A voz feminina no romance histórico Desmundo, de Ana Miranda

Autores

Resumo

Ana Miranda em seu romance Desmundo, de 1996, explora através do olhar crítico e desafiador da narradora-personagem Oribela, questões relacionadas ao tratamento dispensado às mulheres no período colonial brasileiro, quando a protagonista e mais seis órfãs são enviadas para se casarem com os portugueses que aqui estavam, narrando de forma desvelada todo o horror das situações humilhantes e insalubres pelas quais passaram durante a viagem e quando se fixaram na terra recém-descoberta, em uma narrativa que utiliza da ficção para denunciar a dura realidade que as mulheres enfrentavam nesse período histórico. Esse artigo procura discutir e identificar os traços característicos que configuram o romance de Ana Miranda como um romance histórico, abordando sua narrativa com base nas considerações de György Lukács (2011) em sua teoria do romance histórico, bem como os postulados de Peter Burke (1997), apontando a relação entre ficção e história e demonstrando como o texto literário pode revisitar o passado de forma crítica, em contraponto ao caráter inquestionável dos textos históricos, dando voz àquelas minorias que foram silenciadas pela história.

Biografia do Autor

Simião Mendes Júnior, Universidade Federal de Goiás

Simião Mendes é goianiense, doutorando em Letras e Linguística pela UFG. Pós-graduando em Filosofia pela Universidade Estácio de Sá. Mestre em Estudos Literários (UFG) e graduado em Letras - Português pela mesma instituição. Professor de gramática, redação, literatura, espanhol e filosofia e poeta, tendo publicações próprias (Poeta Irregular, de 2008; Pira Poética, de 2011; dores e poemas, Delírios e Dilemas, de 2014; Sobre violinos e violetas, de 2017; Sobre as acrópoles e as caliandras, de 2020 e Tópicos da poesia em Goiás, também de 2020) e participação em coletâneas poéticas, tanto no estado de Goiás quanto de cunho nacional. 

Referências

AÍNSA, Fernando. El proceso de la nueva narrativa latinoamericana de la historia y la parodia. El Nacional, Caracas, p.7-8, 17 dic. 1988.

ALMEIDA, Sandra Regina Goulart. Encontros e contatos em Desmundo e Amrik de Ana Miranda. In: RAVETTI, Graciela; ARBEX, Márcia (Orgs.). Performance, exílio, fronteiras: errâncias territoriais e textuais. Belo Horizonte: Departamento de Letras Românicas, Faculdade de Letras/UFMG: Poslit, p. 135-149, 2002.

__________. O sexo devoto: normatização e resistência feminina no Império Português – XVI – ISSN 2179-0027 Interfaces Vol. 9 n. 1 (março 2018) 85 XVIII. 2003. 322 f. Tese (Doutorado em História) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife. 2003.

ANDRADE, Maria Isabel de Matos. Desmundo, de Ana Miranda: uma história do medo no Brasil. Arquivo Maaravi: Revista digital de estudos judaicos da UFMG. Belo Horizonte, v. 3, n. 5, out. 2009.

ASSIS, Adriana Carolina Hipolito de. O palimpsesto amoroso em Desmundo: contos de fadas. Dissertação (Mestrado em Letras) − Pontifícia Universidade Católica-PUC, São Paulo, 2006.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e estética: a teoria do romance. São Paulo: Hucitec, 2010.

BURKE, Peter. As fronteiras instáveis entre história e ficção. In: AGUIAR, Flávio; MEIHY, José Carlos Sebe Bom; VASCONCELOS, Sandra Guardini T. (orgs.). Gêneros de fronteira: cruzamentos entre o histórico e o literário. São Paulo: Xamã, 1997.

COSTA, Afonso. As órfãs da rainha. Revista do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro, v. 190, p. 105-111, janeiro-março 1946.

CRUZ, Décio Torres; RIOS, Dinameire Oliveira. Ser Mulher em um 'Desmundo' Hostil. Revista Sísifo – v. 1, nº 3, Maio. Ano 2016.

CRUZ, Décio Torres; RIOS, Dinameire Oliveira. Uma voz dissonante: Desmundo e o lugar social da mulher no Brasil colonial. ContraCorrente: revista de estudos literários e da cultura, n.8, 2016.

ESTEVES, Antônio Roberto. O romance histórico brasileiro contemporâneo (1975-2000). São Paulo: Ed. UNESP, 2010.

FLECK, Gilmei Francisco; Uber, Beatrice. As “Órfãs da Rainha” Em Desmundo (1996): do discurso histórico para o ficcional. Revista Interfaces, Vol. 9 n. 1 (março 2018).

GÄRTNER, Mariléia. Mulheres contando história de mulheres: o romance histórico brasileiro contemporâneo de autoria feminina. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Assis, 2006.

HAHNER, June Edith. A mulher no Brasil. Trad. Eduardo F. Alves. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1978.

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

LIMA, Pollyama Correia. A busca de uma identidade na metaficção de Desmundo. XV Congresso Internacional ABRALIC. 07 a 11 agosto de 2017. UERJ - RIO DE JANEIRO.

LUKÁCS, György. O Romance Histórico. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2011.

___________. Teoria do Romance. Tradução de José Marcos Mariani de Macedo. 2ª ed. São Paulo: Editora 34, 2009.

MACHADO, Ana Miranda. Desmundo. São Paulo: Cia. das Letras, 2003.

PEREIRA, Juliana Cristina Minaré. As figurações do feminino em Desmundo (1996), de Ana Miranda. Dissertação de Mestrado apresentada ao Conselho, Programa de Estudos Literários da Faculdade de Ciências e Letras – Unesp /Araraquara, 2018.

PERROT, Michelle. Os excluídos da história: operários, mulheres e prisioneiros. Trad. Denise Bottmam. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1988.

SILVA, Rogério Max Canedo. O romance histórico da colonização: a figuração artística transgressiva do passado em O tetraneto del-rei, de Haroldo Maranhão, A gloriosa fampilia, de Pepetela, e As naus, de António Lobo Antunes. Tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em literatura do Departamento de Teoria Literária e Literaturas do Instituto de Letras da UnB, 2016.

ZORZO, Solange Salete Tacolini. A voz ex-cêntrica da personagem Oribela em Desmundo. Revista policromias, Ano II, dezembro 2017.

____________. Desmundo: retratos e fotogramas metaficcionais - As relações dialógicas entre o romance de Ana Miranda e o filme de Alain Fresnot. Dissertação de mestrado apresentada ao Instituto de Letras da Universidade de Brasília (UnB), 2014.

Downloads

Publicado

07/03/2021

Como Citar

Júnior, S. M. (2021). A voz feminina no romance histórico Desmundo, de Ana Miranda. REVISTA ESTUDOS EM LETRAS, 2(1), 189–200. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/estudosletras/article/view/5800

Edição

Seção

Artigos