O menino, o homem e o senhor: masculinidades em contos lispectorianos

Autores

  • Leandro Lopes Soares Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Maria Edileuza da Costa Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Literatura, Conto, Gênero, Masculinidade, Clarice Lispector.

Resumo

No que concerne a pesquisas sobre a obra de Clarice Lispector, diferentes enfoques foram abordados, principalmente aqueles relacionados à condição feminina, sendo, portanto, importante corpus para os estudos feministas. Visto a consagração dessas abordagens, outras ainda estão praticamente intocadas, a espera de ascendência, entre elas, a masculinidade. Propomos aqui um estudo voltado para diferentes tipos masculinos presentes em contos lispectorianos, com ênfase no menino do conto “O primeiro beijo”, no homem d“O crime do professor de matemática” e no senhor do conto “O jantar”. Nesse sentido, serão abordadas diferentes nuances de uma (des)construção masculina em perfis divergentes que se conectam por um elo comum, fio condutor de relações de gênero, marcadas por ritos de iniciação, redenção e solidão.

Biografia do Autor

Leandro Lopes Soares, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado Professora Maria Eliza de Albuquerque Maia - CAMEAM, Pau dos Ferros - RN.

Maria Edileuza da Costa, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutora em Letras pela Universidade Federal da Paraíba - UfPB. Professora permanente e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, Campus Avançado Professora Maria Eliza de Albuquerque Maia - CAMEAM, Pau dos Ferros, RN.

Referências

ACKERMAN, DIANE. Uma história natural dos sentidos. Rio de Janeiro: Betrand Brasil, 1996.

BENTO, Berenice. O homem não tece a dor: queixas e perplexidades masculinas. Natal, RN: EDUFRN, 2015.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: BestBolso, 2016.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2003.

KAHN, Daniela Mercedes. A via crucis do outro: identidade e alteridade em Clarice Lispector. São Paulo: Associação Editorial Humanitas: Fapesp, 2005.

LIMA, Bernadete Grob. O percurso das personagens de Clarice Lispector. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

LISPECTOR, Clarice. Felicidade clandestina. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

_____. A via crucis do corpo. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

_____. Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

MURARO, Rose Marie. Introdução. In: KRAMER, Heinrich; SPRENGER, James. O martelo das feiticeiras. Rio de Janeiro: BestBolso, 2015.

NOLASCO, Sócrates. De Tarzan a Homer Simpson: banalização e violência masculina em sociedades contemporâneas ocidentais. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

NUNES, Benedito. O drama da linguagem: uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo: Editora Ática, 1995.

OLIVEIRA, Pedro Paulo de. A construção social da masculinidade. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2004.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Expressão Popular: Fundação Perseu Abramo, 2015.

SIMON, Luiz Carlos Santos. Fundamentos para pesquisas sobre masculinidades e literatura no Brasil. Revista Estação Literária, v. 16, p. 8. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2008. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/estacaoliteraria/article/view/28472/20641. Acessado em 11/06/2018.

TEIXEIRA, Mona Lisa Bezerra. Imagens da infância na obra de Clarice Lispector. São Paulo: USP, 2010. Tese de Doutorado.

Downloads

Publicado

22/10/2018

Como Citar

Soares, L. L., & da Costa, M. E. (2018). O menino, o homem e o senhor: masculinidades em contos lispectorianos. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(19), 139–162. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/2831