Sobre a Revista

ISSN 2447-9195

A Geofronter é um periódico digital com fluxo contínuo. Está associada ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul e ao Grupo de Pesquisa Gefrontter. Tem como objetivo promover a difusão do conhecimento com debates para o desenvolvimento da sociedade.

Publica trabalhos de caráter amplo, buscando acrescentar novos conhecimentos ao saber geográfico em todas os seus aspectos, inclusive textos de outras áreas do saber que dialogam com a Geografia. A Geofronter conta com secções de artigos, traduções de artigos, resenhas, notas de pesquisa  e imagens e/ou mapas comentados.

QUALIS/CAPES (2017-2020): A4 

Edição Atual

v. 10 (2024)
					Visualizar v. 10 (2024)
Publicado: 2024-01-23

Artigos

  • RIO VERDE (GO), UMA CIDADE DE COMANDO REGIONAL

    Jaff Tayllor Lourenço Resende, William Ferreira da Silva
    e8436

    Visualizações: 51
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8436
  • A DINÂMICA DA PRODUÇÃO DE CAFÉS ESPECIAIS caso da Fazenda Recanto, em Machado - MG

    Carlos Casaril, Fernando dos Santos Sampaio
    e8852

    Visualizações: 63
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8852
  • A MOBILIDADE ESPACIAL VIA TRANSPORTE RODOVIÁRIO INFORMAL DE PASSAGEIROS ENTRE AS CIDADES DE FRANCISCO SÁ E MONTES CLAROS (MG)

    Rahyan de Carvalho Alves, Vanessa Tamiris Rodrigues Rocha, Carlos Alexandre de Bortolo
    e8508

    Visualizações: 63
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8508
  • CENTRALIZAÇÃO DE CAPITAIS E FINANCEIRIZAÇÃO impacto no setor sucroenergético

    Daniel Féo Castro de Araújo
    e8441

    Visualizações: 63
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8441
  • POPULARIZAÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE A PALEONTOLOGIA DO QUATERNÁRIO NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL proposta da criação de uma cartilha informativa

    Eveline Terra Bezerra, Daires Eduardo Bento Lima Franco, Adriana Bilar Chaquime dos Santos
    e7766

    Visualizações: 73
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7766
  • TURISMO MÉDICO-HOSPITALAR uma proposta de roteirização para acompanhantes de pacientes em Campo Grande - MS

    Daniele da Silva Santos, Débora Fittipaldi Gonçalves
    e8480

    Visualizações: 81
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8480
  • GEOTURISMO E GEOCONSERVAÇÃO uma análise das potencialidades e fragilidades das paisagens cársticas do município de Bonito – MS

    Ana Flávia Gomes Fernandes Fontes, Lucy Ribeiro Ayach, Ivânia Mineiro de Souza
    e8569

    Visualizações: 172
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8569
  • MAPEAMENTO E ANÁLISE DE CONFLITOS NO USO DA TERRA, SEUS IMPACTOS E A DEGRADAÇÃO AMBIENTAL NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GUAJIRU (RN)

    Michele Barbosa da Rocha, Sebastião Milton Pinheiro da Silva
    e8621

    Visualizações: 176
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8621
  • SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL URBANA DO BAIRRO EMBAÚVAS EM SANTO ANTÔNIO DO SUDOESTE – PR

    Victor Cominetti, Ricardo Carvalho Leme
    e8419

    Visualizações: 169
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8419
  • CONCENTRAÇÕES DE MATERIAL PARTICULADO INALÁVEL (MPI) E QUALIDADE DO AR NA CIDADE DE DOURADOS (MS) os arquipélagos de MPI nos episódios de inverno e primavera de 2017

    Vladimir Aparecido dos Santos Sorana, Charlei Aparecido da Silva
    e8488

    Visualizações: 92
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8488
  • RETIRADA DAS DOENÇAS A produção espacial epidêmica do Cambarecê à Fazenda Jardim

    Eduardo Henrique de Oliveira Lima, Eva Teixeira dos Santos
    e8466

    Visualizações: 103
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8466
  • A CONSTRUÇÃO DA GEOGRAFIA DE MILTON SANTOS A PARTIR DA FILOSOFIA DE MARTIN HEIDEGGER

    Hugo Aureliano da Costa
    e8352

    Visualizações: 117
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8352
  • GEOGRAFIA DE LUGAR NENHUM uma breve análise do processo de hiperglobalização em Três Lagoas – MS

    Danilo Paranhos Batista
    e8380

    Visualizações: 229
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8380
  • A AVALIAÇÃO EM GEOGRAFIA o raciocínio geográfico como objetivo do ensino

    Gabriel Igor Teodoro Moser Contreras, Maria das Graças de Lima
    e34001

    Visualizações: 195
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8281
  • MONITORAMENTO, POR MEIO DE GEOTECNOLOGIAS, DOS PROCESSOS DE INUNDAÇÃO E ALAGAMENTO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DO BACURI, IMPERATRIZ-MA.

    Ivanilde Silva, Taissa Rodrigues, Helen Fernandes
    e32774

    Visualizações: 241
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8305
  • DINÂMICA ESPAÇO-TEMPORAL DA AGROPECUÁRIA EM MUNICÍPIO COM ECONOMIA DE BASE MINERAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA O CASO DE CANAÃ DOS CARAJÁS, ESTADO DO PARÁ

    Erika da Silva Chagas, Marcos Antônio Souza dos Santos, Andréa Hentz de Mello
    e8311

    Visualizações: 263
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8311
  • ANÁLISE DA FRAGILIDADE AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO CANTAGALO, TRÊS RIOS, RJ - BRASIL

    Luan Carlos Octaviano Ferreira Leite, Erika Cortines
    e8317

    Visualizações: 182
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8317
  • PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS EM UMA ESCOLA MUNICIPAL NA CIDADE DE CAMPO GRANDE - MS

    Eliane da Silva Andrade, Patrícia Helena Mirandola Garcia, Juliana Roberta Paes Fujihara
    e7746

    Visualizações: 125
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7746
  • O PROCESSO DE REGIONALIZAÇÃO NO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO: UMA DISCUSSÃO CRÍTICA

    Diogo Sousa, Fernando Luiz Araújo Sobrinho
    e7593

    Visualizações: 192
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7593
  • ANÁLISE DO ÍNDICE DE DISSECAÇÃO DO RELEVO, HIPSOMETRIA E DECLIVIDADE DO MUNICÍPIO DE AQUIDAUANA-MS

    Edwina Santos da Costa, Elisângela Martins de Carvalho, Emerson Figueiredo Leite
    e7760

    Visualizações: 272
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7760
  • DETECÇÃO DE MUDANÇAS NO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NO ESTADO DO AMAZONAS BASEADA NAS CLASSIFICAÇÕES DO PROJETO MAPBIOMAS

    Brychtn Ribeiro de Vasconcelos, Mirelle Tainá Vieira Lima , Antonio Conceição Paranhos Filho
    e7773

    Visualizações: 491
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7773
  • ASPECTOS TERRITORIAIS, CARTOGRÁFICOS E COMPORTAMENTAIS: CORRELAÇÕES ENTRE O XADREZ E O ENSINO DE GEOGRAFIA

    Fernando Corrêa Maciel, Ivair Gomes, Arlon Cândido Ferreira
    e8213

    Visualizações: 116
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8213
  • GEOPATRIMÔNIO DE PERNAMBUCO: SITE DE DIVULGAÇÃO DA GEODIVERSIDADE DO ESTADO DE PERNAMBUCO

    Italo Rodrigo Paulino de Arruda, Gorki Mariano, Thaís de Oliveira Guimarães
    e8275

    Visualizações: 191
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8275
  • LEPROSY IN MATO GROSSO DO SUL: A SPATIAL, SOCIOECONOMIC AND IMPACT VIEW OF THE COVID-19 PANDEMIC

    Ana Paula Caserta Tencatt-Abrita, Mateus Boldrine Abrita
    e8297

    Visualizações: 128
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8297

Notas de Pesquisa

  • DESCRIÇÃO PALEOAMBIENTAL INICIAL NO MUNICÍPIO DE CORUMBATAÍ DO SUL – PARANÁ – BRASIL

    Fernando Henrique Villwock, Renan Valério Eduvirgem, Mauro Parolin
    e8437

    Visualizações: 117
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8437
Ver Todas as Edições

Objetivo e público alvo

Fomentar a divulgação de produções científicas de graduados com alta relevância e qualidade, no que tange aos resultados, alcance e impacto na área de Geografia e áreas afins, tais como: Ciências Ambientais, Economia, Educação, Ensino, Geociências, História, Planejamento Urbano e Regional, dentre outras.

 

Abrangência temática

A essência da GEOFRONTER é o termo Fronteira. A definição mais usual deste conceito se refere a uma linha que delimita dois territórios.

No entanto, fronteira é muito mais que isso. Ao mesmo tempo é uma linha que separa e une, que simultaneamente segrega e integra, no espaço e no tempo. Nem sempre as fronteiras delimitam elementos distintos, em uma região transfronteiriças sempre há componentes semelhantes ou mesmo iguais.

Claude Raffestin (1980) ao tratar dos limites e das fronteiras em sua obra “Por uma Geografia do Poder”, destaca que diariamente somos confrontados com a noção de limite, trançando-os ou chocando com eles, pois toda relação depende de delimitações de um campo no interior do qual ela se origina, se realiza e ainda se esgota. Logo, o limite e a fronteira seriam a expressão de uma interface biológica e social que não escapa de uma historicidade e que pode consequentemente ser modificada ou mesmo ultrapassado.

Ademais, de maneira concreta ou abstrata, a fronteira possui ainda inúmeros outros sentidos e significados, sendo possível identificar: fronteiras naturais, fronteiras regionais, fronteiras agrícolas, fronteiras históricas, fronteiras linguísticas, fronteiras sociais, a fronteira matemática, fronteiras virtuais, fronteiras do pensamento, fronteiras reais, fronteiras imaginárias, fronteiras visíveis, fronteiras invisíveis, há até mesmo organizações que são denominadas de “sem-fronteiras”, dentre inúmeras outras possibilidades.

É nesta complexidade que perpassa a temática da GEOFRONTER aliada a expansão das fronteiras do conhecimento como um todo.

 

Organização e Publicação

O periódico é organizado pelo Grupo de Pesquisa Gefrontter (Grupo de Estudos em Fronteira, Turismo, Território e Região), vinculado ao Centro de Estudos de Fronteira General Padilha (Cefront) e a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

A publicação é realizada pela Editora UEMS, por meio de seu Portal de Periódicos.

 

Periodicidade

A GEOFRONTER atualmente adota a modalidade de publicação em fluxo contínuo, por meio de um volume anual. A meta do periódico é publicar ao menos 30 (trinta) artigos por volume/ano.

 

Submissão

A submissão de produções científicas é realizada em fluxo contínuo, ou seja, em qualquer período do ano, sendo o envio exclusivo pelo site do periódico.

Maiores detalhes sobre o processo de submissão e avaliação estão disponíveis em Diretrizes Gerais para Autores.

 

Endogenia

A GEOFRONTER permitirá a publicação de produções de autores vinculados a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul desde que o índice de endogenia se mantenha sempre abaixo de 10% do total das produções publicadas ao ano.

 

Seções e idiomas

A GEOFRONTER recebe submissões de produções científicas em Português, Espanhol, Inglês e Francês para as seguintes seções:

  • Artigos técnicos-científicos: produções inéditas que contenham análises de pesquisas científicas.
  • Traduções de artigos técnicos-científicos: publicação de traduções para a língua portuguesa realizada pelo próprio autor de artigos de alta relevância e impacto que tenham sido previamente publicados em língua estrangeira, vinculada a autorização formal do periódico original.
  • Resenhas: produções inéditas resultantes da análise de livros publicados nos últimos 5 anos.
  • Notas de pesquisa: produções inéditas que destacam elementos de uma pesquisa em realização, com objetivo de divulgar à comunidade científica o trabalho em andamento, bem como promover trocas de conhecimentos e  metodologias de pesquisa.
  • Imagens e/ou mapas comentados: produções inéditas que destacam elementos técnico-científicos a partir de imagens e/ou mapas, com objetivo de ampliar as “leituras” de figuras diversas.

 As diretrizes gerais e específicas de formatação de cada seção se encontram em Diretrizes Gerais para Autores.

 

Avaliação e controle de qualidade

A avaliação utiliza o Sistema de Pares Cegos, selecionando ao menos dois pareceristas na área de abrangência da submissão com o objetivo de avaliá-la.

Para a decisão avaliativa dos pareceristas há quatro opções, a saber:

  1. Aceito;
  2. Aceito com revisões obrigatórias;
  3. Solicita-se revisões substanciais para uma nova rodada de avaliação, ou;
  4. Rejeitado.

As produções não podem ultrapassar o número de três autores, exceto em situações específicas devidamente argumentadas e aprovadas pelo Conselho Editorial.

O periódico segue as normas definidas pela Academia Brasileira de Ciências acerca de falsificação e/ou manipulação de dados, bem como, plágio e autoplágio. Utiliza-se a ferramenta Freeware CopySpider para detecção de plágio, sendo permitido um percentual de no máximo 3% (chance de plágio). O CopySpider permite o uso da licença freeware em ambiente institucional.

Cabe à Conselho Editorial a decisão final de publicar qualquer produção submetida.

Maiores detalhes sobre o processo de avaliação, prazos estimados e submissão em Diretrizes Gerais para Autores.

 

Política de acesso livre e Taxas

A GEOFRONTER disponibiliza acesso livre e gratuito ao seu conteúdo, com objetivo de contribuir com a democratização do acesso mundial ao conhecimento técnico-científico.

O periódico não cobra taxas ou quaisquer encargos financeiros pela publicação dos conteúdos disponibilizados em nossa plataforma.

  

Arquivamento

A revista utiliza o sistema LOCKSS (Lots of Copies Keep Stuff Safe) da Stanford University dos EUA ara assegurar arquivamento adequado das publicações.

 

Indexação

A revista está indexada no padrão internacional PKP Open Archives Harvester do Canadá ao adotar como padrão de indexação o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia.

 

 

No momento o periódico encontra-se em processo de indexação em outras plataformas com objetivo de aumentar sua capilaridade online.