As leituras da bibliotecária de Auschwitz

Autores

  • Antonio Adailton Silva Universidade Federal do Tocantins
  • Márcio Araújo de Melo Universidade Federal do Tocantins
  • Núbia Régia de Almeida Universidade Federal do Tocantins

Palavras-chave:

Letramento literário, Conhecimento, Transcendência, Ensino de literatura

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir o modo como a personagem Dita Adlerova, protagonista do romance A Bibliotecária de Auschwitz, escrito por Antonio G. Iturbe, se apropriava de suas leituras literárias, usando seus conhecimentos de forma transcendente, trazendo à tona seus saberes internalizados, no intuito de ajudá-la a interpretar melhor seus sentimentos e a realidade vivenciada nos campos de concentração nazistas. Focaliza-se o modo como a personagem consegue mobilizar e articular esses conhecimentos para resolver os problemas que surgem incessantemente. Nesse sentido, cabe refletir sobre o ensino de literatura no século 21 e a importância da leitura literária para a formação do leitor crítico e reflexivo, em um ambiente onde os indivíduos têm em mãos vários recursos que propiciam entretenimento e prazer imediato. Parte-se do pressuposto de que o letramento literário seja uma ferramenta apropriada para formar um leitor capaz de produzir conhecimento e emoção com suas leituras, sem negar a possibilidade de seu uso instrumental, de forma espontânea e, muitas vezes, intencional.

Biografia do Autor

Antonio Adailton Silva, Universidade Federal do Tocantins

Doutorando em Ensino de Língua e Literatura pela Universidade Federal do Tocantins/UFT; Professor de Língua e literatura da rede pública estadual do Tocantins.

Márcio Araújo de Melo, Universidade Federal do Tocantins

Professor do curso de Letras da UFT em Araguaína; Coordenador e docente do PPGL/UFT de Araguaína-TO; Doutor em Estudos Literários pela UFMG.

Núbia Régia de Almeida, Universidade Federal do Tocantins

Doutoranda em Ensino de Língua e Literatura pela Universidade federal do Tocantins; Professora da educação Básica da rede estadual do Tocantins.

Referências

AZEVEDO, Ricardo José Duff. “Onde estão os textos literários em tempos utilitários marcados pelo individualismo, a técnica e a economia?”. In: BELMIRO, Celia Abicalil et al. Onde está a literatura? Seus espaços, seus leitores, seus textos, suas leituras. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

BRASIL. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Orientações curriculares para o ensino médio; volume 1. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

CALVINO, Italo. Seis propostas para o próximo milênio. Tradução de Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CANDIDO, Antonio. Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1995.

COMPAGNON, Antoine. Literatura para quê? Tradução de Laura Taddei Brandini. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

COSSON, Rildo. “Letramento Literário”. In: FRADE, Isabel Cristina A. da Silva; COSTA VAL, Maria das Graças; BREGUNCI, Maria Das Graças de Castro (orgs). Glossário Ceale: termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2014, pp. 185-186.

______. Letramento Literário: teoria e prática. 1ª ed. 3ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2009.

ITURBE, Antonio G. A Bibliotecária de Auschwitz. Tradução Dênia Sad. 1ª ed. Rio de Janeiro: Agir, 2014. 368p.

JOUVE, Vincent. Por que Estudar Literatura? Tradução: Marcos Bagno; Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2012.

LAJOLO, Marisa. “Carlos Drummond de Andrade: uma história exemplar de leitura”. In: SOUZA, Renata Junqueira de (Org.). Caminhos para a formação do leitor. São Paulo: DCL, 2004, pp. 12-23.

MARTINS, Ivanda. “A literatura no Ensino Médio: Quais os desafios do professor?”. In: BUNZEN, Clécio; MENDONÇA, Márcia. [orgs.] KLEIMAN, Angela B... [et. Al.]. Português no Ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

MELO, Márcio Araújo de. “Entre livros, leitores e realidade”. Via Atlântica, São Paulo, N. 28, 161-176, DEZ/2015.

______; SILVA, Antonio Adailton. “Ensino de Literatura: diversidade e fronteira”. Polifonia. Cuiabá-MT, v.18, n.24, jul./dez., 2011, pp. 97-108.

PIGLIA, Ricardo. O último leitor. Tradução Heloisa Jahn. São Paulo: Companhia das Letras, 2006

TODOROV, Tzvetan. A Literatura em Perigo. Tradução de Caio Meira. Rio de Janeiro: DIFEL, 2009.

Downloads

Publicado

2017-11-16

Como Citar

Silva, A. A., Melo, M. A. de, & de Almeida, N. R. (2017). As leituras da bibliotecária de Auschwitz. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 3(17), 504–527. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/1972