OS PERÍODOS DO TERRITÓRIO E A FORMAÇÃO DA REDE URBANA NA MESORREGIÃO ORIENTAL DO TOCANTINS E NA MESORREGIÃO EXTREMO OESTE BAIANO

Autores

Palavras-chave:

Rede Urbana, MATOPIBA, Mesorregião Oriental do Tocantins e Mesorregião Extremo Oeste Baiano, Reestruturação produtiva da agropecuária, Modernização da agropecuária

Resumo

Este artigo recorre a uma proposta de periodização com abordagem histórico-geográfica para caracterizar a rede urbana dos rios desde o século XVI até a primeira metade do século XIX, seguindo daí até a primeira metade do Século XX para compreender a rede urbana das ferrovias e das rodovias e a partir da segunda metade do século XX até nossos dias, para identificar a rede urbana da fronteira agrícola na Mesorregião Oriental do Tocantins e na Mesorregião Extremo Oeste Baiano, no interior do MATOPIBA brasileiro. Nesta região, a reestruturação produtiva da agropecuária requisitou acréscimos técnicos e outras alterações nos sistemas produtivos tradicionais que ocasionaram rebatimentos no interior das cidades e na vida das pessoas, originando assim um novo sistema urbano. O artigo orientou-se pelo rastreamento de bibliografia sobre a formação da rede de cidades da região, especialmente os resultados do REGIC atualizados pelo IBGE em 2018 e de outros dados secundários de diferentes fontes, para elaborar documentos cartográficos e outros recursos que representam os diferentes períodos de configuração da rede urbana da região. Espera-se assim compreender processos pretéritos que condicionaram o aparecimento das cidades que a compõe e os fatores políticos, econômicos, ambientais e culturais recentes, dentre outros, que ao longo tempo garantem a permanência e as transformações ocorridas neste segmento de rede urbana. 

Referências

ALMEIDA, F. de. História da Igreja em Portugal. Porto/Lisboa. Livraria Civilização Editora. 1967.

ALMEIDA, I. P. O 4º BEC em Barreiras: construindo estradas e formando jovens. Jornal Novoeste, Barreiras, 1995, p. 10-11.

ALVES. V. E. L. Región centro-norte de Brasil: dinámicas territoriales recientes en el campo y en la ciudad. Cuadernos de geografía | revista colombiana de geografía | Vol. 23, n.º 1, ene.- jun. del 2014 | ISSN 0121-215X (impreso) · 2256-5442 (en línea) | Bogotá, Colômbia | pp. 47-60. Disponível em:<http://www.scielo.org.co/scielo.php?pid=S0121-215X2014000100005&script=sci_abstract&tlng=pt>

BECKER. B. K. Política regional e mobilidade populacional numa fronteira de recursos do Brasil. Rev. Bras. Geogr. I Rio de Janeiro I ano 41 I n.0 4 I p. 1-188 I out./dez. 1979. Disponívelem:<https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/115/rbg_1979_v41_n4.pdf>

BESSA. K. Periodização e Diferenciação Espacial no Segmento de Rede Urbana no Tocantins. Espaço Aberto, PPGG - UFRJ, V. 5, N.1, p. 9-27, 2015. Disponível em:< https://revistas.ufrj.br/index.php/EspacoAberto/article/view/3312>

BORGES. R. T. SOUZA. P. A. B. de. PEREIRA. E. Q. Expansão da malha rodoviária e antropização na área de influência direta das rodovias pavimentadas no Estado do Tocantins entre 1990 a 2007. Revista Interface, Edição nº 08, outubro de 2014 – p. 60-77. Disponível em:< https://interface.org.br/edicoes/page/3/>

BRASIL. Agência Nacional de Transportes Terrestres-ANTT. 2021. Disponível em:< https://portal.antt.gov.br/ef-334-fiol-ii-e-fiol-iii >. Acesso em 08 jun. 2022.

CASTILHO, D. Modernização territorial e redes técnicas em Goiás. 2014. 221 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Geografia do Instituto de Estudos Socioambientais. Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

ELIAS. D. PEQUENO. R. Desigualdades Socioespaciais nas Cidades do Agronegócio. Revista Brasileira Estudos Urbanos e Regionais. V. 9, N. 1/Maio 2007. Disponível em:< https://rbeur.anpur.org.br/rbeur/article/view/168>

FRAGOSO, D, de B. e CARDOSO, E. A. Expansão da Agricultura no Tocantins. (In) Agricultura e mudanças do clima no Estado do Tocantins [livro eletrônico]: vulnerabilidades, projeções e desenvolvimento / organização Erich Collicchio, Humberto Ribeiro da Rocha. -- Palmas, TO: Editora Universitária-EdUFT, 2022. 438 p. PDF. Disponível em:< https://repositorio.uft.edu.br/handle.>

HAESBAERT. R. Des-territorialização e identidade: a rede “gaúcha” no Nordeste. Niterói: EDUFF, 1997. 293 P.:il.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Divisão do Brasil em regiões funcionais urbanas. Rio de Janeiro: IBGE, 1972. Disponível em:< https://www.ibge.gov.br/geociencias/cartas-e-mapas/redes-geograficas/15778-divisoes-regionais-do-brasil.html?=&t=acesso-ao-produto>

______________. Divisão do Brasil em mesorregiões e microrregiões/Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Departamento de Geografia – Rio de Janeiro: IBGE, 1990 V Conteúdo: v1 [Brasil] – v2 t 1 Região Norte.

______________. Regiões de influência das cidades -REGIC: 2018 / IBGE, Coordenação de Geografia. - Rio de Janeiro: IBGE, 2020.

______________. Malhas Territoriais. Malha Municipal. Disponível em:< https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/malhas-territoriais/15774-malhas.html?=&t=acesso-ao-produto>

LEMOS. M. B. DINIZ C. C. GUERRA, L. R. MORO, S. 2003. A nova configuração regional brasileira e sua geografia econômica. Estudos Econômicos, São Paulo, v.33, n.4, p. 665-700.

MACHADO, F. M. Navegação do Rio São Francisco. Rio de Janeiro: Topbooks, 2002.

MATTEO, K. C. de, et al. Diagnóstico da Dinâmica Social e Econômica do Estado do Tocantins. Inventário Socioeconômico. Secretaria do Planejamento e Orçamento (Seplan). Palmas: Seplan, 2016.

MIRANDA, E. E. de. MAGALHÃES. L. A. e CARVALHO. C. A. de. Proposta de Delimitação Territorial do MATOPIBA. Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (GITE). Nota 1. Técnica Campinas, SP. Maio, 2014. Disponível em:< https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1037313/proposta-de-delimitacao-territorial-do-matopiba>

OLIVEIRA. T. J. A. de, PIFFER. M. A reestruturação das cidades do cerrado centro norte no contexto do agronegócio. Revista Desafios. v. 3, n. 01, 2016. Disponível em:< https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/1681>

PEREIRA. L. A. G. LESSA. S. N. O Processo de Planejamento e Desenvolvimento do Transporte Rodoviário no Brasil. Caminhos de Geografia. Uberlândia. V. 12, n. 40 dez/2011. Disponível em:<https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16414>

ROCHA, Geraldo. O rio de São Francisco. Factor precipuo da existência do Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1940.

SATHLER, D. MONTE-MÓR, R. L. CARVALHO, J. A. M. de. As redes para além dos rios: urbanização e desequilíbrios na Amazônia brasileira. Nova Economia. Belo Horizonte. 19. (1) 11-39. Janeiro-abril de 2009. Disponível em:< https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/1036>.

SANTOS. I. D. da S. O Papel das Localidades Centrais na Rede Urbana do Oeste Baiano: do declínio de barra à ascensão de barreiras (Início Do Século XX À Década De 1980). Caminhos de Geografia. Uberlândia - MG v. 19, n. 65 Março/2018 p. 29–42.

SANTOS, F. V. O governo das conquistas do norte: trajetórias administrativas no Estado do GrãoPará e Maranhão (1751-1780). 2008. 440 f. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo. Departamento de História, São Paulo. Disponível em:< https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-06072008-140850/publico/tde.pdf>.

SANTOS. C. C. M. dos. Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento dos Cerrados – PRODECER: um espectro ronda os cerrados brasileiros. Estudos Sociedade e Agricultura. (Outubro de 2016 a janeiro de 2017) v. 24 n. 2 out. 2016 a jan. 2017. Publicado: 28-10-2016. Disponível em:<https://revistaesa.com/ojs/index.php/esa/issue/view/58>

SCHWARTZ, S. e LOCKART, J. A América Latina na época colonial. Trad. Maria Beatriz de Medina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

VASCONCELOS, Pedro de Almeida. Questões metodológicas na geografia urbana histórica. Geotextos, Salvador, v. 5, n. 2, p. 147-157, dez. 2009. Disponível em:< https://periodicos.ufba.br/index.php/geotextos/issue/view/408>

Downloads

Publicado

2022-10-17

Como Citar

Souza Santana Sobrinho, O., & Luiz Araújo Sobrinho, F. (2022). OS PERÍODOS DO TERRITÓRIO E A FORMAÇÃO DA REDE URBANA NA MESORREGIÃO ORIENTAL DO TOCANTINS E NA MESORREGIÃO EXTREMO OESTE BAIANO. GEOFRONTER, 8. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/GEOF/article/view/7088

Edição

Seção

Artigos