A escrita ensaística no Romantismo

Autores

  • Keila Mara de Souza Araújo Maciel Universidade Federal do Espírito Santo

Palavras-chave:

Ensaio, Crítica, Estética, Reflexão.

Resumo

O presente trabalho tem, por objetivo central, a discussão sobre o papel do ensaio no ideário romântico, acompanhando a atuação desta forma de escrita na composição do pensamento crítico, norteado pela reflexão individual.

Biografia do Autor

Keila Mara de Souza Araújo Maciel, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutoranda em Letras - área de concentração Literatura, pela Universidade Federal do Espírito Santo

Referências

BENJAMIN, Walter. O conceito de crítica de arte no romantismo alemão. Tradução de Márcio Seligman-Silva. São Paulo: Editora Iluminuras, 2002.

_______. Passagens. Trad. Irene Aron (Alemão) e Cleonice Paes Barreto Mourão (Francês). Org. Willi Bolle e Olgária C. F. Matos. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Belo Horizonte: UFMG, 2007.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. 9ª edição. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2006.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico sobre as formas da grande épica. Tradução de José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Duas cidades, 2009.

_______. A alma e as formas. Trad. Rainer Patriota. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

MACHADO, Carlos Eduardo J. As formas e a vida. Ética e estética no jovem Lukács (1910-18). Diponível em: http://www.herramienta.com.ar/teoria-critica-y-marxismo-occidental/ formas-e-vida-etica-e-estetica-no-jovem-lukacs-1910-18. Acesso em 22 de fevereiro de 2016.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Ler o Livro do Mundo. São Paulo: Editora Iluminuras, 1999.

SAFRANSKI, Rüdiger. Romantismo, uma questão alemã. São Paulo: Estação Literária, 2010.

MONTAIGNE, M. Ensaios. São Paulo: Nova Cultural, 2000.

NASCIMENTO, Evando. Literatura e filosofia: diálogos. Juiz de Fora: EdUFJF/ São Paulo: Imprensa Oficial, 2005.

Downloads

Publicado

2017-09-05

Como Citar

de Souza Araújo Maciel, K. M. (2017). A escrita ensaística no Romantismo. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(16), 186–200. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/1558