O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E A CIÊNCIA: IMPOSSÍVEL PENSAR EM COMPENSAÇÃO DE RESERVA LEGAL NO BIOMA

Paulo Roberto Cunha

Resumo


No complexo jogo político de alteração do Código Florestal Brasileiro (2009-2012), prevaleceram as proposições de dois agrupamentos de atores: o agronegócio (e de outros interesses associados) e a bancada ruralista do Congresso Nacional. Considerando esse pressuposto, devidamente fundamentado em evidências empíricas, este artigo analisa as modificações do mecanismo de compensação de reserva legal, previsto no Novo Código Florestal, e os seus impactos ambientais negativos para a biodiversidade do país.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 GEOFRONTER

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.