Literatura confessional e ghost-writer em Minhas Memórias De Lobato

Autores

  • Gláucia Santos De Oliveira UEMS

Palavras-chave:

Literatura confesional, ghost-writer, memórias, Monteiro Lobato, biografias,

Resumo

Este trabalho se baseou em uma análise da obra Minhas Memórias de Lobato contadas por Emília Marquesa de Rabicó e pelo Visconde de Sabugosa, da escritora Luciana Sandroni, para fazer um estudo sobre literatura confessional, destacando as memórias, e a tendência literária conhecida como ghost-writer.A importância deste tipo de estudo consiste na característica da literatura confessional de registrar fatos, épocas e pessoas que marcaram uma sociedade, ou o mundo. E é isso que acontece em Minhas Memórias de Lobato, de uma forma pitoresca e inusitada que só a mandona boneca Emília e o subserviente Visconde de Sabugosa poderiam proporcionar, a vida e a obra de Monteiro Lobato são contadas e algumas vezes “reescritas” pela impertinente boneca. Para a elaboração destetrabalho foram realizadas pesquisas sobre literatura confessional, fundamentando-se em nomes como Pinto (1998), Fischer (2003), Coutinho (1978), Guerin (1972), Hamburguer (1986), Remédios (1997), e outros. E pesquisas sobre ghost-writer cujos autores que falam sobre o tema são Delmaschio (2004), Mello Júnior (2008) e Passos (2007).

Downloads

Publicado

04/09/2015

Como Citar

De Oliveira, G. S. (2015). Literatura confessional e ghost-writer em Minhas Memórias De Lobato. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 1(4), 41–54. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/346

Edição

Seção

Tema Livre