A DESCONSTRUÇÃO DA CONCEPÇÃO MODERNISTA DE REPRODUÇÃO EM JORGE LUIS BORGES À PASSAGEM DA SIMULAÇÃO PÓS-MODERNA EM BIOY CASARES

Autores

Resumo

Este artigo analisa a passagem do modernismo ao pós-modernismo a partir da análise de narrativas de Jorge Luis Borges e Adolfo Bioy Casares. Nesse escopo, buscou-se identificar nas obras desses escritores as características estéticas e ideológicas que definem o fantástico latino-americano de outras manifestações do gênero em outras regiões. Este trabalho se baseou na pesquisa qualitativa das obras dos autores supracitados, mostrando-se uma tarefa difícil de caracterização, tendo em vista principalmente que os autores apresentaram diferenças em suas abordagens do gênero fantástico. Este trabalho se justifica a partir da relevância cada vez maior da literatura hispano-americana no contexto da literatura mundial. Algumas conclusões podem ser observadas. Primeiro, a literatura de Borges e Casares estiveram sempre conectadas ao contexto e aos problemas na América Latina, revelando entre ambos diferentes graus de tensão intertextual. Segundo, indaga essas relações intertextuais, colocando em evidência algumas características que os separam estilística e tematicamente e também, o que os unem. Nesse sentido pode se perceber que Borges trabalha conceitos como estrutura do abismo e invenção lógica, dando-lhes características novas e pessoais, e, por sua vez, Adolfo Bioy Casares busca dar sequência à evolução do fantástico, ligando-o ao pós-moderno e ao neo-fantástico.

Biografia do Autor

Norival Bottos Jr, universidade Estadual do Mato Grosso do Sul. Campus de Jardim

Professor convocado na instituição UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, campus de Jardim. Departamento de Letras, Português e Inglês. Área de atuação: Literatura Brasileira, Literatura Portuguesa, Teoria da Literatura, Literatura Infanto Juvenil e Literatura Africana de Língua Portuguesa.

Natalia da Silva Barbosa, Graduanda do último período pela Universidade Estácio de Sá (UNESA) - Polo Jataí-Go.

Professora de Língua Espanhola, pesquisadora na área de Tradução para Espanhol e pesquisadora de Literatura Latino-americana.

Referências

BORGES, Jorge Luis. Obras Completas, volume 1. Vários tradutores. São Paulo: Globo, 2001.

BORGES, Jorge Luis. Obras Completas, volume 2. Vários tradutores. São Paulo: Globo, 1999.

BORGES, Jorge Luis. Obras Completas, volume 3. Vários tradutores. São Paulo: Globo, 1999.

BORGES, Jorge Luis. Sobre os sonhos e outros diálogos. Tradução de John Lionel O`Kinghttons Rodriguez. São Paulo: Hedra, 2005.

CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. Tradução de Nilson Moulin. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CALVINO, Ítalo. Definições de territórios: o fantástico. Assunto Encerrado: Discursos sobre Literatura e Sociedade. Trad. Roberta Barni. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

CARILLA, Emílio. El cuento fantástico. Buenos Aires: Nova, 1968.

CARVALHO, Mariana. A literatura fantástica como incentivo à leitura. Sao Paulo: Global Editora, 2000.

CESERANI, Remo. O fantástico. Trad. Nilton Cezar Tridapalli. Curitiba: Editora UFPR, 2006.

CASARES, Adolfo Bioy. Histórias Fantásticas. Tradução de José Geraldo Couto. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

CORTÁZAR, Júlio. Aulas de literatura. Berkeley. Tradução de Fabiana Camargo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

MARTINHO, Silvana. O conto fantástico moderno. São Paulo: L&PM, 1986.

MONEGAL, Emir Rodriguez. Borges por Borges. Tradução de Ernani Só. Porto Alegre: L&PM, 1987.

TODOROV, Tzvetan. Literatura Fantástica. Maria Clara Correia Castello. São Paulo: Perspectiva, 2012.

Downloads

Publicado

07/05/2022

Como Citar

Bottos Jr, N., & Barbosa, N. da S. (2022). A DESCONSTRUÇÃO DA CONCEPÇÃO MODERNISTA DE REPRODUÇÃO EM JORGE LUIS BORGES À PASSAGEM DA SIMULAÇÃO PÓS-MODERNA EM BIOY CASARES. IPÊ ROXO, 4(1). Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/iperoxo/article/view/5085

Edição

Seção

Artigos