Sobre a Revista

ISSN 2447-9195

A Geofronter é um periódico digital com fluxo contínuo. Está associada ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul e ao Grupo de Pesquisa Gefrontter. Tem como objetivo promover a difusão do conhecimento com debates para o desenvolvimento da sociedade.

Publica trabalhos de caráter amplo, buscando acrescentar novos conhecimentos ao saber geográfico em todas os seus aspectos, inclusive textos de outras áreas do saber que dialogam com a Geografia. A Geofronter conta com secções de artigos, traduções de artigos, resenhas, notas de pesquisa  e imagens e/ou mapas comentados.

QUALIS/CAPES (2017-2020): A4 

Edição Atual

v. 10 (2024)
					Visualizar v. 10 (2024)
Publicado: 2024-01-23

Artigos

  • ANÁLISE DA FRAGILIDADE AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO CANTAGALO, TRÊS RIOS, RJ - BRASIL

    Luan Carlos Octaviano Ferreira Leite, Erika Cortines
    e8317

    Visualizações: 28
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8317
  • PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS EM UMA ESCOLA MUNICIPAL NA CIDADE DE CAMPO GRANDE - MS

    Eliane da Silva Andrade, Patrícia Helena Mirandola Garcia, Juliana Roberta Paes Fujihara
    e7746

    Visualizações: 29
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7746
  • O PROCESSO DE REGIONALIZAÇÃO NO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO: UMA DISCUSSÃO CRÍTICA

    Diogo Sousa, Fernando Luiz Araújo Sobrinho
    e7593

    Visualizações: 73
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7593
  • ANÁLISE DO ÍNDICE DE DISSECAÇÃO DO RELEVO, HIPSOMETRIA E DECLIVIDADE DO MUNICÍPIO DE AQUIDAUANA-MS

    Edwina Santos da Costa, Elisângela Martins de Carvalho, Emerson Figueiredo Leite
    e7760

    Visualizações: 52
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7760
  • DETECÇÃO DE MUDANÇAS NO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NO ESTADO DO AMAZONAS BASEADA NAS CLASSIFICAÇÕES DO PROJETO MAPBIOMAS

    Brychtn Ribeiro de Vasconcelos, Mirelle Tainá Vieira Lima , Antonio Conceição Paranhos Filho
    e7773

    Visualizações: 99
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.7773
  • ASPECTOS TERRITORIAIS, CARTOGRÁFICOS E COMPORTAMENTAIS: CORRELAÇÕES ENTRE O XADREZ E O ENSINO DE GEOGRAFIA

    Fernando Corrêa Maciel, Ivair Gomes, Arlon Cândido Ferreira
    e8213

    Visualizações: 37
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8213
  • GEOPATRIMÔNIO DE PERNAMBUCO: SITE DE DIVULGAÇÃO DA GEODIVERSIDADE DO ESTADO DE PERNAMBUCO

    Italo Rodrigo Paulino de Arruda, Gorki Mariano, Thaís de Oliveira Guimarães
    e8275

    Visualizações: 78
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8275
  • LEPROSY IN MATO GROSSO DO SUL: A SPATIAL, SOCIOECONOMIC AND IMPACT VIEW OF THE COVID-19 PANDEMIC

    Ana Paula Caserta Tencatt-Abrita, Mateus Boldrine Abrita
    e8297

    Visualizações: 58
    DOI: https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8297
Ver Todas as Edições

Objetivo e público alvo

Fomentar a divulgação de produções científicas de graduados com alta relevância e qualidade, no que tange aos resultados, alcance e impacto na área de Geografia e áreas afins, tais como: Ciências Ambientais, Economia, Educação, Ensino, Geociências, História, Planejamento Urbano e Regional, dentre outras.

 

Abrangência temática

A essência da GEOFRONTER é o termo Fronteira. A definição mais usual deste conceito se refere a uma linha que delimita dois territórios.

No entanto, fronteira é muito mais que isso. Ao mesmo tempo é uma linha que separa e une, que simultaneamente segrega e integra, no espaço e no tempo. Nem sempre as fronteiras delimitam elementos distintos, em uma região transfronteiriças sempre há componentes semelhantes ou mesmo iguais.

Claude Raffestin (1980) ao tratar dos limites e das fronteiras em sua obra “Por uma Geografia do Poder”, destaca que diariamente somos confrontados com a noção de limite, trançando-os ou chocando com eles, pois toda relação depende de delimitações de um campo no interior do qual ela se origina, se realiza e ainda se esgota. Logo, o limite e a fronteira seriam a expressão de uma interface biológica e social que não escapa de uma historicidade e que pode consequentemente ser modificada ou mesmo ultrapassado.

Ademais, de maneira concreta ou abstrata, a fronteira possui ainda inúmeros outros sentidos e significados, sendo possível identificar: fronteiras naturais, fronteiras regionais, fronteiras agrícolas, fronteiras históricas, fronteiras linguísticas, fronteiras sociais, a fronteira matemática, fronteiras virtuais, fronteiras do pensamento, fronteiras reais, fronteiras imaginárias, fronteiras visíveis, fronteiras invisíveis, há até mesmo organizações que são denominadas de “sem-fronteiras”, dentre inúmeras outras possibilidades.

É nesta complexidade que perpassa a temática da GEOFRONTER aliada a expansão das fronteiras do conhecimento como um todo.

 

Organização e Publicação

O periódico é organizado pelo Grupo de Pesquisa Gefrontter (Grupo de Estudos em Fronteira, Turismo, Território e Região), vinculado ao Centro de Estudos de Fronteira General Padilha (Cefront) e a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

A publicação é realizada pela Editora UEMS, por meio de seu Portal de Periódicos.

 

Periodicidade

A GEOFRONTER atualmente adota a modalidade de publicação em fluxo contínuo, por meio de um volume anual. A meta do periódico é publicar ao menos 30 (trinta) artigos por volume/ano.

 

Submissão

A submissão de produções científicas é realizada em fluxo contínuo, ou seja, em qualquer período do ano, sendo o envio exclusivo pelo site do periódico.

Maiores detalhes sobre o processo de submissão e avaliação estão disponíveis em Diretrizes Gerais para Autores.

 

Endogenia

A GEOFRONTER permitirá a publicação de produções de autores vinculados a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul desde que o índice de endogenia se mantenha sempre abaixo de 10% do total das produções publicadas ao ano.

 

Seções e idiomas

A GEOFRONTER recebe submissões de produções científicas em Português, Espanhol, Inglês e Francês para as seguintes seções:

  • Artigos técnicos-científicos: produções inéditas que contenham análises de pesquisas científicas.
  • Traduções de artigos técnicos-científicos: publicação de traduções para a língua portuguesa realizada pelo próprio autor de artigos de alta relevância e impacto que tenham sido previamente publicados em língua estrangeira, vinculada a autorização formal do periódico original.
  • Resenhas: produções inéditas resultantes da análise de livros publicados nos últimos 5 anos.
  • Notas de pesquisa: produções inéditas que destacam elementos de uma pesquisa em realização, com objetivo de divulgar à comunidade científica o trabalho em andamento, bem como promover trocas de conhecimentos e  metodologias de pesquisa.
  • Imagens e/ou mapas comentados: produções inéditas que destacam elementos técnico-científicos a partir de imagens e/ou mapas, com objetivo de ampliar as “leituras” de figuras diversas.

 As diretrizes gerais e específicas de formatação de cada seção se encontram em Diretrizes Gerais para Autores.

 

Avaliação e controle de qualidade

A avaliação utiliza o Sistema de Pares Cegos, selecionando ao menos dois pareceristas na área de abrangência da submissão com o objetivo de avaliá-la.

Para a decisão avaliativa dos pareceristas há quatro opções, a saber:

  1. Aceito;
  2. Aceito com revisões obrigatórias;
  3. Solicita-se revisões substanciais para uma nova rodada de avaliação, ou;
  4. Rejeitado.

As produções não podem ultrapassar o número de três autores, exceto em situações específicas devidamente argumentadas e aprovadas pelo Conselho Editorial.

O periódico segue as normas definidas pela Academia Brasileira de Ciências acerca de falsificação e/ou manipulação de dados, bem como, plágio e autoplágio. Utiliza-se a ferramenta Freeware CopySpider para detecção de plágio, sendo permitido um percentual de no máximo 3% (chance de plágio). O CopySpider permite o uso da licença freeware em ambiente institucional.

Cabe à Conselho Editorial a decisão final de publicar qualquer produção submetida.

Maiores detalhes sobre o processo de avaliação, prazos estimados e submissão em Diretrizes Gerais para Autores.

 

Política de acesso livre e Taxas

A GEOFRONTER disponibiliza acesso livre e gratuito ao seu conteúdo, com objetivo de contribuir com a democratização do acesso mundial ao conhecimento técnico-científico.

O periódico não cobra taxas ou quaisquer encargos financeiros pela publicação dos conteúdos disponibilizados em nossa plataforma.

  

Arquivamento

A revista utiliza o sistema LOCKSS (Lots of Copies Keep Stuff Safe) da Stanford University dos EUA ara assegurar arquivamento adequado das publicações.

 

Indexação

A revista está indexada no padrão internacional PKP Open Archives Harvester do Canadá ao adotar como padrão de indexação o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia.

 

 

No momento o periódico encontra-se em processo de indexação em outras plataformas com objetivo de aumentar sua capilaridade online.