A (re)invenção de um passado que não passa: o jogo da história e da ficção em K. Relato de uma busca, de Bernardo Kucinski

Visualizações: 608

Autores

  • Luciana Arruda Universidade de Brasília - UnB

Palavras-chave:

Jogo, Verdade, Ficção, Voz, Ditadura.

Resumo

Propomos analisar algumas nuances específicas da obra K. - Relato de um Busca, de Bernardo Kucinski, à medida que a narrativa nos é mostrada pelas diferentes vozes que compõe os discursos em torno do desaparecimento da protagonista Ana Rosa, irmã do escritor desse mesmo texto, datado de 1974. Nosso interesse é o de buscar explorar o modo narrativo de uma especificidade literária como essa em que as narrativas dizem, sugerem, denunciam, questionam e criticam as opressões advindas da ditadura militar no Brasil no período de 1968 a 1985. O que nesses textos, já que à priori trata-se de ficção, de literatura, é possível tomar como um discurso verossímil de um passado ainda sem identidade e, por conseqüência, sem rosto e que se constrói com as vozes daqueles que, em sua própria ausência, tentam dizer o não dito, os fatos, a verdade. Que voz é essa que nos conta e quando conta, conta-nos o quê, de fato? E sendo um narrador, status quo da (des)confiança, como se dá essa relação com os personagens sem voz,  sem rosto, sem presença? Assim, pretendemos mostrar como o jogo posto em prática por esses textos- contando sempre com diferentes perspectivas de leituras - é capaz de desestabilizar o próprio caráter ficção e de pôr em evidência uma história politicamente instaurada para continuar sem responder às diferentes perguntas daqueles que experimentaram, em suas diversas formas, a repressão militar na década de 1970.

Biografia do Autor

Luciana Arruda, Universidade de Brasília - UnB

Doutoranda em Literatura Hispano Americana na Universidade de Brasília - UnB. Mestre em Teoria Literária e Literaturas pela Universidade de Brasília-Unb. Graduada em Letras Português/Inglês pela Universidade Católica de Brasília-Ucb. Ministra aulas de Língua e Literatura para o Ensino Médio e Fundamental. Atua também como professora em cursos de graduação de Letras em disciplinas de Literatura e Cultura Hispano-Americana. Suas maiores especialidades estão concentradas no estudo do romance e da literatura contemporânea, paródia, metaficção, intertextualidade, estudos comparados, perspectivismo narrativo, ensino de língua portuguesa e inglesa, teoria literária e filosofia da linguagem. É também membro do Grupo de Pesquisa em Literatura e Cultura e do Grupo de Literatura hispano-Americana Contemporânea da Universidade de Brasília (Unb).

Referências

ASSMANN, A. Espaços da recordação: formas e transformações da memória cultural. Campinas: UNICAMP, 2011.

BENJAMIN. Walter. Documentos de cultura. Documentos de barbárie: escritos escolhidos I. São Paulo: Ed. Cultrix: Editora da Universidade de SãoPaulo,1986.

BENJAMIN, Walter. Experiência e Pobreza. In: Obras escolhidas. Vol. 1. Magia e técnica, arte e política/Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de História. In: Obras escolhidas. Vol. 1. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987.

BENJAMIN, Walter. O Narrador:Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: Obras escolhidas. Vol. 1. Magia e técnica, arte e política/Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987.

BOSI, Alfredo. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2002

DASCASTAGNÈ, Regina. O espaço da dor. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 1996.

FERNANDES, Fabricio Flores. As estratégias discursivas de perpetradores reflexões sobre a ditadura militar brasileira. In: Narrativas da violência. Contracorrente, revista de Estudos Literários, Manaus, v.2, n.2, p. 23-42, 2011.

GINZBURG, Jaime. A ditadura militar e a literatura brasileira: tragicidade, sinistro e impasse. In: OLINTO, Heidrun K.; SCHOLLHAMMER, Karl E. (Org.). Literatura e crítica. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009.

SARLO, Beatriz. Tempo presente. Rio de Janeiro: José Olympio, 2007.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Narrativas contra o silêncio: cinema e ditadura no Brasil. In: SELIGMANN-SILVA, et. al. (Org.). Escritas da violência: representações da violência na história e na cultura contemporâneas da América Latina. v.2. Rio de Janeiro: 7Letras, 2012. p. 65-85.

UMBACH, Rosani Ketzer.Violência, memórias da repressão e escrita. In: SILVA, Seligmann et. al. (org.). Escritas da violência: o testemunho. v.1. Rio de Janeiro : 7Letras, 2012. p. 217-227

KUCINSKI, Bernardo. K.: relato de uma busca. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

Downloads

Publicado

2018-05-25

Como Citar

ARRUDA, Luciana. A (re)invenção de um passado que não passa: o jogo da história e da ficção em K. Relato de uma busca, de Bernardo Kucinski. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, [S. l.], v. 1, n. 18, p. 259–273, 2018. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/1954. Acesso em: 17 abr. 2024.