Ronaldo Vinagre. (Orgs.). Literatura e vida 3 – Luiz Vilela. Uberlândia: Pangeia, 2019.

TAMAGNE, F. Mutações homossexuais. In: COURTINE, Jean-Jacques. (Org.) História da virilidade: a virilidade em crise? Vol. 3. Trad. N. C. de Melo e T. A. L. Florêncio. Petrópolis: Vozes, 2013.

TREVISAN, J. S. O espetáculo do desejo: homossexualidade e crise do masculino. In: CALDAS, Dario (Org.). Homens, 1997.

VILELA, L. Tremor de terra. São Paulo: Ática, 1977.

VILELA, L. No bar. 2. ed. São Paulo: Ática, 1984.

VILELA, L. Tarde da noite. 5. ed. São Paulo: Ática, 1999.

WEEKS, J. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. (Org.) O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Trad. Tomaz T. da Silva. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

WELZER-LANG, D. Os homens e o masculino numa perspectiva de relações de sexo. In: SCHPUN, Mônica R. (Org.). Masculinidades. São Paulo: Boitempo; Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acessos desde 02/07/2020:

contador free