Erico Verissimo: um Proust guasca?

Maria Cristina Ferreira dos Santos

Resumo


Este artigo mostra as semelhanças entre o estilo de Erico Verissimo, sobretudo nas obras Israel em Abril, O Arquipélago, Solo de Clarineta e Incidente em Antares, e o do escritor francês Marcel Proust, na monumental narrativa Em busca do tempo perdido. Ambos tratam do processo mnemônico na composição literária e citam objetos ou situações epifânicas que motivam os enredos, enfocando a importância da memória involuntária. Para isso, serão utilizados os pressupostos teóricos de Henri Bergson, Harald Weinrich e Pierre Nora.

 


Palavras-chave


Memória; epifania; romances

Texto completo:

PDF

Referências


BERGSON, Henri. Matéria e memória. Ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

NORA, Pierre. Entre Memória e História, a problemática dos lugares. Projeto História. São Paulo, v.10, n.1, 1993, p.7-28.

PROUST, Marcel. No caminho de Swann. 8ed. Rio de Janeiro: Globo, 1983.

VERISSIMO, Erico. Israel em Abril. Porto Alegre: Globo, 1969.

_____. O Arquipélago III. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

_____. Incidente em Antares. 51 ed. São Paulo: Globo, 1999.

_____. Solo de Clarineta. 4 ed. Porto Alegre: Globo, 1974.

WEINRICH, Harald. Lete arte e crítica do esquecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001




Direitos autorais 2019 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456