Émile Zola, literatura, celebridade e objetos derivados no Brasil oitocentista

Pedro Paulo Garcia Ferreira Catharina

Resumo


A consulta a periódicos brasileiros do passado permite aos pesquisadores da área de Letras e afins entender mais claramente a circulação da literatura estrangeira no Brasil e sua acolhida junto ao público leitor. Neste artigo, buscamos mostrar o processo de popularização da literatura francesa no Brasil nas últimas décadas do século XIX e primeiros anos do século XX, em particular da literatura naturalista e sobretudo através da figura pública de um de seus maiores expoentes – Émile Zola. Na perspectiva adotada, o estudo do texto literário em suas redes internas de produção de sentidos é secundário em relação à reflexão sobre a importância social dos romances e seus personagens, dos escritores e dos objetos de consumo que deles derivam. Esses valores de uma sociedade em franca expansão envolvem a produção e principalmente a circulação de bens culturais, inseridas em um processo de globalização. Nossa abordagem visa se aproximar do fenômeno literário tal como ele ocorreu no passado ao mesmo tempo que permite ter uma ideia do perfil dos leitores da época, seus gostos e seus modos de consumo, em uma perspectiva transnacional.


Palavras-chave


Émile Zola; literatura francesa; celebridade; objetos derivados; campo literário brasileiro.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Márcia. Au-delà des textes: présence de la littérature dans la vie sociale brésilienne au XIXe siècle. Brésil(s) [En ligne], n. 15, 2019, n.p. Disponível: http://journals.openedition.org/bresils/4763; DOI: 10.4000/bresils.4763. Acessado em 1/6/2019.

ABREU, Márcia (Org.). Romances em movimento: a circulação transatlântica dos impressos (1789-1914). Campinas: Editora da UNICAMP, 2016.

BECKER, Colette ; GOURDIN-SERVENIÈRE, Gina ; LAVIELLE, Véronique. Dictionnaire d’Émile Zola ; sa vie, son œuvre, son époque suivi du Dictionnaire des « Rougon-Macquart ». Paris: Robert Laffont, 1993.

BOURDIEU, Pierre. Les règles de l’art. Genèse et structure du champ littéraire. Paris: Seuil, 1992.

BOURDIEU, Pierre. Raisons pratiques; sur la théorie de l’action. Paris: Seuil, 1994. (Essais)

CARVALHO, Danielle Crepaldi. Luz e sombra no écran: realidade, cinema e rua nas crônicas cariocas de 1894 a 1922. Tese (Doutorado) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2014.

CASANOVA, Pascale. La République mondiale des Lettres. Paris: Seuil, 1999.

CATHARINA, Pedro Paulo. Da literatura ao cinema: a estética naturalista francesa na cultura brasileira oitocentista. Gragoatá, Niterói, n. 39, 2. sem. 2015, p. 409-429.

CATHARINA, Pedro Paulo. Circulation and Permanence of French Naturalist Literature in Brazil. Excavatio, n. XXVII, 2016, p. 1-21. Disponível: https://sites.ualberta.ca/~aizen/excavatio/articles/v27/PedroPauloGARCIAFERREIRACATHARINA.pdf; Acessado 15/12/2018.

FRANCIS, Claude; GONTIER, Fernande. Colette. Paris: Perrin, 1997.

GRANJA, Lúcia; LUCA, Tania de (orgs.). Suportes e mediadores: a circulação transatlântica dos impressos (1789-1914). Campinas: Editora da UNICAMP, 2018.

KALIFA, Dominque. La culture de masse en France. 1. 1860-1930. Paris: La Découverte & Syros, 2001.

KALIFA, Dominique ; RÉGNIER, Philippe ; THÉRENTY, Marie-Ève & VAILLANT, Alain. La civilisation du journal. Paris : Nouveau Monde, 2011.

LILTI, Antoine. Figures publiques; invention de la célébrité 1750-1850. Paris: Fayard, 2014.

MARTINS, Eduarda Araújo da Silva. L’Assommoir, de Émile Zola, na França e no Brasil: de romance da classe operária a obra moral. Dissertação (Mestrado em Letras Neolatinas: Estudos Literários Neolatinos – Literaturas de Língua Francesa) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

MARTINS, William de Souza Nunes. Paschoal Segreto "Ministro das diversões" do Rio de Janeiro (1883 - 1920). Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

PAGÈS, Alain (éd.). Zola au Panthéon; L’épilogue de l’affaire Dreyfus. Paris: Presses Sorbonne nouvelle, 2010.

PAGÈS, Alain. Le Tintamarre naturaliste. Interfaces. Rio de Janeiro: UFRJ/CLA, ano 22, nº 25 p. 15-25, 2016.

PONCIONI, Claudia; LEVIN, Orna. Deslocamentos e mediações: a circulação transatlântica dos impressos (1789-1914). Campinas: Editora da UNICAMP, 2018.

SLAUTER, Will. Le paragraphe mobile. Circulation et transformation des informations dans le monde atlantique du XVIIIe siècle. Annales. Histoire, Sciences Sociales, n. 2, avril-juin 2012, p. 363-389.

THÉRENTY, Marie-Ève. La littérature au quotidien : poétiques journalistiques au XIXe siècle. Paris : Seuil, 2007.

THÉRENTY, Marie-Ève ; WRONA, Adeline (dir.). Objets insignes, objets infâmes de la littérature. Paris: Édition des archives contemporaines, 2019.




Direitos autorais 2019 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456