A IMPORTÂNCIA DO EDUCAR E DO BRINCAR PARA O DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR

Arão Davi Oliveira, Carmelinda Atienza, Elza Flauzina Barbosa, Rosileia Dias Galvão

Resumo


A Educação Infantil é a etapa inicial da Educação Básica, marcada pela adaptação e estímulo ao percurso educacional. Esta pesquisa visa responder como o brincar se conecta ao aprendizado/educação como estímulo ao desenvolvimento psicomotor infantil? Assim, traçamos como objetivo: analisar como o brincar é compreendido e utilizado para a interação, o desenvolvimento e a promoção da psicomotricidade da criança em um Centro de Educação Infantil (CEINF) do município de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.  Como instrumento de coleta de dados utilizamos entrevista semiestruturada junto a três educadoras infantis para identificar como percebem e atuam sobre a evolução psicomotora das crianças que atendem. Esta é uma pesquisa qualitativa com abordagem documental, bibliográfica e de campo. Os dados coletados foram analisados tendo por base os pressupostos teóricos de Kishimoto (2017), Huizinga (1980) e Almeida (2009). Os resultados da pesquisa indicam que, na escola observada, o brincar é utilizado pelas professoras de forma constante, sobretudo com atividades de sucata e arte, com a finalidade de fortalecer a afetividade, as competências e a socialização com seus pares junto ao interesse psicomotor. Na escola campo de estudo, o brincar se conecta ao aprendizado/educação como via de comunicação com a criança e atividades que fortalecem a alfabetização do movimento para a colaboração e vivência escolar futura.


Palavras-chave


Educação Infantil. Desenvolvimento psicomotor. Brincar.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, G. P. Teoria e prática em psicomotricidade: jogos, atividades lúdicas, expressão corporal e brincadeiras infantis. Rio de Janeiro: WAK Editora, 2009. v. 2.

BARRETO, S. J. Psicomotricidade, educação e reeducação. Blumenau: Editora Acadêmica, 2000.

BRASIL. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 10 de out. 2018.

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

FERREIRA, T. Desenvolvimento de uma Ferramenta de Suporte à Avaliação em Ambientes de Ensino a Distância. Qualificação de Mestrado, IC/Unicamp, 2001.

FUSARI, J. C. O planejamento do trabalho pedagógico: algumas indagações e tentativas de respostas. Série Ideias, n. 8, p. 44-53, 1990.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Editora Atlas, 2002.

GIRARDELLO, G. Voz, presença e imaginação: a narração de histórias e as crianças pequenas. 2007. Disponível em: Acesso em: 12 ago. 2018.

HORN, M. G. S. Sabores, cores, sons, aromas: a organização dos espaços na educação infantil. Artmed Editora, 2009.

HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Editora Perspectiva, 1980.

KISHIMOTO, T. M. Brincar e suas teorias. Cengage Learning Editores, 2002.

______. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez editora, 2017.

LOWENFELD, V.; BRITTAIN, L. Desenvolvimento da capacidade criadora. Rio de Janeiro: Mestre Jou, 1997.

MALAGUZZI, L. El cuento de los peces con los niños del cine mudo. Barcelona: A.M. Rosa Sensat – Reggio Children, 2004.

MALUF, A. C. M. Atividades lúdicas para Educação Infantil: conceitos, orientações e práticas. São Paulo: Editora Vozes Limitada, 2011.

OLIVEIRA, E. S. A.; CUNHA, A. C. Infância e cultura contemporânea: as repercussões da mídia na ludicidade das crianças nas aulas de Educação Física. In: PEREIRA, S. V.; CARDOSO, A. (Org). XI Seminário Internacional Educação Física, Lazer & Saúde: perspectivas de desenvolvimento num mundo globalizado. Porto: Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico do Porto, 2015. p. 316-322.

OLIVEIRA, G. C. Psicomotricidade: educação e reeducação num enfoque psicopedagógico. 7. ed., Petrópolis: Vozes, 2002.

OLIVEIRA, J. A.; SILVA, M. B. A ludicidade como dispositivo pedagógico: um processo de aprendizagem. Perspectivas em Diálogo: revista de educação e sociedade, v. 3, n. 6, p. 70-89, 2016.

SANS, P. T. C. Pedagogia do desenho infantil. São Paulo: Alínea, 2007.

WAJSKOP, G. O brincar na educação infantil. Cadernos de pesquisa, n. 92, p. 62-69, 2013.

ZORZI, J. L. Aquisição da Linguagem Infantil: desenvolvimento, alterações, terapia. São Paulo: Pancast, 1993.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 GEOFRONTER

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.