A expressão do medo na adaptação cinematográfica do conto O Chamado de Cthulhu, de H. P. Lovecraft

Autores

Resumo

Aclamado como um dos mais importantes escritores de horror da história, é possível ver, em todo o cinema do gênero, influências do trabalho de H.P. Lovecraft. No entanto, é comum se deparar com afirmações de que seu trabalho seja inadaptável, sendo adaptações diretas de sua obra relegadas a filmes independentes ou de baixo orçamento, depreciando a qualidade estética das produções. Tomando como ponto de partida a correlação entre literatura e cinema, o objetivo deste trabalho é analisar dois frames do filme independente de 2005 O Chamado de Cthulhu, adaptação homônima do conto mais popular do autor, buscando observar como se deu a correspondência entre a palavra e a imagem em movimento no tocante ao tema do medo e se é possível confirmar a inadaptabilidade da obra lovecraftiana. É preciso demonstrar que literatura e cinema são linguagens distintas e, no que diz respeito à cinematografia da literatura, não significa que o valor da palavra escrita seja maior que o da imagem em movimento, mas pontuar que essa produção “incapaz” é o resultado de um projeto do diretor

Biografia do Autor

Weslley Ferreira Araujo, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Graduado em Letras Português/Inglês pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (2021).

Tiago Marques Luiz, UNIASSELVI/CLARETIANO

Possui graduação em Letras Licenciatura/Habilitação Português/Inglês pela Universidade Federal da Grande Dourados (2009), especialização em Tradução de Inglês pela Universidade Gama Filho (2011), Mestrado em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (2013) e Doutorado em Estudos Literários pela Universidade Federal de Uberlândia (2019). Possui graduação em Letras Licenciatura/Habilitação Português/Inglês pela Universidade Federal da Grande Dourados (2009), especialização em Tradução de Inglês pela Universidade Gama Filho (2011), Mestrado em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (2013) e Doutorado em Estudos Literários pela Universidade Federal de Uberlândia (2019). Atualmente cursa a graduação em Tradução no Centro Universitário Leonardo da Vinci e a especialização em Ensino de Inglês e de Literatura Inglesa e Norte-Americana no Claretiano Centro Universitário.

Referências

ANDREW, D. J. Adaptation. In: MAST, G.; COHEN, M.; BRAUDY, L. (eds). Film theory and criticism: Introductory Readings. New York: Oxford University Press, 1992, p. 422-428.

ARNHEIM, R. Film as art. Berkeley: University of California Press, 1957.

BERRUTI, M.. The unnamable in Lovecraft and the limits of rationality. 2005. Disponível em: <https://www.yumpu.com/en/document/view/11317588/the-unnamable-in-lovecraft-and-the-limits-of-rationality-for-the->. Acesso em: 06 dez. 2020.

CAMPBELL, J.. O poder do mito. Tradução de Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Palas Athena, 1990.

FARIA, G.. Literatura e cinema. In: FARIA, G.. Estudos de Literatura Comparada. Curitiba: Appris, 2019, p. 175-189.

HUTCHEON, L.. Uma teoria da adaptação. Tradução André Cechinel. 2. ed. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2013.

JAKOBSON, R.. On linguistic aspects of translation. In: BROWER, R. A. (ed.). On translation. Cambridge, Mass.: Harvard University, Press, 1959, p. 232-239.

JOSHI, S. T.. A Dreamer and a Visionary: HP Lovecraft in his Time. Oxford: Oxford University Press, 2001.

JOSHI, S. T.. A vida de H. P. Lovecraft. Tradução Bruno Gambarotto. São Paulo: Hedra, 2014.

LOVECRAFT, H. P.. H.P. Lovecraft: medo clássico. Ilustrador Walter Pax; Tradução de Ramon Mapa da Silva. Rio de Janeiro: Darkside Books, 2017.

LOVECRAFT, H. P.. Supernatural horror in literature. Foreword by Alex Kurtagic. London: The Palingenesis Project (Wermod and Wermod Publishing Group), 2013.

MENEGALDO, G.. HP Lovecraft on screen, a challenge for filmmakers (allusions, transpositions, rewritings). Brumal. Revista de investigación sobre lo Fantástico, Barcelona, vol. 7, núm. 1, p. 55-79, 2019.

NORD, C.. Lealdade em vez de fidelidade: proposta de uma tipologia funcional da tradução. Cadernos de Tradução, Porto Alegre, número especial, p. 9-24, 2016.

PRICE, R. M.. Lovecraft’ s “Artificial Mythology”. In: JOSHI, Sunand Tryambak.; SCHULTZ, David E. (Ed.). An Epicure in the Terrible: A Centennial Anthology of Essays in Honor of H. P. Lovecraft. Nova York: Hippocampus Press, 2011.

RALICKAS, V.. Art, Cosmic Horror, and the Fetishizing Gaze in the Fiction of H. P. Lovecraft. Journal of the Fantastic in the Arts, vol. 19, núm. 3, p. 297-316, 2008.

RIBEIRO, E. S.. O horror cósmico e os monstros de Lovecraft: os Mitos de Cthulhu traduzidos para o cinema do século XXI. 2018. 204f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos). Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São José do Rio Preto, 2018.

SCHULTZ, D. E. From Microcosm to Macrocosm: The Growth of Lovecraft’s Cosmic Vision. In: JOSHI, S. T..; SCHULTZ, D. E. (Ed.). An Epicure in the Terrible: A Centennial Anthology of Essays in Honor of H. P. Lovecraft. Nova York: Hippocampus Press, 2011.

SILVA, M.. O cinema expressionista alemão. Revista Urutaguá, Maringá, vol. 10, ago./set./out./nov, 2006. Disponível em: http://www.urutagua.uem.br/010/10silva.htm. Acesso em: 24 mar. 2020.

SMITH, D. G.. H. P. Lovecraft in Popular Culture: the Works and their adaptations in Film, Television, Comics, Music and Games. North Carolina: McFarland & Company, 2005.

The Call of Cthulhu. Direção: Andrew Leman. Estados Unidos: H. P. Lovecraft Historical Society, 2005. 1 DVD (46min.).

TOLKIEN, J. R. R. A sociedade do anel: primeira parte de O senhor dos anéis. Tradução de Ronald Kyrmse. 1 ed. Rio de Janeiro: Harper Collins Brasil, 2019.

VANOYE, F.; GOLIOT-LÉTÉ, A.. Ensaio sobre análise fílmica. 5ª ed. Tradução de Marina Appenzeller. Campinas: Papirus, 2008.

Downloads

Publicado

07/03/2021

Como Citar

Araujo, W. F., & Luiz, T. M. (2021). A expressão do medo na adaptação cinematográfica do conto O Chamado de Cthulhu, de H. P. Lovecraft. REVISTA ESTUDOS EM LETRAS, 2(1), 96–116. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/estudosletras/article/view/5733

Edição

Seção

Artigos