O SETOR SECUNDÁRIO NO TERRITÓRIO DO MATO GROSSO DO SUL:

UMA ANÁLISE EMPÍRICA BASEADA EM DADOS

Autores

  • Alessandro Rodrigues de Lima Brandão Universidade Estadual de Londrina
  • Mateus Boldrine Abrita Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Palavras-chave:

Industrialização do Brasil, Industrialização de Mato Grosso do Sul, Desenvolvimento Econômico, Investimento Público, Infraestrutura

Resumo

A industrialização brasileira pode ser apontada como um dos principais fatores de desenvolvimento econômico do país. Esse processo teve alguns pequenos focos no período colonial, porém se aprofundou no período pós-colonial. Passou por um período de grande desenvolvimento no Estado de São Paulo devido ao acúmulo de capital gerado pelo crescimento da produção de café e pela participação dos investimentos públicos em infraestrutura para escoar a produção paulista, gerando receita e aumento da produtividade dos cafeicultores no Estado de São Paulo. Com o passar dos anos, outros Estados também passaram por um processo semelhante, como por exemplo, o Mato Grosso do Sul. Apesar de não exercer uma influência muito expressiva no PIB do MS, a indústria possui diversos setores importantes, e.g. a indústria extrativista, representada pelas minas de extração de ferro e manganês, localizadas nas cidades de Corumbá e Ladário, dentre outros setores industriais importantes, pode-se destacar a produção têxtil, a de celulose e a de alimentos, além da agroindústria, que possui um peso dentro da indústria do MS.

Biografia do Autor

Alessandro Rodrigues de Lima Brandão, Universidade Estadual de Londrina

Graduado em Geografia pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Economia Regional da Universidade Estadual de Londrina. Londrina/PR.

Mateus Boldrine Abrita, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Doutorado em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Campo Grande/MS.

Referências

ABDAL, A. DESENVOLVIMENTO REGIONAL NO BRASIL CONTEMPORÂNEO Para uma qualificação do debate sobre desconcentração industrial. Novos Estudos - Cebrap, [S.L.], v. 36, n. 02, p. 106-127, jul. 2017. Novos Estudos - CEBRAP. http://dx.doi.org/10.25091/s0101-3300201700020006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-33002017000200107&script=sci_arttext. Acesso em: 16 dez. 2020.

ANUÁRIO Mineral Brasileiro. Brasília: Agência Nacional de Mineração, 2018. Disponível em: http://www.anm.gov.br/dnpm/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-mineral/anuario- mineral/anuario-mineral-brasileiro/amb_2018.pdf. Acesso em: 09 mar. 2020.

ANUÁRIO Mineral Brasileiro: Principais Substâncias Metálicas. Agência Nacional de Mineração, Brasília: Dnpm, 2017. Disponível em: http://www.anm.gov.br/dnpm/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-mineral/anuario- mineral/anuario-mineral-brasileiro/amb_metalicos2017. Acesso em: 14 mar. 2020.

ARAÚJO, T. P. et al (org.). 50 anos de Formação Econômica do Brasil: Ensaios sobre a obra clássica de Celso Furtado. Rio de Janeiro: Ipea, 2009. Disponível em:https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/Livro50AnosdeFormacao_S alvador_WEB.pdf. Acesso em: 03 mar. 2020.

BNDES (Rio de Janeiro). BNDES Setorial. Rio de Janeiro: Bnds Setorial, 1999. 379 p. Disponível em: https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/1290. Acesso em: 02 set. 2020.

BRASIL. AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO. Extra Sistema Arrecadação. Disponível em: https://sistemas.anm.gov.br/arrecadacao/extra/relatorios/arrecadacao_cfem.aspx. Acesso em: 02 jun. 2020.

BRITO, N. M. Mineração e Desenvolvimento Regional em Corumbá- MS. 2011. 183 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Geografia, Ufgd, Dourados, 2011. Disponível em: http://files.ufgd.edu.br/arquivos/arquivos/78/MESTRADO- DOUTORADO-GEOGRAFIA/Disserta%C3%A7%C3%A3o(22).pdf. Acesso em: 05 mar. 2012.

CAMPO GRANDE. PLANURB. Perfil Socioeconômico de Campo Grande. 26. ed. Campo Grande: Planurb (Edição Própria), 2019. Disponível em: http://www.campogrande.ms.gov.br/planurb/downloads/perfil-socioeconomico-de-campo- grande-edicao-2019/. Acesso em: 02 set. 2020.

CANO, W. Raízes da concentração industrial em São Paulo. 5. ed. Campinas: Unicamp, 2007.

CARMO, J. C. Processo de industrialização no município de Campo Grande/MS e políticas de educação profissional. In: seminário nacional de estudos e pesquisas “história, sociedade e educação no brasil, 9ª edição, 2012, João Pessoa. Anais Eletrônicos. João Pessoa: UFP, p. 1-18, 2012. Disponível em: Http://www.histedbr.fe.unicamp.br/acer_histedbr/seminario/seminario9/PDFs/2.76.pdf. Acesso em: 02 set. 2020.

COSTA, M. R. M.; SILVA, J. P. A.; SILVA, R. D. Sumário Mineral Brasileiro: manganês. Pará: Anm, 2018. 4 p. Disponível em: http://www.anm.gov.br/dnpm/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-mineral/sumario- mineral/pasta-sumario-brasileiro-mineral-2018/manganes. Acesso em: 02 jun. 2020.

CENTURIAO, D. A. S.; WELTER, C. A.; FRAINER, D. M. Comparação entre complexos de gado de corte. Revista Política Agrícola – v. 02, 2021. No prelo.

DOURADOS. PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS. Perfil socioeconômico. Dourados: Prefeitura Municipal de Dourados, 2012. Disponível em: www.fecomercio- ms.com.br. Acesso em: 28 jul. 2020.

. Perfil Socioeconômico de Dourados. Dourados: Prefeitura Municipal de Dourados, 2018. Disponível em: http://www.dourados.ms.gov.br/wp-content/uploads/2019/05/Perfil- Socioecon%C3%B4mico-de-Dourados-2.pdf. Acesso em: 31 ago. 2020.

FAGUNDES, M. B. B.; SIQUEIRA, R. P. Caracterização do sistema agroindustrial da soja em Mato Grosso do Sul. Revista de Política Agrícola, v. 22, n. 3, p. 58-72, 2013.

FAGUNDES, M. B. B.; GIANETTI, G. W.; DE OLIVEIRA, D. V.; DIAS, D. T.; DA SILVA, L. C. Desenvolvimento econômico do estado de Mato Grosso do Sul: Uma análise da composição da balança comercial. Desenvolvimento em Questão, v. 15, n. 39, p. 112-140, 2017.

FIEMS. Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso do Sul. Disponível em:

<https://perfildaindustria.portaldaindustria.com.br/estado/ms> . Acesso em: 18 de dez. 2020.

FURTADO, C. Formação Econômica do Brasil. 32. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2005.

GALERA, M. M. A inserção dos frigoríficos exportadores de Mato Grosso do Sul no mercado global. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados. 2011.

GUNN, P; CORREIA, T. B. A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA E A DIMENSÃO GEOGRÁFICA DOS ESTABELECIMENTOS INDUSTRIAIS. São

Paulo: Usp, 2005. Disponível em: https://rbeur.emnuvens.com.br/rbeur/article/view/134/118. Acesso em: 05 mar. 2019.

IBGE, CIDADES. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ms/corumba/panorama. Acesso em: 14 mar. 2020.

KALDOR, N. Capitalism and industrial development: some lessons from Britain's experience. Cambridge Journal of Economics, v. 1, n. 2, p. 193-204, 1977.

KALDOR, N. Causes of the Slow Rate of Economic Growth of the united Kingdom: an Inaugural Lecture. Cambridge: Cambridge University Press. 1966.

LACERDA, Antonio Corrêa de et al. Economia brasileira. São Paulo: Saraiva, v. 2, 2003.

LAMOSO, L. P. (org.). Transportes e Políticas Públicas Em Mato Grosso Do Sul. Dourados: UFGD, 2008.

LIMA, V. A. O. A reestruturação industrial dos frigoríficos de carne bovina do Estado de Mato Grosso do Sul. GEOFRONTER, v. 2, n. 4, 2018.

MATO GROSSO DO SUL. GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL. Estudo da Dimensão Territorial do Estado de Mato Grosso do Sul: regiões de planejamento. Campo Grande: Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, 2015. Disponível em: http://www.semagro.ms.gov.br/wp- content/uploads/2017/06/estudo_dimensao_territorial_2015.pdf. Acesso em: 31 ago. 2020.

MATO GROSSO DO SUL. Conselho Estadual de Educação. Autorização de Funcionamento - Educação Profissional. Deliberações por município. Campo Grande: CEE-MS, [19-]. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2020.

. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL. Perfil Estatístico de Mato Grosso do Sul. Campo Grande: Bde, 2019. Disponível em: http://www.semagro.ms.gov.br/wp- content/uploads/2019/12/Perfil-Estat%C3%ADstico-de-MS-2019.pdf. Acesso em: 02 set. 2020.

OREIRO, J.L. Um arcabouço teórico para a macroeconomia estruturalista do desenvolvimento: uma homenagem a Bresser-Pereira. OREIRO, JL; DE PAULA, LF DE.; MARCONI, N. A teoria econômica na obra de Bresser-Pereira. Santa Maria: Editora da UFSM, 2015.

PAVÃO, E. S. FORMAÇÃO, ESTRUTURA E DINÂMICA DA ECONOMIA DO MATO GROSSO DO SUL NO CONTEXTO DAS TRANSFORMAÇÕES DA ECONOMIA BRASILEIRA. 2005. 250 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Economia Industrial, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005.

SANTOS, Milton. Introdução e 1ª. Parte: Uma ontologia do espaço: noções fundadoras. In: A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, p. 15-88. 1997.

. SEMAGRO. PIB 2017: Economia de Mato Grosso do Sul tem a 6ِ ª maior taxa de crescimento no país: Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Família 2020. Disponível em: https://www.semagro.ms.gov.br/economia-de- mato-grosso-do-sul-tem-a-6a-maior-taxa-de-crescimento-no-pais/

. SEMAGRO. Nota técnica sobre as Exportações de Celulose: Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Família 2020. Disponível em: https://www.semagro.ms.gov.br/ms-se-consolida-como-maior-exportador-de-celulose-do- pais-no-1o-quadrimestre-de-2020/. Acesso em 02 set.2020

SEMADE – SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Diagnóstico socioeconômico de Mato Grosso do Sul. 2015, 131 p. Disponível em:

<http://www.semagro.ms.gov.br/wpcontent/uploads/sites/157/2017/06/Diagnostico_Socioeco nomico_de_MS_20151.pdf>. Acesso em: 05 jun. 2020.

SILVA, C. H. R. Política industrial brasileira e a industrialização de Mato Grosso do Sul no século XXI. 2016. 278 f. Tese (Doutorado) – Curso de Pós- Graduação em Geografia. Dourados: UFGD, 2016.

SILVA, W. G. A INTEGRAÇÃO PRODUTIVA DA REGIÃO DA GRANDE DOURADOS À ECONOMIA NACIONAL: uma análise a partir da criação do prodegran em 1976. Anais do I Circuito de debates Acadêmicos – IPEA. 2011.1976. In: CIRCUITO DE DEBATE ACADÊMICO, 01, 2011, São Paulo. Anais do I circuito de debates acadêmicos. São Paulo: Ipea, 2011. p. 1-15. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/code2011/chamada2011/pdf/area7/area7-artigo48.pdf. Acesso em: 31 ago. 2020.

SPOSITO, Eliseu Savério et al (Org.). O novo mapa da indústria no início do século XXI diferentes paradigmas para a leitura das dinâmicas territoriais do estado de São Paulo. São Paulo: Unesp, 2015.

XAVIER, Clécio Henrique Cesário, O início do processo de industrialização em Três Lagoas/MS: uma análise das primeiras indústrias. Três Lagoas: Conexão, v. 1, n. 1, 2012. Anual. Disponível em: http://livrozilla.com/doc/1564026/o-inicio-do-processo-de- industrializa%C3%A7%C3%A3o-em-tr%C3%AAs-lagoas-ms. Acesso em: 06 mar. 2020.

Downloads

Publicado

2022-06-08

Como Citar

Rodrigues de Lima Brandão, A., & Boldrine Abrita, M. (2022). O SETOR SECUNDÁRIO NO TERRITÓRIO DO MATO GROSSO DO SUL: : UMA ANÁLISE EMPÍRICA BASEADA EM DADOS. GEOFRONTER, 8. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/GEOF/article/view/6959

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)