O princípio da poesia: relevâncias metapoéticas de Claudia Roquette-Pinto

Autores

  • Eloiza Fernanda Marani Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Kelcilene Grácia Rodrigues Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Palavras-chave:

Literatura Brasileira, Poesia Contemporânea, Metapoesia. ABSTRACT, A poet from

Resumo

Poeta carioca, uma das fortes vozes da poesia brasileira contemporânea e, até o presente momento, autora de sete livros – Os dias gagos (1991), Saxífraga (1993), Zona de sombra (1997), Corola (2000), Margem de manobra (2005), Botoque e Jaguar: a origem do fogo (2009) e Entre lobo e cão (2014) –, Claudia Roquette-Pinto, embora tenha publicado algumas obras – e ativa no cenário literário brasileiro –, ainda é uma escritora pouco conhecida nos meios acadêmicos. Entretanto, uma das fortes características da escritora é retratar e utilizar em seus versos termos advindos e constituintes da botânica, que logo na capa e título de sua penúltima obra – Corola – é perceptível. No intuito de apresentar o processo metapoético presente nos versos de Cláudia Roquette-Pinto, apresentaremos a análise do poema “O princípio”, constituinte da obra Corola, no intuito de exemplificar, ilustrar e apontar o percurso trilhado pela autora na formação de seu constructo poético. Para fomentar nossas discussões e análise, nos baseamos em Eliot (1991), Haroldo de Campos (1992), Ivety Walty (1999), Blanchot (2011), entre outros, no que concerne a Metalinguagem, além de percorrer a fortuna crítica da autora, presente em Marani (2015), avaliando a recorrência de temáticas poéticas presente nos versos de Claudia Roquette-Pinto.

 

Biografia do Autor

Eloiza Fernanda Marani, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutoranda em Letras na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Kelcilene Grácia Rodrigues, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho" - UNESP/Araraquara.

Referências

BORGES, Jorge Luiz. Esse ofício do verso. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem & outras metas. 4 ed. São Paulo: Editora Perspectiva. 1992.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: (mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números). Tradução: Vera da Costa e Silva. 5 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1991.

ELLIOT, T.S. De poesias e poetas. Trad. Ivan Junqueira. São Paulo: Brasiliense, 1991.

GUIMARÃES, Rute. Dicionário da mitologia grega. São Paulo: Cultrix, 1972.

HOUAIS, Antonio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. 1 ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

MARANI, Eloiza Fernanda. Fortuna crítica e Metapoesia em Claudia Roquette-Pinto. Três Lagoas, 2015, 300 fls. Dissertação (Mestrado – Estudos Literários) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS.

PAZ, Octavio. O arco e a lira. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

ROQUETTE-PINTO, Claudia. Corola. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000, p. 53.

SIMON, Iumna Maria. Situação de Sítio. Novos estudos CEBRAP, São Paulo, n.82, p.151-165, 2008.

Downloads

Publicado

04/04/2017

Como Citar

Marani, E. F., & Rodrigues, K. G. (2017). O princípio da poesia: relevâncias metapoéticas de Claudia Roquette-Pinto. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 1(15), 62–75. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/1490