A escre(vivência) presente em Maria Firmina dos Reis e Conceição Evaristo: Uma análise dos contos “A escrava” e “Maria”.

Autores

Palavras-chave:

Literatura afro-brasileira, Pós-colonial, Protagonismo feminino negro, Escrita feminina.

Resumo

A representação da personagem feminina negra na literatura brasileira possui diferentes abordagens no decorrer da história literária, principalmente quando comparamos a forma como os escritores homens, tanto brancos quanto negros, as apresentam com a representação das escritoras negras, a chamada escre(vivência) por Conceição Evaristo. Dessa forma, faz-se importante pesquisar e discutir a trajetória da mulher negra, tanto como personagem como também escritora, pois a literatura, até certo ponto, acaba sendo uma representação da vida social da comunidade em que está inserida. Por consequência disso, é de extrema importância entender como as personagens eram e são representadas e quais os caminhos percorridos por esse grupo levando em consideração os estudos pós-coloniais. O texto é dividido em duas partes: a primeira consiste em desvelar não só a forma como a personagem feminina negra é representada por escritores, mas também a importância da escritora negra na literatura brasileira; a segunda pretende analisar os contos “A escrava”, de Maria Firmina dos Reis, e “Maria”, de Conceição Evaristo, dando ênfase à maternidade e à violência sofrida pelas personagens negras. Os resultados dessa discussão serão relevantes para futuros estudos que pretendam tratar desse tema.

Biografia do Autor

Michelly Cristina Alves Lopes, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduada em Letras-Português pelo Instituto Federal do Espírito Santo. Especialista em Literatura, cultura e arte pela Faculdade Brasileira. Aluna de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Letras oferecido pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Nelson Martinelli Filho, Instituto Federal do Espírito Santo - Ifes

Doutor em Letras (área de concentração: Estudos Literários) pela Universidade Federal do Espírito Santo, Mestre em Letras (Ufes) e graduado em Letras-Português (Ufes). Professor do ensino básico, técnico e tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - Ifes e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Humanidades (PPGEH) e do Programa de Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS - Ifes).

Referências

AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. Porto Alegre: L&PM, 2015.

BRUGGER, Maria Teresa Caballero (Org.). O estudo da cultura e da presença negra no Brasil. Cadernos de estudos e pesquisa. Brasília: CETEB - Centro de Ensino Tecnológico de Brasília, 2011.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 8.ed. São Paulo: T. A. Queiroz, 2000.

DALCASTAGNÈ, Regina. A personagem do romance brasileiro contemporâneo: 1990-2004. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 26, p. 13-71, julho-dezembro de 2005.

EVARISTO, Conceição. Ana Davenga. In: QUILOMBHOJE (Org.). Cadernos negros: os melhores contos. São Paulo: Quilombhoje, p. 31-41, 1998.

EVARISTO, Conceição. Olhos d’água. 1. ed. Rio de Janeiro: Pallas: Fundação Biblioteca Nacional, 2016.

EVARISTO, Conceição. Da representação a auto-representação da mulher negra da mulher negra na literatura brasileira. Revista Palmares: Cultura Afro-brasileira, ano I,n. 1, agosto 2005.

EVARISTO, Conceição. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. Scripta, Belo Horizonte, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2º sem. 2009. Disponívelem:<http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4365/4510>. Acesso em: 29 Jul. 2018.

GOMES, Nilma Lino. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. BRASIL. Ministério da Educação (Org.). Educação anti-racista: caminhos abertos pela lei Federal nº 10.639/03. Brasília: SECAD, 2005 Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018.

GUIMARÃES, Bernardo. A Escrava Isaura. 5. ed. São Paulo: Editora, Melhoramentos, 1963.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LOBATO, Monteiro. Reinações de Narizinho. 48. ed. São Paulo: Brasiliense, 2005.

MATA, Inocência. Estudos pós-coloniais: Desconstruindo genealogias eurocêntricas. Civitas, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 27-42, jan.-abr. 2014.

MIGLIEVICH-RIBEIRO, Adelia M.Pós-colonialismo. In: MARTINS, Carlos Benedito & SELL, Carlos Eduardo (Org.). Teoria sociológica contemporânea: Autores e perspectivas. São Paulo: Annablume, 2017. p. 449-474.

NASCIMENTO, Denise Aparecida. Espaço e heterotopias nas obras de Conceição Evaristo e Geni Guimarães. Tese de doutorado – Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Letras. Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, 2014.

MONCORVO, Maria Cecília Ribeiro. Família brasileira: do patriarcalismo colonial ao crescente poder feminino na contemporaneidade. In: ______.Criando os filhos sozinha:a perspectiva feminina da família monoparental. 2008. p. 13-24. 102 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2008.

PEREIRA, Rodrigo da Rosa. A periferia em Conceição Evaristo e Esmeralda Ribeiro: questões de gênero, raça e classe. Revista estudos de literatura brasileira contemporânea, n. 49, p. 33-50, set./dez. 2016.

REIS, Maria Firmina dos. Úrsula; A Escrava. Florianópolis: Ed. Mulheres; Belo Horizonte: PUC Minas, 2004.

RIBEIRO, Djalma. O que é lugar de fala?. Belo Horizonte: Letramento: Justificando, 2017.

RISÉRIO, Antônio. A utopia brasileira e os movimentos negros. São Paulo: Editora 34, 2007.

SOUZA, Claudenir de. Mulheres negras contam sua história. Brasília: Presidência da República, Secretaria de Políticas para as Mulheres, 2013. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2018.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar?. Tradução de Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa, André Pereira Feitosa. Belo Horizonte Editora UFMG, 2010.

Downloads

Publicado

2019-02-15

Como Citar

Lopes, M. C. A., & Martinelli Filho, N. (2019). A escre(vivência) presente em Maria Firmina dos Reis e Conceição Evaristo: Uma análise dos contos “A escrava” e “Maria”. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 3(20), 314–334. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/3164