MONITORAMENTO, POR MEIO DE GEOTECNOLOGIAS, DOS PROCESSOS DE INUNDAÇÃO E ALAGAMENTO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DO BACURI, IMPERATRIZ-MA.

Visualizações: 89

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8305

Palavras-chave:

Problemas ambientais, Geotecnologia, Mapeamento

Resumo

Os problemas ambientais têm-se tornado cada vez mais frequentes nos grandes centros urbanos, potencializados em grande parte pela ação antrópica. Atualmente, o monitoramento por meio das geotecnologias tornou-se uma ferramenta de grande utilidade no combate e prevenção das ocorrências dos problemas ambientais, uma vez que, torna-se possível, identificar, coletar, processar dados ou escalas espaciais dos objetos presentes na superfície terrestre. O trabalho tem por objetivo compreender as áreas atingidas pelos processos de inundação e alagamento, na área da Bacia Hidrográfica do Rio Bacuri, localizada no município de Imperatriz - MA, por meio do uso de geotecnologias. Para alcançar esse objetivo foi utilizado o modelo digital de elevação (MDE) Copernicus Dem, com resolução espacial de 30 metros, projetados no software (Qgis 3.22), em seguida, os dados foram projetados no modelo Hand Model onde foi gerado o mapa de áreas suscetíveis à inundação. Posteriormente, foram utilizados dados da Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil (SUMPDEC) para o mapeamento dos principais pontos atingidos pela vazão do rio Bacuri. Os resultados obtidos constataram que a bacia hidrográfica do rio bacuri sofre demasiadamente com os processos de inundação e alagamento, geram transtornos em escalas sociais e econômicas para os habitantes que vivem em suas proximidades. Conclui-se que o trabalho foi de suma importância para identificar as áreas suscetíveis aos processos de inundação e alagamento, uma vez que, o município de Imperatriz sofre anualmente por tais eventos.

Biografia do Autor

IVANILDE SILVA, Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão.

TAISSA RODRIGUES, Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão

Doutora em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professora da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão.

Helen Fernandes, Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão.

Referências

AMARAL, João JF. Como Fazer uma Pesquisa Bibliográfica. Fortaleza, CE: Universidade Federal do Ceará. Disponível em: https://200.17, v. 137, p. 8081, 2007.

AMARAL, R.; MONI, S. Você sabe o que é inundação? São Paulo: Instituto Geológico, 2020. (Coleção Geonatural, n. 4).

BRAGA, Júlia Oliveira. Alagamentos e inundações em áreas urbanas: estudo de caso na cidade de Santa Maria – DF. Distrito Federal, Brasília. Agosto de 2016. 33p. UNB/IH/GEA, Bacharelado, 2016.

BRASIL. Lei Federal n° 12.651, de Maio de 2012. Proteção de vegetação nativa. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm. Acesso em: 14 ago 2023.

BRASIL. Lei Federal n° 14.285, de 29 de Dezembro de 2021. Áreas de preservação permanente no entorno de cursos d'água em áreas urbanas consolidadas. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2021/Lei/L14285.htm. Acesso em: 14 ago 2023.

CASTRO, A. L. C. de. Manual de desastres: desastres naturais. Brasília: Ministério da Integração Nacional, 2003. 174 p.

CEMADEN. Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais. 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 jan 2022

E. H. Cremon, G. M. Bettiol, J. P. M. Júnior, F. C. Macedo, and M. O. Rabelo. Avaliação da altimetria do MDE COP-30 no Centro Oeste do Brasil. Revista Brasileira de Cartografia, v. 74, p. 536-546, 2022.

GRILO, R. C. A precipitação pluvial e o escoamento superficial na cidade de Rio Claro/SP. 1992. 103 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 1992.

IBGE. Cidades. 2022. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/imperatriz/panora. Acesso em: 13 ago 2023.

IBGE. Divisão Regional Brasil 2017. 2018. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/divisao-regioal/15778-divisoes-regionais-do-brasil.html?=&t=acesso-a-produto. Acesso em: 13 ago 2023.

MENDES, H. C. et al. Reflexões sobre impactos das inundações e propostas de políticas públicas mitigadoras. USP/EESC.

MINISTÉRIO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA/ CENTRO DE ESTUDOS E GESTÃO ESTRATÉGICA - MCT/CGE. Diretrizes estratégicas para o Fundo de Recursos Hídricos de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Brasília, 2002. Disponível em: http://www.ana.gov.br. Acesso em: 20 ago 2023.

NASCIMENTO, F.; BRAGA, C.; ARAÚJO, F.; COSTA, E. Caracterização de eventos secos e chuvosos na microrregião de Imperatriz - MA. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 8, n. 2, p. 325-333, 2015.

NETO, A.C. Sistemas Urbanos de Drenagem. Disponível em: < http://wiki.urca.br/dcc/lib/exe/fetch.php?media=apostila de drenagem urbana_do_prof_cardoso_neto.pdf>. Acesso em: 29 jul 2023.

NOBRE, A. D.; CUARTAS, L. A.; HODNET, M.; RENNÓ, C. D.; RODRIGUES, G.; SILVEIRA, A.; WATERLOO, M.; SALESKA, S. Height above the nearest drainage, a hydrologically relevant new terrain model. Journal of Hydrology, v. 404, n. 1-2, p. 13-29, 2011.

OLIVEIRA, R.C. Medidas não estruturais na prevenção e controle de enchentes em áreas urbanas, como subsídios para o planejamento de uso e ocupação do solo: estudo de caso – bacia do córrego do Gregório – São Carlos (SP). Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, Escola de Engenharia de São Carlos, São Carlos, 1998.

PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ. Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil-SUMPDEC. Relatórios Técnicos de vistoria. Mensagem pessoal enviada para o autor. 01.18.2023.

RIBEIRO, R. C. Água vai, água vai, água vai: os transbordamentos dos Riachos na cidade de Imperatriz- MA. 2018. 61 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) – Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia, Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, 2018.

SANTOS, LS; Nunes, FG. Imperatriz do Maranhão: proposição para a compreensão do processo de ocupação e consolidação da cidade. Geotextos, 14(2), 117-141, 2018.

Downloads

Publicado

2024-03-06

Como Citar

SILVA, I., RODRIGUES, T., & Fernandes, H. (2024). MONITORAMENTO, POR MEIO DE GEOTECNOLOGIAS, DOS PROCESSOS DE INUNDAÇÃO E ALAGAMENTO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DO BACURI, IMPERATRIZ-MA. GEOFRONTER, 10, e32774. https://doi.org/10.61389/geofronter.v10.8305

Edição

Seção

Artigos