Eles Eram Muitos Cavalos, de Luiz Ruffato: a metáfora de uma metrópole em ruínas

Autores

  • Carolina Barbosa Lima e Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (UFMS)

Palavras-chave:

Literatura Brasileira, Literatura Contemporânea, Tradição Literária, Luiz Ruffato, Metáfora.

Resumo

Propõe-se neste trabalho o desenvolvimento de uma análise literária sobre a coletânea narrativa Eles eram muitos cavalos, de Luiz Ruffato. Tomamos como ponto de partida desta reflexão a compreensão desta obra como uma representação metafórica do imaginário de uma sociedade metropolitana brasileira. Debruçamo-nos, então, na interpretação dos recursos estéticos que o autor se vale para promover suas críticas em torno das problemáticas sociais que permeiam este cenário. Procuramos analisar também as formas pelas quais importantes tradições literárias são evocadas e reinventadas ao longo da obra. Vale notar que as propostas de leitura deste trabalho são alinhavadas por teorias de estudiosos como Luiz Costa Lima, Jaime Ginzburg, Márcio Seligmann-Silva, Maria Adélia Menegazzo, dentre outros.

 

Biografia do Autor

Carolina Barbosa Lima e Santos, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (UFMS)

Graduada em Letras (UFMS), Mestre em Estudos de Linguagens (UFMS), Acadêmica do curso de Doutorado em Letras (UFMS).

Referências

FERREIRA, José Mendes. Org. Antologia do futurismo italiano – manifestos e poemas. Lisboa: Vega, 1979.

GINZBURG, Jaime. O narrador na literatura brasileira contemporânea. In.: Tintas. Quaderni di letterature iberiche e iberoamericane, 2 (2012), pp. 199-221.

KLINGER, Diana Irene. Escritas de si, escritas do outro. Rio de Janeiro: 7letras, 2007.

LIMA, Luiz Costa. Metáfora: do ornato ao transtorno. In:_______. A aguarrás do tempo. Rio de Janeiro: Rocco, 1989. P.123-186.

MARINETTI, Filippo Tommaso. Manifesto técnico da literatura futurista. In: TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda Européia e Modernismo brasileiro. Rio de Janeiro: Vozes, 1977.

_______. In: FERREIRA, José Mendes. Org. Antologia do futurismo italiano – manifestos e poemas. Lisboa: Vega, 1979.

MEIRELES, Cecília. Romanceiro da Inconfidência. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.

MENEGAZZO, Maria Adélia. A poética do recorte. Campo Grande: Editora UFMS, 2004.

RUFFATO, Luiz. Leia a íntegra do discurso de Luiz Ruffato na abertura da Feira do Livro de Frankfurt. Disponível: http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,leia-a-integra-do-discurso-de-luiz-ruffato-na-abertura-da-feira-do-livro-de-frankfurt,1083463

Acessado em: 15/02/2017.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. O local da diferença. Ensaios sobre memória, arte, literatura e tradução. São Paulo: Ed.34, 2005.

RUFFATO, Luiz. Eles Eram Muitos Cavalos.São Paulo: Boitempo Editorial, 2006.

TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda Européia e Modernismo brasileiro. Rio de Janeiro: Vozes, 1977.

Downloads

Publicado

04/04/2017

Como Citar

Santos, C. B. L. e. (2017). Eles Eram Muitos Cavalos, de Luiz Ruffato: a metáfora de uma metrópole em ruínas. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 1(15), 148–163. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/1489