Dante, precursor de Borges

Visualizações: 912

Autores

Palavras-chave:

Precursores, Tradição, Dante Alighieri, Jorge Luis Borges, El Aleph.

Resumo

O escritor Dante Alighieri ensaia no seu projeto literário uma poética de leitura com a retomada das suas grandes influências como na Comédia, obra que reflete as problemáticas que atingem a todos os homens. Ele faz um interessante trabalho ao retomar os seus precursores e seu paideuma foi a tradição greco-latina além dos poetas provençais. É reescrito por Jorge Luis Borges, figura central nesta pesquisa, por meio de “El Aleph” (1949). Por superarem tempo e espaço, ambos são considerados escritores universais. Neste artificio acredita-se que Borges executa uma nova leitura de Dante desde a sua própria óptica, é a criação do seu precursor implicando problemáticas que perturbam-no durante o transcurso da sua vida como escritor e como homem. A obra de arte para ele não é um objeto acabado e a noção de originalidade está perdida, assumindo que tudo mais já foi escrito.

Biografia do Autor

Jorgelina Rivera, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Campus Araraquara

Graduada em professorado em Letras pela Universidad Nacional del Comahue (2010).Realizou uma especialização em Literaturas em nível de Graduação na mesma faculdade (2010-2012). Sua linha de pesquisa desenvolve-se na área de Letras, com ênfase em ensino de espanhol para estrangeiros e estudos comparados entre literatura brasileira e argentina, em especial, poesia. Atua, principalmente, nos seguintes temas: ensino-aprendizagem de línguas,tradução (espanhol-português), literatura comparada, tradição e ruptura, discurso poético, Jorge Luis Borges e Haroldo de Campos. Em 2015 concluiu o mestrado no IBILCE da UNESP de São José do Rio Preto com enfase na área de Teorias Literárias com o projeto: "Duas poéticas da leitura: Tradição e Invenção de precursores nos Projetos Literários de Jorge Luis Borges e Haroldo de Campos". Atualmente (2017) é bolsista CAPES e doutoranda na UNESP de Araraquara com o projeto "Mnemosine e pós-utopia no fluxo do rio Lete: uma leitura crítica: A educação dos cinco sentidos", sob a orientação da Profa. Dra. Diana Junkes Bueno Martha.

Referências

ALIGHIERI, Dante. A Divina Comedia. Tradução e notas de Ítalo Eugenio Mauro. São Paulo: Editora 34, 2004.

ARES, Silvia G. K. Sobre “El Aleph” y “El Zahir”. La búsqueda de la escritura de Dios. Pittsburgh: Variaciones Borges, 19, 2005.

BARTHES, Roland. Efeito do real. In: ______. Literatura e realidade. Lisboa: Publicações D. Quixote, 1984.

BLOOM, Harold. A angustia da influência. Rio de Janeiro: Imago, 2002.

BORGES, Jorge Luis. Autobiografía. 1899-1970. Buenos Aires: El Ateneo, 1999.

______. El Aleph. In: ______. Obras Completas 1. Buenos Aires: Sudamericana, 2011a. p. 921-932.

______. El encuentro en un sueño. In: ______. Obras Completas 3. Buenos Aires: Sudamericana, 2011c. p. 402-405.

______. La Divina Comedia. In: ______. Obras Completas 3. Buenos Aires: Sudamericana, 2011c. p. 227-241.

______. La pesadilla. In: ______. Obras Completas 3. Buenos Aires: Sudamericana, 2011c. p. 242-253.

______. La última sonrisa de Beatriz. In: ______. Obras Completas 3. Buenos Aires: Sudamericana, 2011c. p. 406-408.

______. Nueve ensayos dantescos. Madrid: Espasa-Calpe, 1982.

______. Poema conjetural. In: ______. Obras Completas 2. Buenos Aires: Sudamericana, 2011b. p. 261-262.

______. Siete Noches. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 1980.

CAMPOS, Haroldo et al. Borges/Dante: tradição, tradução, paródia: entrevista com Emir Rodríguez Monegal por Haroldo de Campos, Irlemar Chiampi e Leyla Perrone-Moisés. Trad & Comum, v. 1. São Paulo: 1981. p. 129-149. Disponível: http://www.autoresdeluruguay.uy/biblioteca/emir_rodriguez_monegal/entrevistas/entrev_15.pdf.

CANTO, Estela. Borges a contraluz. Buenos Aires: Grafinor, 1999.

DONATO, Hernâni. “Prefácio” de A Divina Comédia. Tradução e Notas de Hernâni Donato. São Paulo: Editora Cultrix, 1979.

FERNANDES, F. S. Fragmentos. Florianópolis, números 28-29, jan. dez. 2005. p. 113-120.

FERRARI, Osvaldo. En diálogo. Buenos Aires: Siglo XXI, 2005.

FISHBURN, Evelyn. e HUGHES, Psiche. Un diccionario de Borges. Buenos Aires: Torres Agüero, 1995.

GENETTE, Gérard. La utopía literaria. In: ______. Figuras. Retórica y estructuralismo. Reproduzido em Borges y la crítica. Buenos Aires: Capítulo, nº 80, 1981.

HERMAN, Paulo. A Verdadeira História de Olimpia Maidalchini, a Papisa Secreta. Rio de Janeiro: Objetiva – Houaiss, 2012.

HOBBES, Thomas. Leviathan. South Australia: University of Australia, 1651. Disponível: https://ebooks.adelaide.edu.au/h/hobbes/thomas/h68l/complete.html.

JIMENEZ, Alí V. Borges en el ejercicio de la crítica literaria: a propósito de Inquisiciones y Otras Inquisiciones (segunda parte). Filologia y Lingüística, v. XXXI, nº 2. Costa Rica: 2005. p. 41-63.

MONEGAL, Emir R. Borges, una biografía literaria. México DF: Tierra Firme, 1987.

NAVARRO, Ignacio. Dante Alighieri, costumbre y recomendación de Jorge Luis Borges. Criterio, 2242. Buenos Aires: ago. 1999.

NITRINI, Sandra. Transfigurações. São Paulo: HUCITEC, 1997.

PAOLI, Roberto. Percorsi di significato. Edit. Danna. Messina Firenze, 1977.

RISQUETE, Francisco J.R. Borges: fervor de Dante. Quaderns d' Italià, nº 10. Girona: 2005. p. 195-218.

SCHVARTZMAN, Julio. Un pudor argentino. Notas al margen del “inconcebible universo” del Aleph. In: RODRÍGUEZ, I. (Coord.). Canones literarios masculinos y relecturas transculturales: Lo trans-femenino/masculino/queer. Barcelona: Anthropos Editorial, 2001.

SPEIR, Claudia F. Borges, traductor imposible de Dante. Revista de Historia de la traducción, nº 7. Buenos Aires: 2013. p. 1-12.

TEIXEIRA, Ivan. New Criticism. Revista Cult, v. 14. São Paulo: out. 1998. p. 34-37

TERRACINI, Lore. Un lettore d'eccezione: Borges legge Dante. Turin: I codici del silenzio, Edizioni dell'Orso, 1988.

TUBIO, María L. “El Aleph” y la hiperrealidad mística. Espéculo: Revista de Estudios Literarios. Madrid: Universidad Complutense de Madrid, 2006. Disponível: http://www.ucm.es/info/especulo/numero32/Alephmi.html.

VILLARUBIA, Marisol. Jorge Luis Borges: ¿lector ingenuo o estudioso de la «Commedia»?. In: SAZ, S. (org.). XXXVIII Congreso Internacional de la Asociación Europea de Profesores de Español. Madrid: AEPE, Universidad de Alcalá. 21 ao 26 de julho de 2003. p. 145-152.

Downloads

Publicado

2018-05-25

Como Citar

RIVERA, Jorgelina. Dante, precursor de Borges. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, [S. l.], v. 1, n. 18, p. 317–342, 2018. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/1907. Acesso em: 17 abr. 2024.