Do emergencial ao intencional: reflexões e proposta de avaliação para o ensino remoto

Autores

Resumo

No momento em que o ensino remoto se consolida como realidade que tende a ser incorporada à atuação pedagógica, em meio aos prenúncios de adoção do ensino híbrido e com a evidente ampliação do ensino a distância (EaD), torna-se indispensável a reflexão sobre questões relacionadas ao uso das tecnologias digitais de informação e comunicação (TIDCs) na educação e, sobretudo, acerca do que se entende por avaliação, na prática. Em razão disso, a partir de uma pesquisa bibliográfica fundamentada nos estudos de Hoffmann (2000, 2011), Luckesi (1999), Demo (2012), Haydt (2004), Furtoso (2011, 2020) e Moraes (2020), objetivamos estabelecer diálogos entre premissas, princípios e funções da avaliação que podem ser transpostos do contexto de ensino presencial para o remoto e apresentar uma proposta didático-avaliativa que, apoiada no uso das TIDCs, incorpora os conceitos de Metodologias Ativas (BACICH, 2017); método de projetos (BERBEL, 2011) e tarefa/avaliação renovável (WILEY, 2016). Esperamos reafirmar a necessidade de se repensar o processo de avaliação e o uso de TIDCs na educação, de modo a contemplar: a diversificação de instrumentos de avaliação, o desenvolvimento da autonomia e do pensamento crítico dos alunos, além do desenvolvimento do letramento digital e do letramento em avaliação.

Biografia do Autor

Leila Miyuki Saito, Universidade Estadual de Londrina

Graduada em Letras - Português e Inglês com suas respectivas literaturas, pela Universidade Estadual de Londrina (2008). Especialista em Psicopedagogia Institucional pela Universidade Norte do Paraná (2009). Especialista em Recursos Humanos, pelo Centro Universitário Filadélfia (2011). Mestra pelo Programa de Mestrado Profissional em Letras Estrangeiras Modernas - MEPLEM, pela Universidade Estadual de Londrina (2018). Doutoranda em Estudos da Linguagem, pela Universidade Estadual de Londrina (previsão de conclusão em 2024). Atua na área educacional desde 2004. Experiência em ensino de inglês e coordenação pedagógica em institutos de línguas. Atualmente, exerce cargo Técnico-Administrativo em Educação na Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Lilian Queren Gomes da Silva, Universidade Estadual de Londrina

Letras - língua portuguesa

Referências

AYROSA, P. P. S. Ensino remoto é EAD? Palestra proferida no VIRTUEL, Londrina (Paraná), jun. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=kir5-SKcGjw. Acesso em: 17 jun. 2020.

BACICH, L. Inovação na educação. [São Paulo], 2017. Disponível em: https://lilianbacich.com/2017/11/01/metodologias-ativas-para-uma-educacao-inovadora/. Acesso em: 29 jun.2020.

BARREIRO-PINTO, I. A.; SILVA, M. Avaliação da aprendizagem na educação online: relato de pesquisa. Educação, Formação & Tecnologias, Monte da Caparica – Portugal, vol.1, n. 2, nov. 2008. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/230517904.pdf. Acesso em: 10 set. 2020.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências sociais e humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/10326/10999. Acesso em: 29 jul. 2020.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 23 dez. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 1.038, de 7 de dezembro de 2020. Altera a Portaria MEC nº 544, de 16 de junho de 2020, que dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meio digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19, e a Portaria MEC nº 1.030, de 1º de dezembro de 2020, que dispõe sobre o retorno às aulas presenciais e sobre caráter excepcional de utilização de recursos educacionais digitais para integralização da carga horária das atividades pedagógicas, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19. Diário Oficial da União: seção 1 – Extra A, Brasília, DF, ano 2020, n. 233-A, p. 1, 7 dez. 2020.

DEMO, P. Educação, Avaliação Qualitativa e Inovação. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2012. 28 p. (Série Documental. Textos para Discussão).

DUBOC, A. P. M. A avaliação da aprendizagem de língua inglesa segundo as novas teorias de letramento. Fragmentos, Florianópolis, n. 33, p. 263-277, jul-dez 2007.

FURTOSO, V. A. B. Desempenho oral em português para falantes de outras línguas: da avaliação à aprendizagem de línguas estrangeiras em contexto online. 2011. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2011. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/103505. Acesso em: 27 out. 2020.

______. Avaliação formativa e potencialização do ensino e da aprendizagem de línguas estrangeiras. Palestra proferida em Formação Continuada SEED PR, Londrina (Paraná), out. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=_DpKLv6mhZU&t=1s. Acesso em: 27 out. 2020.

HAYDT, R. C. Avaliação do processo ensino-aprendizagem. São Paulo: Ática, 2004.

HOFFMANN, J. M. L. Avaliação Formativa ou Avaliação Mediadora? Ceará, 2011. Disponível em: http://didaticageraluece.blogspot.com/2011/10/texto-09-avaliacao-formativa-ou.html. Acesso em: 22 dez. 2020.

______. Avaliação Mediadora: uma relação dialógica na construção do conhecimento. Porto Alegre: Mediação, 2000.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez, 1999.

MORAES, D. A. F. Reflexões sobre a didática: planejamento e avaliação em tempos de atividades remotas. Palestra proferida no VIRTUEL, Londrina (Paraná), jun. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=SAmvFtsEMVM&t=6s. Acesso em: 26 jun. 2020.

WILEY, D. Toward renewable assessments. Disponível em: https://opencontent.org/blog/archives/4691. Acesso em: 20 dez. 2020.

Downloads

Publicado

22/09/2021 — Atualizado em 27/02/2022

Versões

Como Citar

Saito, L. M., & Silva, L. Q. G. da. (2022). Do emergencial ao intencional: reflexões e proposta de avaliação para o ensino remoto. REVISTA ESTUDOS EM LETRAS, 2(2). Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/estudosletras/article/view/5816 (Original work published 22º de setembro de 2021)

Edição

Seção

Artigos