ESTADO GEOECOLÓGICO DAS PAISAGENS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO FORMOSINHO, BONITO/MS – BRASIL: BASES PARA A GESTÃO TERRITORIAL

Autores

Palavras-chave:

Parque Nacional da Serra da Bodoquena, Cultivo de soja, Vegetação Florestal, Recursos Hídricos

Resumo

Discutir sobre sistemas cársticos no Brasil requer adentrar às áreas específicas com poucos estudos aplicados à paisagem, ainda mais com enfoques estruturais, funcionais, evolutivos, dinâmicos e morfológicos. O carste brasileiro é muito discutido e cada vez mais vem sendo utilizado como rotas para o turismo de natureza e, muitas vezes, é relegada a segundo plano que esses sistemas apresentam uma natural sensibilidade. Esse artigo busca justamente entender esse sistema sob o prisma ecológico/ambiental, empregando a cartografia de paisagem para identificar, analisar e cartografar as unidades de paisagem e definir seus estados geoecológicos na Bacia Hidrográfica do Córrego Formosinho, localizada em um carste do município de Bonito/MS, Brasil. Para tanto, foram analisadas informações sobre rochas, clima, relevo, solos e uso e cobertura das terras, além de saídas de campo para comprovação da informação obtida no laboratório com a realidade. Essa tabulação cruzada possibilitou classificar e cartografar as paisagens. Fato que resultou na identificação de onze unidades de paisagem com características que retratam as rochas carbonatadas, solo fértil e cultivos de soja avançando até as vegetações florestais. Por outro lado, ainda há uma predominância de remanescentes florestais vinculados ao Parque Nacional da Serra da Bodoquena, aos morros residuais íngremes e planícies alúvio-cársticas, o que inibe a entrada das atividades antrópicas. Essa informação propicia a definição de algumas recomendações de uso e gestão diante da fragilidade desse complexo sistema ambiental, fazendo com que este artigo ambicione contribuir com órgãos públicos para que essa bacia seja continuamente monitorada e que ocorra um reordenamento da mesma para uma gestão sustentável.

Biografia do Autor

Rafael Brugnolli Medeiros, Universidade Estadual do Maranhão

Doutor em Geografia pela Universidade Federal da Grande Dourados. Docente do Curso de Geografia da Universidade Estadual do Maranhão e pós-doutorando pelo programa de pós-graduação em Geografia, Natureza e Dinâmica do Espaço da UEMA/São Luís.

Eduardo Salinas Chávez, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor visitante da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Três Lagoas/MS.

Referências

ALMEIDA F. F. M. Litologia da Serra da Bodoquena (Mato Grosso). Boletim DNPM, Brasília, v. 219, p. 1-137. 1965.

ANA, AGÊNCIA NACIONAL DAS ÁGUAS. Sistema Nacional de Informações sobre Recursos hídricos – SNIRH/HidroWeb. Disponível em: <http://www.snirh.gov.br/hidroweb/publico/medicoes_historicas_abas.jsf>. Acesso em: março de 2016.

BAPTISTA, M. B.; BRAUN, O. P. G.; CAMPOS, D. A. Léxico estratigráfico do Brasil. Brasília: DNPM-CPRM. 1984.

BERTRAND, G.; BERTRAND, C. Uma geografia transversal e de travessias: o meio ambiente através dos territórios e das temporalidades. Maringá: Massoni, 2007.

BOGGIANI, P. C.; COIMBRA, A. M.; GESICKI, A. L.; SIAL, A. N.; FERREIRA, V. P.; RIBEIRO, F. B.; FLEXOR, J. M. 2002. Tufas Calcárias da Serra da Bodoquena, MS - Cachoeiras petrificadas ao longo dos rios. In: Schobbenhaus, C.; Campos, D. A.; Queiroz, E. T.; Winge, M.; Berbert-Born, M. L. C. (Edits.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. 1. ed. Brasilia: DNPM/CPRM - Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos (SIGEP), v.01. 2002. p. 249-259.

BOLLO, M. La Geografía del Paisaje y la Geoecología. Teoria y Enfoques. In: CHECA-ARTASU, M. M.; SUNYER, P., El Paisaje: Reflexiones y Métodos de Análisis, México: Ediciones del Lirio-Editorial UAM, 2018, p. 125-15.

BRUGNOLLI, R. M. Zoneamento Ambiental para o Sistema Cárstico da Bacia Hidrográfica do Rio Formoso, Mato Grosso do Sul. 2020. 403p. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2020.

CPRM, Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais. Litologia e Recursos Minerais do estado de Mato Grosso do Sul. Brasília, DF: CPRM. 2006

EICHENBERG, F. O. Turismo e Turismo de Natureza no Mato Grosso do Sul: a proposição de um zoneamento turístico a partir do geossistema. 2018. 207 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2018.

EMBRAPA, EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3. ed. Brasília, 2018. 353p.

ESRI 2011. ArcGIS Desktop: Release 10. Redlands, CA: Environmental Systems Research Institute.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Manual de uso e ocupação da terra. Manuais Técnicos em Geociências. Brasil número 7. Brasília, 2013. 91p.

ISACHENKO, A. G. Ciência da paisagem e regionalização físico-geográfica. Moscou: Vyshaya Shkola. 1991. 370p. (Em russo).

ISACHENKO, A. G. Principles of Landscape Science and PhysicaI Geographic Regionalization. Melbourne: University Press. 1973.

LIMA, B. S. Paisagens da serra de Maracaju/MS, suas potencialidades para o turismo de natureza. 2017, 316 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Federal da Grande Dourados. Dourados, 2017.

MATEO RODRIGUEZ, J.; SILVA, E. V.; CAVALCANTI, A. P. B. Geoecologia das Paisagens: uma visão geossistemica da análise ambiental, 5. ed. Fortaleza: Editora UFC, 2017.

MATEO RODRIGUEZ, J. M.; SILVA, E. V. da; Planejamento e gestão ambiental: subsídios da geoecologia das paisagens e da teoria geossistêmica. Fortaleza: Edições UFC, 2013.

MENDES, I. A. A dinâmica erosiva do escoamento pluvial na bacia do Córrego Lafon – Araçatuba – SP. 1993. 171f. Tese (Doutorado em Geografia) - Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993.

NOGUÉ, J.; VELA, J. S. E. La dimensión comunicativa del paisaje. Una propuesta teórica y aplicada. Revista de Geografía Norte Grande, Santiago de Chile, n. 49, p. 25-43, 2011.

SALINAS, E.; MATEO, J. M.; CAVALCANTI, L. C. S.; BRAZ, A. Cartografía de los Paisajes: Teoría y aplicación, Physis Terrae, v. 1, n. 1, p. 7-29, 2019.

SALINAS, E., RAMÓN, A. M. Propuesta metodológica de la delimitación semiautomátizada de unidades de paisaje de nível local, Revista do Departamento de Geografía-USP, v. 25, p.1-19, 2013.

SALINAS, E.; REMOND, R. El Enfoque Integrador del Paisaje en los Estudios Territoriales: Experiencias Prácticas, En: GARROCHO, C.; BUZAI, G. (Editores) Geografía Aplicada en Iberoamérica: avances, retos y perspectivas, México, p. 503-543, 2015.

SALINAS, E.; RIBEIRO, A. F. do N. La cartografía de los paisajes con el empleo de los Sistemas de Información Geográfica: Caso de estudio Parque Nacional Sierra de Bodoquena y su entorno, Mato Grosso do Sul, Brasil. Geografia y Sistemas de Información Geográfica (GeoSIG), Buenos Aires, v. 9, n. 9, p. 186-205, 2017.

SERRANO, D.; GARCÍA, A.; GARCÍA, L.A.; SALINAS, E. Un nuevo método decartografía del paisaje para altas montañas tropicales, Cuadernos Geográficos, v. 58, n. 1, p. 83-100, 2019

SOCHAVA, V. B. Introdução à teoria dos geossistemas. Novosibirsk: Nauka, 1978. (Em russo).

SPRING. Integrating remote sensing and GIS by object-oriented data

modelling.Camara G, Souza RCM, Freitas UM, Garrido J Computers & Graphics,

v. 20, n. 3, p. 395-403, 1996.

USGS, UNITED STATES GEOLOGICAL SURVEY. Sentinel 2A. Disponível em: <https://earthexplorer.usgs.gov/>. Acesso em: maio de 2016.

SPIRIDONOV, A. I. Princípios de la metodologia de las investigaciones de campo y El mapeo geomorfológico. Havana: Universidad de la Havana, Faculdad de Geografia, 3. ed. 1981.

ZACHARIAS, A. A.; VENTORINI, S. E. A cartografia de síntese, o ambiente e a paisagem: caminhos, desafios, perspectivas e proposta metodológica, Geografia: Publicações Avulsas. Universidade Federal do Piauí, Teresina, v. 3, n. 1, Dossiê Temático/Edição Especial, p. 107-144, 2021.

ZAVATTINI, J. A. Dinâmica climática no Mato Grosso do Sul. Geografia, Rio Claro, v. 17, v. 2, p. 65-91, 1992.

Downloads

Publicado

07/12/2021

Como Citar

Brugnolli Medeiros, R. ., & Salinas Chávez, E. (2021). ESTADO GEOECOLÓGICO DAS PAISAGENS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO FORMOSINHO, BONITO/MS – BRASIL: BASES PARA A GESTÃO TERRITORIAL . GEOFRONTER, 7(1). Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/GEOF/article/view/6794

Edição

Seção

Artigos