IMPACTOS DOS RESÍDUOS SÓLIDOS EM IGARAPÉS DE MANAUS-AMAZONAS

Autores

Palavras-chave:

Manaus, Igarapé, Lixo, Resíduos Sólidos

Resumo

Desde o advento do ciclo da borracha somada à criação da Zona Franca de Manaus (ZFM), a cidade de Manaus experimenta um crescimento desordenado em fluxo migratório, demografia, economia, territorial e tem absorvido consequências da urbanização acentuada, como a descaracterização da sua paisagem e fatores socioespaciais como a desigualdade social e invasões clandestinas. No cerne ambiental, o desmatamento e ocupação de áreas de proteção ambiental, e sobretudo o aumento de lixeiras viciadas e despejo do esgoto, transformaram os igarapés, de áreas recreativas em rios carreadores de lixo, esgoto e metais. O presente artigo tem por objetivo descrever as condições da situação  da coleta de resíduos sólidos urbanos (RSU) da cidade de Manaus, avaliar os custos de limpeza dos Igarapés, e colocar um enfoque sobre o destino final do lixo gerado em Manaus, o aterro de resíduos sólidos municipais (ARSM) e impactos que o chorume gerado tem ocasionado ao solo e a Igarapés da cidade. A metodologia empregada neste trabalho foi baseada no método indutivo com uso da pesquisa descritiva de artigos de periódicos, teses e relatórios da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (SEMULSP) de Manaus. Os resultados obtidos através de estudos do ARSM têm destacado sua saturação devido ao crescimento da cidade, aumento dos custos de coleta de resíduos sólidos urbanos (RSU) ao longo dos anos de 2013 a 2019, e baixo aproveitamento em reciclagem, compostagem, e biogás.  A coleta seletiva, sensibilização ambiental e o combate a lixeiras viciadas são deficitárias, exigindo políticas efetivas de educação ambiental e reaproveitamento do lixo em Manaus.

Biografia do Autor

Elton Alves de Souza Filho, Universidade do Estado do Amazonas - UEA

Mestre em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos - UEA/PROFÁGUA

Samara Beatriz da Silva Mendonça Alves, Mestranda em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos - UEA/PROFÁGUA

Mestranda em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos - UEA/PROFÁGUA

Renato Kennedy Ribeiro Neves, Mestre em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos - UEA/PROFÁGUA

Mestre em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos - UEA/PROFÁGUA

Referências

ALFAIA, R. G. S. M.; COSTA, A. M.; CAMPOS, J. C. Municipal solid waste in Brazil: A review. Waste Management e Research, v.35, n.12, p.1195-1209, 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS (ABRELPE). Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2018/2019. São Paulo-SP, p.68, 2019.

BRAGA, B. A cidade e suas Representações: Manaus no século XIX (1850-1883). Revista de Pesquisa Histórica, n.34, p.163-184, 2016.

BRASIL. Lei nº 11.445 de 05 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis n° 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei no6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências.

BRASIL. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Lei no 12.305, de 2 de agosto de 2010. Presidência da República, Departamento da Casa Civil. Brasília, 2010.

CHAVES, E.V; SANTANA, G.P. Distribuição de metais pesados em solos do aterro sanitário e Polo Industrial de Manaus. Igapó, n.4, p.53-59, 2011.

DAMASCENO, S.B; SILVA, G.R; SILVA, L.P; SOUZA FILHO, E.A; DAMASCENA, V.A; OLIVEIRA, M.V; SOUZA, I.S. Gestão participativa no conjunto flamanal torna uma lixeira viciada na praça das flores em espaço do conhecimento sustentável, Braz. J. of Develop., Curitiba, v.6, n.1, p.2841-2854, 2020.

GUIMARÃES, P.W; FARIAS, A.H.T; NASCIMENTO, L.R.C. Riqueza e Desigualdade no Estado do Amazonas. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, v.39, n.135, p.29-45, 2018

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Resultado dos Dados Preliminares do Censo demográfico. Disponível em <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/am/manaus/panorama>. Acesso em 02 de Junho de 2020.

INSTITUTO TRATA BRASIL. Ranking do saneamento - Base de dados SNIS. Disponível em: <http://www.tratabrasil.org.br/estudos/estudos-itb/ranking-do-saneamento>. Acesso em 24 de maio de 2020.

MIYAGAWA, L.J.P.P; MENDES, T.A.A; MARMOS, J.L. Caracterização da contaminação por chorumenos recursos hídricos superficiais no entorno do aterro de resíduos sólidos de Manaus/AM. Revista Geonorte, v.7, n.27, p.30-42, 2016.

OLIVEIRA, B.O.S; MEDEIROS, G.A. Evolução e Desafios no Gerenciamento dos Resíduos Sólidos Urbanos nos Estados da Região Norte, Brasil. Revista Valore, Volta Redonda-RJ, n.4, p.749-761, 2019.

OLIVEIRA, D.L; SANTANA, G.P. Influência do Aterro Municipal de Manaus sobre as águas superficiais da circunvizinhança: Um enfoque ao estudo de Metais pesados. Revista Caminhos de Geografia, v.11, p.75-83, 2010.

PEREIRA, U.A; ALEIXO, N.C.R. Os Resíduos Sólidos Urbanos como Condicionantes de Doenças na cidade de Manaus-AM. Revista Geonorte, v.9, n.31, p.32-53, 2018.

S.J.F. FERREIRA, S.A.F. MIRANDA, A.O. MARQUES FILHO, C.C. SILVA. Efeito da pressão antrópica sobre igarapés na Reserva Florestal Adolpho Ducke, área de floresta na Amazônia Central. Acta Amazônica., n.42, p.533-540, 2012.

SANTANA, G.P; SANTOS, J.S; CHAVES, E.V; SOUZA, W.B. Propriedades físicas, químicas, e mineralógicas de solos contaminados do Polo Industrial de Manaus. Revista Scientia Amazonia, n.3, p.58-64, 2014.

SANTOS, I.N.; HORBE, A.M.C.; SILVA, M.S.R.; MIRANDA, S.A. F. Influência de um aterro sanitário e de efluentes domésticos nas águas superficiais do rio Tarumã e afluentes-AM. Acta Amazônica, n.36, p.229-236, 2006.

SECRETARIA MUNICIPAL DE LIMPEZA PÚBLICA (SEMULSP). Relatório das Atividades da SEMULSP de Janeiro a Dezembro de 2019. Manaus-AM, p.35, 2020.

SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES SOBRE SANEAMENTO (SNIS). Ministério das Cidades. Diagnóstico dos serviços de água e esgotos. Disponível em: <http://www.snis.gov.br/diagnostico-anual-agua-e-esgotos>. Acesso em: 03 de Junho de 2020.

SOUZA FILHO, E.A. Diagnóstico da qualidade das águas do Igarapé do Mindu e criação de protótipo de aplicativo para disponibilização de dados em Manaus-AM. Dissertação (Mestrado em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos) - UEA, 2018.

SOUZA FILHO, E.A; ALVES, S.B.S.M; NEVES, R.K.R.N; BATISTA, I.H; ALBUQUERQUE, C.C; DAMASCENO, S.B; NASCIMENTO, D.A. Estudo comparativo de aspectos físico-químicos entre águas da microbacia do mindu e igarapés sob influência antrópica na cidade de Manaus-AM. Revista Brazilian Journal of Development, n.6, p.2419-2433, 2020a.

SOUZA FILHO, E. A; BATISTA, I. H; ALBUQUERQUE, C. C. Levantamiento de aspectos físico-químicos de las águas de microbacia del mindu en Manaus-Amazonas. Revista Geográfica de América Central, n.63, p.341-367, 2019.

SOUZA FILHO, E. A; NEVES, R. K. R. N; BATISTA, I. H; ALBUQUERQUE, C. C. Caracterização Físico-química das Águas do Igarapé do Mindu nos bairros Jorge Teixeira, Conjunto Petros, e Parque-Dez em Manaus-Amazonas. Revista Geofronter, Campo Grande, v.6, p.01-20, 2020b.

STAEVIE, P.M. Crescimento demográfico e exclusão social nas capitais periféricas da Amazônia. Revista Textos e Debates. Edição Especial, n.28, p.185-204, 2015.

VIANA, L. M. C. Resíduos de Serviços de Saúde no município de Manaus: Responsabilidade civil da Administração pública e dos estabelecimentos geradores. Manaus: Ed. da Amazônia, 2012.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Population health and waste management: scientific data and policy options. Report of a WHO workshop Rome, Italy, 29-30 March 2007. Copenhagen: WHO Regional Office for Europe; 2007.

Downloads

Publicado

18/11/2021

Como Citar

Souza Filho, E. A. de, Alves, S. B. da S. M., & Neves, R. K. R. (2021). IMPACTOS DOS RESÍDUOS SÓLIDOS EM IGARAPÉS DE MANAUS-AMAZONAS. GEOFRONTER, 7(1). Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/GEOF/article/view/6679

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)