ENFOQUE ESTRUTURAL E FUNCIONAL DA GEOECOLOGIA DAS PAISAGENS: MODELOS E APLICAÇÕES EM AMBIENTES TROPICAIS

Autores

Palavras-chave:

Geoecologia, Estrutura da Paisagem, Funcionamento Sistêmico.

Resumo

Objetiva-se analisar a estrutura e funcionamento das paisagens por meio da geoecologia, com aplicações práticas em diferentes paisagens no Brasil (ambientes tropicais). Definem-se conceitos sobre organização estruturo-funcional e também há discussão quanto à aplicabilidade dos mesmos, sob a perspectiva da Geoecologia da Paisagens. Como resultados é apresentado o método de quantificação da estrutura da paisagem para análise de padrões espaciais e suas diferenciações, alongadas, curvilíneas e geométricas, indicando sua composição em um mosaico de diferentes formas, bem como apresenta-se um modelo teórico de funcionamento que permite esclarecer os mecanismos que regem o funcionamento das paisagens definindo as funções geoecológicas: força, entrada, armazenamento, produção, regulação e interação, contribuindo assim, para um maior conhecimento científico sobre os processos de constituição das paisagens em ambientas tropicais.

Biografia do Autor

Maria Rita Vidal, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Doutora em Geografia.Professora da Faculdade de Geografia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará/UNIFESSPA. Àrea de atuação Geografia Física/ Geoecologia da Paisagem.

Edson Vicente da Silva, Universidade Federal do Ceará - UFC

Doutor em Geografia.Professor da Faculdade de Geografia da Universidade Federal do Ceará -UFC. Àrea de atuação Geografia Física, planejamento Ambiental, Geoecologia da Paisagem.

Referências

AB’SÁBER, A.N. Geomorfologia da região. In: ALMEIDA, J. M. G. de. Carajás: desafio político, ecologia e desenvolvimento. São Paulo: Brasiliense, 1986.

ARMAND, A. D. Los processos del auto desarrollo y la dirección en los geossistemas. In: Conceptos principales, modelos y métodos de las investigaciones geográficas generales. Instituto de Geografia de la Academia de Ciencias de la URSS. 1984.

ARDENTE, N. C.; FERREGUETTI, A. C.; GETTINGER, D.; LEAL, P. et al. Diversity and Impacts of Mining on the Non- Volant Small Mammal Communities of two vegetation types in the Brazilian Amazon. PLoS ONE, v. 11, n. 11, 2016.

CARMO, F. F.; CAMPOS, I. C.; JACOBI, C. M. Cangas: ilhas de ferro estratégicas para a conservação. Ciência Hoje, p. 48-53, 2012.

CONSTANZA, R. et al. The value of the world’secosystem service and natural capital. Nature, v. 387, n. 17, 1997.

CORRÊA, G. R.; SCHAEFER, C.E.G. R.; CORRÊA, G.F. Caracterização de solos derivados de rochas máficas na Serra de Carajás. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Nat., v. 11, n. 1, p. 33-47, 2016.

CHRISTOFOLETTI, Antônio. 1999. Modelagem de sistemas ambientais. Edgard Blücher, São Paulo. 1999.

FORMAN, R.T.T; GODRON, M. Landscape Ecology. New York, John Wilwy e Sons. 1986.619p.

HAFFER, J.; PRANCE, G. T. Impulsos climáticos da evolução na Amazônia durante o Cenozoico: sobre a Teoria dos Refúgios da diferenciação biótica. Estudos Avançados, v. 16, n. 46, 2002.

Huber, O. Geographica land physical features In Berry, P.E.; Holst, B.K.; Yatskievych, K. (eds.), Flora of the Venezuelan Guayana, I. Intro¬duction. St. Louis:Missouri Botanical Garden Press, 1995.

Huber, O. Diversity and vegetation types in the Guayana Region, an overview, Biologiske Skrifter,55,169-188. 2005.

METZGER, J. P. O que é Ecologia de Paisagem? São Paulo, 2001.

MONTEIRO, Carlos Augusto de Figuereiro. Geossistemas: a estória de uma procura. São Paulo: Contexto, 2000.127p.

MOTA, N. F. O; SILVA, L.V.C; MARTINS, F.D; VIANA, P.L. Vegetação sobre Sistemas Ferruginosos da Serra dos Carajás. In: CARMO, F.F; KAMINO, L.H.Y (orgs.). Geossistemas Ferruginosos no Brasil. Instituto Prístino, Belo Horizonte:2015. p.289-315.

NEEF, E. Die theoretischen Grundlagen der Landschaftslehre. VEB HErmmann Haak, Gotha/ Leipzig. 1967.

NOGUÉ, S; RULL, V; MONTOYA, E; HUBER,O. Paleoecologiadas Terrasaltas deguayana (norte da América do Sul): registro de pólen holoceno do Eruoda-tepui, no chimantámassif. Palaegeography, Paleoclimatology, Paleoecology, 281, 165-173. 2009.

ODUM, E. P.; BARRET, G. W. Fundamentos de ecologia. Thomson Learning, São Paulo. 2007

PREOBRAZHENSKII, V.S. Protección de la naturaleza: diccionario interpretativo. Moscou: Progress. 1982. 272 p. Tradução livre: José Manoel Mateo Rodriguez.

REIS, N. J. Monte Roraima, RR: sentinela de Macunaíma In: Winge, M.; Schobbenhaus, C.; Berbert-Born, M.; Queiroz, E. T.; Campos,D.A.; Souza,C.R.G.; Fernandes,A.C.S. (ed.),Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil, 2006.p. 89-98. Disponível em: http://www.unb.br/ig/sigep. Acesso em 10/10/2021.

RICKLEFS, R. E. Ecology. 3. ed. W.H. Freeman. 1990.

RICHILING, A. landscape research ant its applications in envirmental managemeent. Porland: University of Warzaw, 1994, 121.p.

RODRIGUEZ, J. M. M.; SILVA, E. V. da. Teoria dos Geossistemas o legado de Sochava: fundamentos teórico-metodológicos. Fortaleza: Editora UFC, 2019.

RODRÍGUEZ, J. M. M.; SILVA, E. V. A Classificação das Paisagens a Partir de uma visão Geossistêmica. Mercator, Fortaleza, v. 1, n. 1, jan. 2009. ISSN 1984-2201.

RODRIGUEZ, J. M. M.; SILVA, E. V. da; CAVALCANTI, A. P. B. Geoecologia das paisagens: uma visão geossistêmica da análise ambiental. Fortaleza: Editora UFC, 2004.

ROUGERIE, G.; BEROUTCHVILI, N. Geossystemes et paysagens. Paris: Colin Editores, 1991.

SAFONT, E. et al. « Utilização de ferramentas de avaliação de impacto ambiental (eia) para definir prioridades e otimizar estratégias de conservação da biodiversidade»,biol.conserv., 149 | 2012.

SAHDEV, S.; SINGH, R. B.; KUMAR, M. (Edts) Geoecology of Landscape Dynamics, Springer, 2020.

SCHAEFER, G. E. R.; SIMA, F. N. B.; MENDONÇA, B. A. F.; SABOYA, A. S.; FERREIRA JUNIOR, W. G.; NUNES, J. A.; CORREA, G. R. Geodiversidade dos ambientes de canga na região de Carajás-Pará. Relatório técnico Vale do Rio Doce, 2008.

SOTO, R.P.; CHAVEZ, E. S.; MALLEA, A.A. A la resiliencia como indicador en el ordenamiento ambiental del golfo batabanó, Cuba. Monfrague: México, v.1,n.1,p.2-25, 2013.

TURNER, M.G. Landscape ecology: the effect of pattern on process. Annual Review of Ecology and Systematic. n. 20. v.171-197. 1989.

TURNER, M.G.; GARDNER, R. H.; O'NEILL, R.V. Landscape ecology in theory and practice: pattern and process. Springer, New York. 2011.

VIDAL. M, R.; MASCARENHAS, A. L. S. Estrutura e funcionamento das paisagens litorâneas cearenses à luz da Geoecologia das Paisagens. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 24, n. 3, p. 600-615, 2020a.

VIDAL, M. R.; MASCARENHAS, A. L. S. Mapeamento geoecológico no Parque Nacional dos Campos Ferruginosos de Carajás / Para –Brasil. Ateliê Geográfico.v.14, n.3, p.218-238, 2020b. DOI: https://doi.org/10.5216/ag.v14i1.59613

VIDAL, M. R.; MASCARENHAS, A. L. S. Estrutura e funcionamento das paisagens da área de proteção ambiental do estuário do rio Curu/CE. Confins, v. 43, 2019. http://journals.openedition.org/confins/24800; DOI: https://doi.org/10.4000/confins.24800

VIDAL, M. R. Geoecologia das paisagens: fundamentos e aplicabilidades para o planejamento ambiental no baixo curso do rio Curu-Ceará-Brasil. 2014. 190 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.

VIDAL, M. R.; SILVA, E. V.; RODRÍGUEZ, J. M. M.; MASCARENHAS, A. L. S. Aplicação do enfoque funcional na interpretação geoecológica das paisagens. In: SILVA, C. N.; SILVA, J. M. P.; CHARGAS, C. A. N. (Org.). Geografia na Amazônia paraense: análise do espaço geográfico. Belém, PA: GAPTA/UFPA, 2014a. p. 149-170.

VIDAL, M. R.; SILVA, E. V.; RODRÍGUEZ, J. M. M.; MASCARENHAS, A. L. S. Análise de modelos funcionais em paisagens litorâneas. Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, Belém, v. 1, n. 1, p. 103-116, 2014b. DOI: http://dx.doi.org/10.17553/2359-0831/ihgp.n1v1p107-122.

Downloads

Publicado

05/11/2021

Como Citar

Vidal, M. R., & Silva, E. V. da. (2021). ENFOQUE ESTRUTURAL E FUNCIONAL DA GEOECOLOGIA DAS PAISAGENS: MODELOS E APLICAÇÕES EM AMBIENTES TROPICAIS. GEOFRONTER, 7(1). Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/GEOF/article/view/6708

Edição

Seção

Artigos