OS DISTINTOS USOS E USUÁRIOS NA FEIRA LIVRE DO BAIRRO MAJOR PRATES NO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS - MG

Carlos Alexandre de Bortolo, Daniela Pereira Melo, Gustavo Henrique Cepolini Ferreira

Resumo


No que consiste estudar Feiras livres, destaca-se que essa palavra deriva do latim feria, significando o dia santo, o feriado. São muitas as referências às feiras na literatura, mostrando como elas assumem, além da função comercial, um papel folclórico, religioso e festivo. A feira livre constitui uma das formas mais antigas de comercialização, caracteriza-se como um espaço no qual os agricultores vendiam os seus produtos, desenvolvendo uma importância cultural, econômica e social que mantem – se até a atualidade. Dentro deste contexto temos a feira livre do bairro Major Prates, localizada na região sul da cidade de Montes Claros - MG. O objetivo geral deste artigo consiste em identificar o perfil dos feirantes da feira livre do bairro Major Prates localizado no município de Montes Claros - MG. O estudo contou com a visitação a feira livre do Major Prates aos domingos de 07 de abril a 13 de maio de 2018, consecutivamente, todavia os questionários foram nos dias 08, 15, 22 e 29 do mês de abril e no dia 05 de maio. Assim, identificou-se o perfil geoeconômico, os distintos usuários e seus mais variados usos no que tange a relação de produção do espaço público da feira livre do bairro Major Prates em Montes Claros – MG. Colocando a feira nos circuitos curtos de comercialização de alimentos que caracterizam-se pela a especificidade, a aproximação entre produção e consumo na cidade e região.


Palavras-chave


Espaço Público, Feiras livres, Urbano, Usos e Apropriações

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, A. A. de. A feira livre de Caicó RN: um cenário de tradição e resistência às novas estruturas comerciais modernas. Universidade Federal do Rio Grande do Norte- Caicó RN, 2015.

CHAVES, G. R. Análise socioeconômica e cultural da feira do município de Remegidio-PB. Grande-PB: Universidade Estadual da Paraíba, 2011.

CORREA, R. L. Geografia: conceitos e temas. 7a ed. - Rio de Janeiro; Bertrand Brasil, 2003.

FONSECA, A.I.A. et al. As feiras e o mercado como alternativa de renda para agricultores familiares: um estudo de caso do município de Bocaiúva –norte de Minas gerais. Anais do IX Seminário de Pós-Graduação em Geografia da UNESP. Rio Claro, 3 a 5 de novembro de 2009. Disponível em: Acesso em: 13 ago. 2017.

FORMAN, S. Camponeses: Sua Participação no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

MOTT, L. R. de B. Subsídios à história do pequeno comércio no Brasil. Revista da História, São Paulo, n. 105, 1976. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2017.

NEVES, J. A construção de um mundo globalizado. São Paulo: Editora Saraiva: 2002.

PATTON, M.Q. Qualitative data analysis. Londres: Sage, 1994.

PAULINO, Erika, et al. Comercio de alimentos em uma feira livre de um município no alto Jequitinhonha. Minas Gerais: Revista Desenvolvimento Social, 2015.

PESSÔA, Cristiane Cardoso. Agricultura urbana e pobreza: um estudo no município de Santa Maria-RS. Dissertação (Mestrado em Extensão Rural). UFSM, 2005.

SANTOS, M.A Natureza do Espaço: espaço e tempo, razão e emoção. 3ª ed. São Paulo: Hucitec, 2008.

SATO, L. Processos cotidianos de organização do trabalho na feira livre. Psicologia & Sociedade: 19, Edição Especial 1. 2007


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 GEOFRONTER

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.