Deslocamentos espaciais e identitário-afetivos em Azul-corvo

Luiza Puntar Muniz Barreto

Resumo


RESUMO: A contemporaneidade trouxe, devido à aceleração da globalização e ao aprimoramento das tecnologias, mudanças estruturais no modo como percebemos o tempo e o espaço: nossa relação com o mundo torna-se cada vez mais imediatista, o mundo parece cada vez menor, as fronteiras parecem se diluir. Nessa conjuntura, vemos aumentar o número de sujeitos em trânsito, cujas identidades plurais estão também em deslocamento. A questão da migração tem sido tema recorrente na literatura contemporânea, que problematiza, especialmente, a relação dos indivíduos migrantes com os espaços por onde transitam. No romance Azul Corvo (2010), de Adriana Lisboa, a personagem Vanja, é apenas uma menina de 13 anos quando decide migrar do Brasil para os EUA em busca do pai; sua trajetória, com efeito, evidenciará a experiência de trânsito do sujeito contemporâneo, passando pelo estranhamento e pelo desafio que representam as relações afetivas na perspectiva do estrangeiro.

Palavras-chave: deslocamento, migração, estrangeiro, identidade


Palavras-chave


deslocamento; migração; identidade; Azul-corvo; Adriana Lisboa.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2016 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS




Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456