O PROCESSO DE DESINDUSTRIALIZAÇÃO DA ECONOMIA PARANAENSE NO SÉCULO XXI

Visualizações: 135

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/geofronter.v9i1.7649

Palavras-chave:

Comércio exterior, Emprego, Produção, Paraná

Resumo

O debate sobre desindustrialização vem ganhando relevância em diferentes áreas do conhecimento, porém não há uma única e absoluta forma de medir a sua existência, as três variáveis mais usuais são as de produção, emprego e comércio exterior. No Brasil, inúmeros autores confirmaram a sua existência a partir do final do século XX, cenário que se mantém até hoje. Dada a sua importância, é de grande valia verificar se as unidades da federação acompanham o Brasil nesse processo. O Paraná, por exemplo, é considerado um dos estados mais “industrializados” do país, mas será isso uma amostra de que a realidade paranaense segue caminho contrário? Isto posto, o objetivo principal dessa investigação foi verificar se o Paraná, assim como o Brasil, experimenta no século XXI a desindustrialização de sua estrutura econômica e, por conseguinte, observar possíveis implicações nas dimensões espacial e econômica. A metodologia utilizada baseia-se na pesquisa bibliográfica acerca do tema central, bem como na coleta, análise e sistematização de dados e indicadores sobre a economia paranaense: participação do Produto Interno Bruto (PIB) industrial no PIB total, comportamento do comércio exterior e emprego industrial. Os resultados indicaram um quadro de desindustrialização com restrições na unidade da federação referenciada e, simultaneamente, constatou-se uma moderada desconcentração dos empregos industriais quando consideradas as Regiões Geográficas Intermediárias (RGInt) do Paraná e uma reprimarização da pauta exportadora.

Biografia do Autor

Rodrigo Gavioli Diniz, Universidade Estadual de Maringá

Doutorando em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Graduado (2020) em Geografia Licenciatura pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Mestre (2022) em Geografia pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), com a dissertação intitulada "Economia Criativa e Indústria de Games no Centro-Oeste brasileiro: processos de expansão, fomento, desafios e perspectivas." Foi organizador e colaborador do Projeto de Extensão "Conhecendo a UEMS" (2018). É membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Ambiente, Sociedade e Geotecnologias (GEPAG) vinculado a UEM. Desenvolve trabalhos na área de Ensino de Geografia e Geografia Econômica, em especial, analisando os jogos eletrônicos no território brasileiro, Economia Criativa, Geografia da indústria, neoliberalismo, Complexidade Econômica e desenvolvimento.

 

Diogo Danilo de Almeida Pereira, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná - CM, Especialização em Desenvolvimento Local e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável pela Escola Nacional de Administração Pública - DF, Especialização em Engenharia Digital e Tecnologia BIM pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná - AP, Mestre em Engenharia Urbana pela Universidade Estadual de Maringá, Doutorando em Geografia Universidade Estadual de Maringá.

Referências

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Brasil vive desindustrialização. Folha de São Paulo. São Paulo, 29 ago. 2010. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft2908201011.htm. Acesso em: 21 maio 2023.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos; MARCONI, Nelson. Existe Doença Holandesa no Brasil? In: BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Doença holandesa e indústria. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010. p. 155-172.

CANO, Wilson. Crise e industrialização no Brasil entre 1929 e 1954: a reconstrução do Estado Nacional e a política nacional de desenvolvimento. Brazilian Journal of Political Economy, v. 35, p. 444-460, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/0101-31572015v35n03a04

COMEX STAT. Portal para acesso gratuito às estatísticas de comércio exterior do Brasil. 2023. Disponível em: http://comexstat.mdic.gov.br/. Acesso em: 23 maio. 2023.

CNI - Confederação Nacional da Indústria. Paraná. 2023. Disponível em: https://perfildaindustria.portaldaindustria.com.br/estado/pr. Acesso em: 23 maio 2023.

GALA, Paulo. Brasil: a economia da padoca. 2022. Disponível em: https://www.paulogala.com.br/economia-da-padoca/. Acesso em: 22 maio 2023.

FACHINI, Rodrigo Felipe. Avanço da reprimarização da pauta exportadora brasileira e paranaense na década de 2010: contextualização com a desindustrialização do brasil e do paraná. 2022. 33 f. Monografia (Especialização) - Curso de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2022.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. 34. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

HAUSMANN, Ricardo; HIDALGO. César A., et al. The atlas of economic complexity: mapping paths to prosperity. Massachusetts: Massachusetts Institute Of Technology And Center For International Development (MIT), 2013. DOI: https://doi.org/10.7551/mitpress/9647.001.0001

HIRSCHMAN, Albert. The strategy of economic development. London: Yale University Press, 1958.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Divisão regional do Brasil em regiões geográficas imediatas e regiões geográficas intermediárias. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. 82 p.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. SCNT - Sistema de Contas Nacionais Trimestrais. 2023. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/industria/9300-contas-nacionais-trimestrais.html. Acesso em: 23 maio 2023.

IPARDES - Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Paraná: comércio exterior. 23. ed. Curitiba: 2019. 28 p.

IPARDES - Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Paraná avança na industrialização e tem o terceiro maior crescimento do País em 10 anos. 2021. Disponível em: https://www.aen.pr.gov.br/Noticia/Parana-avanca-na-industrializacao-e-tem-o-terceiro-maior-crescimento-do-Pais-em-10-anos#:~:text=Com%20saldo%20de%20R%24%2093,Gerais%20(10%2C9%25). Acesso em: 23 maio. 2023.

IPARDES - Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. PIB a Preços Correntes. 2023a. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/imp/index.php. Acesso em: 22 maio 2023.

IPARDES - Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Empregos (RAIS) - Sexo e Atividade Econômica (Subsetores do IBGE). 2023b. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/imp/index.php. Acesso em: 22 maio 2023.

LAMOSO, Lisandra Pereira. Indústria, desindustrialização e território. Boletim Campineiro de Geografia, Campinas, v. 3, n. 3, p. 408-429, 2013. DOI: https://doi.org/10.54446/bcg.v3i3.126

LAMOSO, Lisandra Pereira. Reprimarização no território brasileiro. In: Espaço e Economia, Revista brasileira de geografia econômica. Ano IX, número 19, 2020, p.1-31. DOI: https://doi.org/10.4000/espacoeconomia.15957

LENCIONI, Sandra. Mudanças na metrópole de São Paulo e transformações industriais. In: SPOSITO, Eliseu Savério (Org.). Dinâmica econômica, poder e novas territorialidades. Presidente Prudente: UNESP/FCT, 1999. p. 115-136. DOI: https://doi.org/10.7154/RDG.1998.0012.0002

LOPES, Victor Tarifa. A reprimarização das exportações brasileiras em perspectiva histórica de longa duração. Carta Internacional, Belo Horizonte, v. 15, n. 3, p. 174-203, nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.21530/ci.v15n3.2020.1029

MAMIGONIAN, Armen. Kondratieff, ciclos médios e organização do espaço. Geosul, v. 14, n. 28, p. 152-157, 1999.

MASCARO, Alysson Leandro. Crise e Golpe. São Paulo: Boitempo, 2018.

MORCEIRO, Paulo César. Desindustrialização na economia brasileira no período 2000-2011: abordagens e indicadores. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

POCHMANN, Marcio. Brasil sem industrialização: a herança renunciada. Editora UEPG, 2016. DOI: https://doi.org/10.7476/9788577982165

REOLON, Cleverson Alexsander. Produção industrial e comando do capital no Brasil: uma análise espacial. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

REOLON, Cleverson Alexsander; SPOSITO, Eliseu Savério . Espaço e consumo: uma análise espacial da distribuição das atividades de comércio e de serviços no Brasil. 1. ed. São Paulo: Max Limonad, 2022. v. 1. 216p .

SALES, Teresa. Raízes da desigualdade social na cultura política brasileira. Revista brasileira de ciências sociais, v. 25, n. 9, p. 26-37, 1994.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. 2008.

SCATOLIN, Fábio Dória et al. Desindustrialização? Uma análise comparativa entre Brasil e Paraná. Indicadores Econômicos FEE, v. 35, n. 1, p. 105-120, 2007.

TOMBOLO, Guilherme Alexandre; SAMPAIO, Armando Vaz. O PIB brasileiro nos séculos XIX e XX: duzentos anos de flutuações econômicas. Revista de Economia, v. 39, n. 3, 2013. DOI: https://doi.org/10.5380/re.v39i3.31283

WASQUES, Renato Nataniel. O fenômeno da desindustrialização: uma análise do caso paranaense no período 1990-2010. Economia & Tecnologia, v. 8, n. 1, p. 67-76, 2012. DOI: https://doi.org/10.5380/ret.v8i1.27594

Downloads

Publicado

2023-09-27

Como Citar

Gavioli Diniz, R., & de Almeida Pereira, D. D. (2023). O PROCESSO DE DESINDUSTRIALIZAÇÃO DA ECONOMIA PARANAENSE NO SÉCULO XXI. GEOFRONTER, 9(1). https://doi.org/10.61389/geofronter.v9i1.7649

Edição

Seção

Artigos