A mulher (e seu corpo) como campo de batalha: as representações do sujeito fragmentado e contemporâneo em Matéi Visniec

Autores

Palavras-chave:

Matéi Visniec. Teatro Contemporâneo. Violência objetiva. Materialismo lacaniano.

Resumo

A partir das pesquisas acerca da constituição do teatro moderno e contemporâneo, busca-se averiguar as representações simbólicas e imagéticas dos sujeitos contemporâneos – representados por personagens fragmentados – com o suporte analítico de Matéi Visniec em sua obra A Mulher como Campo de Batalha ou Do Sexo da Mulher como Campo de Batalha na Guerra da Bósnia (2012). Assim, por meio do suporte crítico e histórico de pesquisadores como Szondi (1880-1950), Sarrazac (1998), além de outros, e também por meio de estudos e representações contemporâneas como a pesquisa proposta por Galante (2020), busca-se compreender a subjetividade e a ressimbolização do trauma, por meio do discurso – e da representação – que também demonstra a violência, discutida em diversas pesquisas e respaldada no conceito proposto por Slavoj Žižek em sua obra Violência: seis reflexões laterais (2015), a fim de compreender como o processo de ressimbolização do trauma pode ser efetuado por meio da narrativa, da literatura e do teatro contemporâneo.

Biografia do Autor

Fernanda Garcia Cassiano, Universidade Estadual de Maringá

Mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0003-0689-4634.  E-mail: fernandagarcia.c@hotmail.com.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? IN: AGAMBEN, Giorgio. Nudez. Tradução: Davi Pessoa. Autêntica Editora, 2014.

BRANDÃO, J. de S. Teatro grego: tragédia e comédia. Petrópolis: Vozes, 1985.

FLORY, Alexandre Villibor. Literatura e teatro: encontros e desencontros formais e históricos. Revista JIOP, v. 1, p. 18-40, 2010.

GALANTE, Camylla. Matéi Vișniec: Cosmologias, Ritos, Espetáculos e Performances. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná. 2020.

HAUSER, Arnold. História Social da Arte e da Cultura. São Paulo: Perspectiva, 1965.

SARRAZAC, Jean-Pierre. (Org.). Léxico do drama moderno e contemporâneo. Trad. André Telles. São Paulo: Cosac & Naify. 2012. SARRAZAC, Jean-Pierre.. O Futuro do Drama. Trad. Alexandra Moreira da Silva. 1998.

SILVA, Marisa Corrêa. Materialismo Lacaniano. In: BONNICI, Thomas e ZOLIN, Lúcia Osana (orgs.). Teoria Literária: abordagens históricas e tendências contemporâneas. 3ªed. rev. e ampl. Maringá: Eduem, 2009. p. 211-216.

SZONDI, Peter. Teoria do drama moderno (1880-1950). Trad. Luiz Sergio Repa. São Paulo: Cosac & Naify. 2001.

TURNER, Victor W. Do ritual ao teatro: a seriedade humana de brincar. Tradução Michele Markowitz e Juliana Romeiro.

VIȘNIEC, Matéi. Paparazzi ou Crônica de um amanhecer abortado seguida de A mulher como campo de batalha – ou Do sexo da Mulher como campo de batalha na Guerra da Bósnia. Tradução Luiza Jatobá. São Paulo: É Realizações, 2012.

VIȘNIEC, Matéi.. Il lavoro ―orizzontale‖ dell‘autore. Prove di Drammaturgia: Rivista di inchieste teatrali, Bologna, Anno XV, n. 1, p.4-7, abr. 2009. Semestral.

ZOLA, Emile. O romance experimental e o naturalismo no teatro. São Paulo , 1982

ŽIŽEK, Slavoj. Violência: seis reflexões laterais. Boitempo Editorial, 2015.

Downloads

Publicado

24/12/2021

Como Citar

Cassiano, F. G. (2021). A mulher (e seu corpo) como campo de batalha: as representações do sujeito fragmentado e contemporâneo em Matéi Visniec. VALITTERA - REVISTA LITERÁRIA DOS ACADÊMICOS DE LETRAS, 1(4), 117–136. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/valit/article/view/6259