VULNERABILIDADE AOS SULCOS E RAVINAS EM SETORES DE GRAMÍNEA DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP COMO SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO AMBIENTAL

Autores

Palavras-chave:

Erosão, Cobertura vegetal, Uso da terra, Solo

Resumo

O objetivo do presente artigo foi caracterizar a vulnerabilidade ambiental aos sulcos e ravinas em setores de gramínea das áreas rurais de Presidente Prudente, região do Extremo Oeste Paulista, como subsídio ao planejamento ambiental. A partir de trabalhos de gabinete, de campo e de laboratório, constatou-se que em 64,48% da área de estudo a vegetação original (Floresta Estacional Semidecidual e de cerrados) foi substituída pela gramínea para atividade agropecuária. Sem a implantação de medidas conservacionistas adequadas nesses setores, o uso da terra pela pastagem associado à presença de solos naturalmente frágeis à erosão, com elevada quantidade de areia em todo o perfil pedológico, aumenta a possibilidade ou o potencial de perda de solos por meio da dinâmica erosiva linear, isto é, a vulnerabilidade ambiental à ocorrência de sulcos e ravinas.

Referências

ABRAMOVAY, M.; CASTRO, M. G.; PINHEIRO, L. de C.; LIMA, F. de S.; MARTINELLI, C. da C. Juventude, violência e vulnerabilidade social na América Latina: desafios para políticas públicas. Brasília: UNESCO, BID, 2002. 192 p.

ALMEIDA, L. Q. Vulnerabilidades socioambientais de rios urbanos: bacia hidrográfica do rio Maranguapinho, região metropolitana de Fortaleza, Ceará. 2010. 278 p. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, 2010.

ALMEIDA FILHO, G. S. de; ALMEIDA, M. C. J. de. Erosão hídrica do tipo ravina e boçoroca. In: Congresso da Sociedade de Análise de Risco Latino Americana, III, São Paulo, 2016. Anais [...]. São Paulo: IPT, 2016, p. 1-7.

BERTONI, J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. 10. ed. São Paulo: Ícone, 2017.

CUTTER, S. L. Vulnerability to environmental hazards. Progress in Human Geography, 20, 4, p. 529-539, 1996.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Centro Nacional de Pesquisa de Solos (CNPS). Manual de métodos de análise de solo. 2. ed. Rio de Janeiro, 1997. 212 p. (EMBRAPA – CNPS. Documentos; 1).

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Brasília, DF: Serviço de Produção de Informação (SPI), 1999.

FUSHIMI, M.; NUNES, J. O. R. Vulnerabilidade ambiental aos processos erosivos lineares das paisagens de parte dos municípios de Marabá Paulista (SP) e Presidente Epitácio (SP), Brasil. Revista da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (Anpege), v. 14, p. 5-27, jan./abr. 2018.

FUSHIMI, M.; NUNES, J. O. R.; TAKATA, L. T. O.; NAKAMURA, R. Y. Vulnerabilidade ambiental e aplicação de técnicas de contenção aos processos erosivos lineares em áreas rurais do município de Presidente Prudente-SP. Rev. Bras. Geomorfol. (Online), v. 14, p. 343-356, 2013.

GRIGIO, A. M. Aplicação de Sensoriamento Remoto e Sistema de Informação Geográfica na determinação da vulnerabilidade natural e ambiental do município de Guamaré (RN): simulação de risco às atividades da indústria petrolífera. 2003. 222 p. Dissertação (Mestrado em Geodinâmica). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2003.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manual Técnico de Uso da Terra. 3. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manual Técnico de Pedologia. 3. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. 430 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Cidades e Estados. 2019. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/>. Acesso em: 08 dez. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). IBGE Cidades Web site. Disponível em: <http://www.cidades.ibge.gov.br>. Acesso em: 09 jun. 2022.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO (IPT). Mapa Geológico do Estado de São Paulo: 1:500.000. São Paulo: IPT, vol. I, 1981 (Publicação IPT 1184).

KERTZMAN, F. F.; OLIVEIRA, A. M. S.; SALOMÃO, F. X.; GOUVEIA, M. I. F. Mapa de erosão do Estado de São Paulo. Rev. IG, São Paulo, v. especial, p. 31-36, 1995.

LEMOS, R. C.; SANTOS, R. D. Manual de descrição e coleta de solo no campo. 3. ed. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1996. 84 p.

LEPSCH, I. F. 19 lições de pedologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

MUNSELL COLOR COMPANY. Munsell soil color charts. New Windsor, N.Y.: Gretag Macbeth, Munsell Color, 2000.

NUNES, J. O. R.; FREIRE, R.; PERES, I. U. Mapa geomorfológico do perímetro urbano de Presidente Prudente-SP. In: VI Simpósio Nacional de Geomorfologia e Regional Conference on Geomorphology, 2006, Goiânia. Anais... Goiânia: União da Geomorfologia Brasileira; International Association of Geomorphologists, 2006.

NUNES, J. O. R.; FUSHIMI, M.; Mapeamento geomorfológico do município de Presidente Prudente-SP. In: VIII Simpósio Nacional de Geomorfologia, III Encontro Latino Americano de Geomorfologia, I Encontro Ibero-Americano de Geomorfologia e I Encontro Ibero-Americano do Quaternário, 2010, Recife. Anais... Recife: UFPE, 2010.

OLIVEIRA, M. A. T. Processos Erosivos e Preservação de Áreas de Risco de Erosão por Voçorocas. In: GUERRA, A. J. T.; SILVA, A. S.; BOTELHO, R. G. M. (Orgs.). Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014. p. 57-99.

PEDRO MIYAZAKI, L. C. Dinâmicas de apropriação e ocupação em diferentes formas de relevo: análise dos impactos e da vulnerabilidade nas cidades de Presidente Prudente/SP e Marília/SP. 2014. 265 p. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2014.

PELOGGIA, A. O homem e o ambiente geológico: geologia, sociedade e ocupação urbana no Município de São Paulo. São Paulo: Xamã, 1998.

Programa Nacional de Levantamento e Interpretação de Solos no Brasil (PRONASOLOS). 2021. Disponível em: <https://geoportal.cprm.gov.br/pronasolos/>. Acesso em: 05 dez. 2021.

PRUSKI, F. F. Conservação de solo e água: práticas mecânicas para o controle da erosão hídrica. 2ª edição, atualizada e ampliada. Viçosa: UFV, 2009.

ROCHA, G. C. Riscos ambientais: análise e mapeamento em Minas Gerais. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2005. 126 p.

SANTOS, R. F. dos; CALDEYRO, V. S. Paisagens Condicionantes e Mudanças. In: SANTOS, R. F. dos (Org.). Vulnerabilidade Ambiental. Brasília: MMA, 2007. p. 13-21.

SERRES, M. Atlas. Colección Teorema. Madrid: Ediciones Cátedra, 1995.

SOIL SURVEY DIVISION STAFF. Soil Survey Manual. United States: Department of Agriculture, 1993 (Handbook 18).

SUERTEGARAY, D. M. A.; NUNES, J. O. R. A natureza da Geografia Física. Rev. Terra Livre, São Paulo, n. 17, p. 11-27, 2001.

VEYRET, Y.; RICHEMOND, N. M. de. O risco, os riscos. Definições e vulnerabilidades do risco. In: VEYRET, Y. (Org.). Os riscos: o homem como agressor e vítima do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2007. p. 23-46.

Downloads

Publicado

26/07/2022

Como Citar

Fushimi, M., & Rodrigues Nunes, J. O. . (2022). VULNERABILIDADE AOS SULCOS E RAVINAS EM SETORES DE GRAMÍNEA DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP COMO SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO AMBIENTAL. GEOFRONTER, 8. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/GEOF/article/view/7053

Edição

Seção

Artigos