ANÁLISE DA PRODUÇÃO DO ESPAÇO E PRECARIZAÇÃO DE MORADIAS NA ÁREA URBANA DE AQUIDAUANA – MS

Visualizações: 126

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/geofronter.v9i1.7328

Palavras-chave:

Espaço geográfico, Fatores precarizadores, Habitação

Resumo

As diferenças sociais atuantes, geradas pelo modo produção capitalista, tem como pano de fundo o cenário dos espaços urbanos, que por sua vez, se expressa na paisagem através das condições das moradias. Neste sentido, estudos que possam identificar as estratégias provenientes da população, considerada de baixa renda, quanto ao acesso à moradia são imprescindíveis. Assim, este estudo buscou identificar e mapear as moradias com fatores precarizadores pré-determinados nos bairros Centro e Exposição no município de Aquidauana – MS. Além de compreender as estratégias residênciais adotadas pela população considerada de baixa renda, em consonância com os aspectos socioeconômicos. Para isto, foi aplicado um questionário semiestruturado e um roteiro de entrevista aos sujeitos pesquisados, além de registros fotográficos, visando identificar quais as prioridades que a população de baixa renda utiliza para garantir sua qualidade de vida e bem-estar. Ainda, foi possível observar que a distribuição espacial das moradias influencia diretamente na quantidade de fatores precarizadores atribuídos às residências. Assim, foi observado que as moradias mais precarizadas encontram-se próximas a áreas de descarte irregular de residúos sólidos e susceptivieis aos alagamentos sazonais.

Referências

ALVES, J. E. D. e CAVENAGHI, S. M. Déficit habitacional, famílias conviventes e condições de moradia. In: II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações sociais, Econômicas e Territoriais. Rio de Janeiro. 2006.

BOTELHO, A. O urbano em fragmentos. A produção do espaço e da moradia pelas práticas do setor imobiliário. São Paulo: FAPESP, Annablume, 2007. DOI: https://doi.org/10.36661/2448-1092.2007v4n6.12793

CARLOS, A. F. A. A cidade. [9. ed.]. São Paulo, SP: Contexto, 2011-2013. 98 p. (Repensando a geografia).

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. CENSO 2010.Disponível em <https://censo2010.ibge.gov.br/materiais/guia-do- censo/conceituacao.html>, Acesso em: 01/10/2020.

JOIA, P. A. R. A. A Origem e evolução da cidade de Aquidauana - MS. Revista Pantaneira, Aquidauana, Volume 7, 2005, p. 34-49.

JÓIA, P. R. e ANUNCIAÇÃO, V. S. Inundações urbanas e vulnerabilidade socioespacial na cidade de Aquidauana. Geografia (Londrina), v. 22, n. 2 p. 05-23, Maio - Ago. 2013.

MARCONI, M. A. e LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. – 5° ed. – São Paulo: Atlas, 2003.

MARICATO, Ermínia. Impasse da política urbana no Brasil. [2. ed.]. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012. 219 p.

NASCIMENTO, D.M. A autoconstrução na produção do espaço urbano. In: MENDONÇA, J. G. de; COSTA, H. S. de M. (Orgs.). Estado e capital imobiliário: convergências atuais na produção do espaço urbano brasileiro. Belo Horizonte: Ed. C/Arte, p.1-13. 2011.

NEVES, J. Um porto para o Pantanal: a fundação de Aquidauana: civilização e dependência. Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2007.

OLIVEIRA, J. A. de; COSTA, D. P da. A análise da moradia em Manaus (AM) como estratégia de compreender a cidade. Scripta Nova: revista electrónica de geografía y ciencias sociales, n.11, p. 29, 2003.

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS (PNAD) 2015. Disponível em:<https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/educacao/9127-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios.html?=&t=o-que-e> Acesso em: 15/09/2020.

RODRIGUES, A. M. Moradia nas cidades brasileiras: repensando a geografia. 2° ed; 10. ed. São Paulo: Contexto, 1989; 2003.

TUAN, Yi - fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo, SP: DIFEL, 1980. 288 p.

Downloads

Publicado

2023-04-25

Como Citar

Willian Francisco de Souza, J., & Lopes Bastista, R. (2023). ANÁLISE DA PRODUÇÃO DO ESPAÇO E PRECARIZAÇÃO DE MORADIAS NA ÁREA URBANA DE AQUIDAUANA – MS. GEOFRONTER, 9(1). https://doi.org/10.61389/geofronter.v9i1.7328

Edição

Seção

Artigos