A consciência mestiza de Gloria Anzaldúa: por uma outra epistemologia

Humberto Igor Kudo, Paulo Sérgio Nolasco dos Santos

Resumo


Como reconhecem as teorias e as críticas literária, cultural e comparada, na contemporaneidade, o mundo ocidental e em particular para a reflexão no subcontinente latino-americano, a abordagem epistêmica dá-se como matriz de expressões tais como: “outra orilha”, “fronteriza”, “borderlands”, mediante as quais obras e escritores demonstram que sua tarefa representa compromisso com o lugar, locus de enunciação, cuja leitura reverbera em crescente interesse pela relação entre conhecimento e compromisso. Desta perspectiva, este trabalho visa à reflexão acerca da obra Borderlands / La frontera: the new mestiza (1987), da escritora Gloria Anzaldúa, representativo corpus da literatura chicana, cujo próprio título da narrativa, “borderlands”, constitui forte paradigma – teórico e crítico – para a nossa intervenção no discurso de literaturas originadas das margens e / ou periferias. Deste ângulo, ao circunscrever a narrativa de Borderlands entre as fronteiras México-Estados Unidos, Gloria Anzaldúa propõe a via “fronteriza”, a outra margem, como condição de sua própria voz, identidade e pertencimento, numa “outra” orilha do conhecimento e provocativo de uma prática reflexiva fundada sobre o descentramento literário e em uma epistemologia adequada ao subcontinente latino americano, e às literaturas pós-coloniais.


Palavras-chave


Borderlands; Gloria Anzaldúa; literatura chicana; literaturas de fronteiras.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES-BEZERRA, Wilson. Reverberações da fronteira em Horacio Quiroga. São Paulo: Humanitas; Fapesp, 2008.

ANZALDÚA, Gloria. Borderlands / La frontera: The New Mestiza. 2nd ed. San Francisco: Aunt Lute, 1999.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

_______. O bazar global e o clube dos cavalheiros ingleses: textos seletos de Homi Bhabha. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

CARVALHAL, Tania Franco. O próprio e o alheio: ensaios de literatura comparada. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2003.

CHAVES, Flávio L. Ponta de estoque. Caxias do Sul: Educs, 2006. 141p. Capítulo 9: A fronteira da literatura, p. 61-69.

DUSSEL, Enrique. Meditações anticartesianas sobre a origem do antidiscurso filosófico da modernidade. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 341-395.

FLEMING, Leonor. [Ed.] QUIROGA, Horacio. Cuentos, 2001. In: ALVES-BEZERRA, Wilson. Reverberações da fronteira em Horacio Quiroga. São Paulo: Editora Humanitas, Fapesp, 2008, 211p.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 455-491.

KEATING, AneLouise. From Borderlands and New Mestizas to Neplantas and Neplanteras: Anzaldúan Theories for Social Change. Disponível em: . Acesso em: 2 jul. 2013.

MACHADO, Álvaro Manuel; PAGEAUX, Daniel Henri. Da literatura comparada à teoria da literatura. Lisboa: Edições 70, 1988.

MIGNOLO, Walter. Histórias locais / Projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

NOLASCO, Edgar Cézar. A razão pós-subalterna. In: Cadernos de estudos culturais. Volume 5. Número 9. Jan./Jun. Campo Grande: Editora UFMS, 2013, p. 9-22.

NUNES, João Arriscado. O resgate da epistemologia. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 261-280.

PAGEAUX, Daniel-Henri. Musas na encruzilhada: ensaios de Literatura Comparada. São Paulo: Hucitec; Santa Maria: UFSM, 2011.

PALERMO, Zulma. Desde la otra orilla: pensamiento crítico y políticas culturales en América Latina. Córdoba: Alción Editora, 2005.

__________. De fronteras, travesías y otras liminalidades. In.: COUTINHO, Eduardo F.; BEHAR, Lisa B.; RODRIGUES, S.V. (org.). Elogio da lucidez: a comparação literária em âmbito universal; textos em homenagem a Tania Franco Carvalhal. Porto Alegre: Evangraf, 2004, p. 237-244.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 84-130.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 31-83.

SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos. Entretextos – Crítica comparada em literaturas de fronteiras. Campo Grande, MS: Life Editora, 2012.




Direitos autorais 2016 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS




Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456