Aspectos da repercussão de Alexandre Dumas no Brasil: o romance-folhetim e a ficção nacional

Valéria Cristina Bezerra, Priscila Renata Gimenez

Resumo


Le Capitaine Paul, de Alexandre Dumas, foi o primeiro romance-folhetim traduzido em português no Brasil, em 1838. A análise do contexto de lançamento do novo gênero no país permite redimensionar a importância dessa publicação no panorama da ficção brasileira, que dava suas primeiras mostras nos anos de 1830. A partir da recepção desse romance, a produção ficcional local se dinamizou significativamente. Agentes como o editor do Jornal do Commercio, Junius Villeneuve, e o editor e livreiro Baptiste-Louis Garnier foram centrais na constituição de um mercado em torno da literatura no Brasil, o que favoreceu a criação de obras originais por autores brasileiros e a tradução de obras estrangeiras, fomentada pelo sucesso dos romances-folhetins. Diante das implicações da tradução e da circulação internacional de obras na consagração de autores e na elaboração das literaturas nacionais, este artigo tem como objetivo verificar aspectos da trajetória de Alexandre Dumas e de sua inserção no espaço literário brasileiro por meio das ações de editores e livreiros, como Villeneuve e Garnier, e observar o impacto dessa presença na nascente produção ficcional brasileira.


Palavras-chave


Alexandre Dumas; Baptiste-Louis Garnier; imprensa; tradução; ficção.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, José de. Como e porque sou romancista. São Paulo: Pontes, 2005.

BASSAN, Fernande. Quatorze lettres autographes d’Alexandre Dumas Père, une lettre du Marquis de Custine le concernant, conservées à la John Rylands University Library de Manchester. Revue d’Histoire littéraire de la France, n° 4, v. 108, p. 945-954. Paris : Presses universitaires de France, 2008. Disponível: https://www.cairn.info/revue-d-histoire-litteraire-de-la-france-2008-4-page-945.htm. Acessado em 19/02/2019.

BEZERRA, Valéria Cristina. A literatura brasileira em cenário internacional: um estudo do caso de José de Alencar. Belo Horizonte: Relicário; ABRALIC, 2018.

BOURDIEU, Pierre. Langage et pouvoir symbolique. Paris : Fayard, 2001.

CASANOVA, Pascale. La République mondiale des Lettres. Paris : Seuil, 2008 [1999].

COOPER-RICHET, Diana. Paris, capital editorial do mundo lusófono na primeira metade do século XIX? Varia, v. 25, n° 42, p. 539-555. Belo Horizonte, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, 2009. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/vh/v25n42/a09v25n42.pdf. Acessado em 10/02/2019.

COOPER-RICHET, Diana. La presse en langue étrangère. In : KALIFA, Dominique; RÉGNIER, Philippe; THÉRENTY, Marie-Ève; VAILLANT, Alain (Orgs.). La civilisation du journal : histoire culturelle et littéraire de la presse française au XIXe siècle. Paris : Nouveau Monde Éditions, 2011.

DUMAS, Alexandre. Correspondance Générale. Tome 2. Paris : Classiques Garnier, 2014.

ESTEVES, Lenita Maria Rimoli. Atos de tradução. Éticas, intervenções, mediações. São Paulo: Humanitas, FAPESP, 2014.

FAGUET, Emile. Dix-neuvième Siècle : études littéraires. Paris : Boivin et Cie. Éditions Contemporaines, s/d.

GIMENEZ, Priscila Renata. As Variétés e a literatura nos jornais franceses do Rio de Janeiro nos anos de 1830. In: LUCA, Tania Regina de; GUIMARAES, Valéria (Orgs.). Imprensa estrangeira publicada no Brasil. Primeiras incursões. São Paulo: Rafael Copetti Editor, 2017, p. 52-86.

GRANJA, Lúcia. No rodapé dos jornais: casos do romance-folhetim. Floema. Caderno de Teoria e História Literária, n° 9, p. 147-158. Vitória da Conquista-BA: Departamento de Estudos Linguísticos e Literários, 2011. Disponível: http://periodicos.uesb.br/index.php/floema/article/view/787. Acessado em 08/02/2019.

HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil: sua história. Trad. Maria da Penha Villalobos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2012 [1985].

HEINEBERG, Ilana. La suite au prochain numéro. Formation du roman-feuilleton brésilien à partir des quotidiens Jornal do Commercio, Diário do Rio de Janeiro et Correio Mercantil (1839-1870). Tese de Doutorado – Unité de Formation et de Recherhce d’Études Ibériques et Latino-Américaines, Université de la Sorbonne Nouvelle – Paris III, 2004.

HUGO, Victor. Funérailles d’Alexandre Dumas. In : Actes et Paroles. Depuis l’exil. Paris : Hetzel; Maison Quantin, s/d. p. 33-35.

KALIFA, Dominique ; RÉGNIER, Philippe ; THÉRENTY, Marie-Ève ; VAILLANT, Alain (Dir.). La civilisation du journal : histoire culturelle et littéraire de la presse française au XIXe siècle. Paris : Nouveau Monde Éditions, 2011.

LAGARDE, André ; MICHARD, Laurent. XIXe Siècle : Les grands auteurs français du programme. Anthologie et histoire littéraire. Collection littéraire Lagarde et Michard. Paris : Bordas, 1985.

LANSON, Gustave. Histoire de la Littérature Française. Paris : Librairie Hachette, s/d.

LEDDA, Sylvain. Alexandre Dumas. Paris : Éditions Gallimard, 2014.

MENDES, Maria Lúcia Dias. Romances-folhetins sem fronteiras: o caso de Alexandre Dumas. In: ABREU, Márcia (Org.) Romances em movimento. A circulação transatlântica dos impressos (1789-1914). Campinas: Editora da UNICAMP, 2016, p. 223-253.

MEYER, Marlyse. Folhetim: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

MIRECOURT, Eugène de. Maison Alexandre Dumas et Cie. Paris : Chez tous les marchands de nouveautés/Imprimerie de Hauquelin et Bautruche, 1845.

MOLLIER, Jean-Yves. Michel & Calmann Lévy ou la naissance de l’édition moderne (1836-1891). Paris : Calmann-Lévy, 1984.

MOLLIER, Jean-Yves. Tradução e globalização da ficção: o exemplo de Alexandre Dumas Pai na América do Sul. Revista da Anpoll, n. 38, p. 296-306. Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística, 2015. Disponível: https://revistadaanpoll.emnuvens.com.br/revista/article/view/862. Acessado em 11/01/2019.

MOLLIER, Jean-Yves. As origens do romance-folhetim: do espaço textual ao recorte de uma obra de ficção. Alea, v. 20, n° 3, p. 17-36. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas-UFRJ, 2018. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/alea/v20n3/1807-0299-alea-20-03-17.pdf Acessado em 11/01/2019.

SALES, Germana Maria Araújo. Ficção Brasileira. Caminhos do romance: ficção brasileira. 2005. Disponível: http://www.caminhosdoromance.iel.unicamp.br/. Acessado em 27/11/2018.

SANTOS, Idelette Muzart-Fonseca dos. O conde de Monte Cristo nos folhetos de cordel: leitura e reescrituras de Alexandre Dumas por poetas populares. Estudos Avançados, v. 14, n° 39, p. 205-227. São Paulo: Instituto de Estudos Avançados da USP, 2000. Disponível: http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/9535. Acessado em 11/01/2019.

SCHAPOCHNIK, Nelson. Edição, recepção e mobilidade do romance Les Mystères de Paris no Brasil oitocentista. Varia Historia, v. 26 nº 44, n.p. Belo Horizonte, jul./dez. 2010. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-87752010000200013 Acessado em 11/01/2019.

SILVA, Hebe Cristina da. Prelúdio do romance brasileiro: Teixeira e Sousa e as primeiras narrativas ficcionais. Tese de Doutorado. Instituto de Estudos da Linguagem. Universidade Estadual de Campinas. Campinas-SP, 2009.

THÉRENTY, Marie-Ève. Mysterymania. Essor et limites de la globalisation culturelle au XIXe siècle, Romantisme, v. 160, nº 2, 2013, p. 53-64. Disponível: https://doi.org/10.3917/rom.160.0053 Acessado em 11/01/2019.




Direitos autorais 2019 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456